Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

O que é o diâmetro de giro que aparece nas fichas técnicas?

Descubra o que isso significa, e por que alguns carros possuem diâmetro de giro maior ou menor que outros

Por Redação Atualizado em 3 Maio 2021, 15h44 - Publicado em 30 ago 2016, 17h37

Correio Técnico: diâmetro de giro

O que é o diâmetro de giro que sempre aparece nas fichas técnicas dos carros? – Fernando Gondim, por email.

É o menor espaço necessário para o veículo fazer uma mudança de sentido (180 graus).

Há dois padrões comuns na indústria: o que é medido entre guias (“curb to curb” ou “kerb to kerb”) e entre paredes (“wall to wall”). O primeiro é o menor espaço em uma rua para que se faça o retorno sem que a roda dianteira do lado externo raspe nas guias. O segundo garante o retorno num corredor ou numa garagem, sem que o para-choque dianteiro toque nas paredes.

Essa característica é dependente da geometria do sistema de direção, ou seja, do quanto a roda esterça sem atingir outros componentes do veículo. É claro que um carro muito longo, mesmo esterçando bastante, terá seu diâmetro de giro comprometido.

A solução nesse caso pode ser adotar eixo traseiro esterçável, relativamente comum em ônibus e veículos militares 8×8 e 10×10, e que já foi utilizado em picapes da GM americana como opcional entre 2002 e 2005. O sistema chamado Quadrasteer, produzido pela Delphi, reduzia o diâmetro em até 21%. O segredo é que, enquanto as rodas dianteiras esterçam para um lado, as traseiras viram para o outro, mas num ângulo menor, de até 12 graus. Para acioná-lo, havia um botão no painel que comandava um motor elétrico.

Outras marcas como Porsche, BMW, Mitsubishi, Honda e Nissan já utilizaram sistemas de esterçamento das rodas traseiras, mas com o objetivo de melhorar o comportamento dos carros em curvas – nesses casos, o esterçamento é bem pequeno, e pode variar de sentido conforme a velocidade do automóvel, aumentando ou diminuindo o diâmetro de giro.

Além do comprimento e da distância entre-eixos, outra variável é o tipo de tração. Modelos com tração traseira tendem a oferecer um diâmetro de giro menor, pois neles o eixo dianteiro fica livre dos mecanismos de tração, como os semieixos, permitindo um maior ângulo de esterçamento. Pelo mesmo motivo, modelos com tração integral podem precisar de mais espaço para realizar um giro de 180° graus.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Continue lendo, sem pisar no freio. Assine a QR.

Impressa + Digital

Plano completo de QUATRO RODAS. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da QUATRO RODAS, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Comparativo entre os principais modelos do mercado.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.

Receba mensalmente a QUATRO RODAS impressa mais acesso imediato às edições digitais no App QUATRO RODAS, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.


a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)