Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Nissan Kicks usado se destaca por ter conforto, baixo consumo e bom preço

Custando a partir de R$ 55.000 (2017), SUV compacto da Nissan só tem motor 1.6, mas confiabilidade e baixo consumo se destacam no segmento

Por Felipe Bitu Atualizado em 26 fev 2021, 18h32 - Publicado em 22 jan 2021, 10h28
O Kicks se saiu muito bem em nosso teste de Longa Duração
O Kicks se saiu muito bem em nosso teste de Longa Duração Marco de Bari/Quatro Rodas

Uma das piores surpresas relacionadas à compra de um SUV é o elevado consumo de combustível. O baixo rendimento está diretamente relacionado a peso e perfil aerodinâmico desses veículos, que raramente ultrapassam a marca dos 10 km/l na cidade. Mas há uma exceção a essa regra: o Nissan Kicks.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 7,90

Pesando apenas 1.142 kg, o Kicks pode ser considerado o peso-pena da categoria, situação que favorece o bom conjunto mecânico formado pelo motor HR16DE de 1,6 litro e pelo câmbio automático XTronic CVT.

O resultado não poderia ser melhor: médias de 10,9 km/l na cidade e 14,4 km/l na estrada, com gasolina. O desempenho também agrada. São 114 cv a 5.600 rpm e 15,5 kgfm a 4.000 rpm, números suficientes para acelerar o Kicks de 0 a 100 km/h em 11,9 segundos.

 

Racional, o Kicks oferece bom espaço interno para quatro adultos em razão dos 2,62 metros entre os eixos e 432 litros no porta-malas. Inicialmente importado do México, o Kicks chegou em meados de 2016 (já como modelo 2017).

Bem equipada, a versão intermediária SV Limited conta com tela TFT colorida e configurável no painel, ar-condicionado digital, controle de estabilidade, auxílio de partida em rampa, sensor de estacionamento, direção elétrica, multimídia com GPS e Isofix para cadeirinhas infantis.

  • Quem prioriza a segurança deve optar pela versão topo de linha SL, que acrescenta airbags laterais e de cortina. Nela os bancos revestidos de couro são itens de série, bem como o sistema de visão em 360 graus.

    SUV acomoda quatro adultos e 432 litros de bagagem no porta-malas
    SUV acomoda quatro adultos e 432 litros de bagagem no porta-malas Marco de Bari/Quatro Rodas

    Melhores versões para comprar

    O sucesso do Kicks resultou na sua naturalização em 2017, quando a gama passou a ser composta pelas versões S, SV e SL. A intermediária SV continuou a ser a mais vendida e traz ESP, auxiliar de partida em rampa, chave presencial, partida por botão, retrovisores externos elétricos, indicadores de direção de led, rodas de liga leve aro 17, sensor de estacionamento e tela de 7 polegadas sensível ao toque.

    Na hora de procurar o seu, priorize as unidades com o Pack Plus, que acrescenta airbags laterais e de cortina e bancos revestidos de couro.

    Continua após a publicidade

    O Kicks SL nacional se diferencia da versão mexicana pelas maçanetas cromadas e espelhos retrovisores com rebatimento elétrico e oferece como opcional o Pack Tech, com alerta de colisão, sistema de frenagem autônoma de emergência e faróis de led.

    Muito cuidado com a versão de entrada S, pois nela o Pack Safety, com controles de tração e estabilidade, é opcional. Egresso da nossa frota de Longa Duração, o Kicks foi bem avaliado, mostrando que boa parte de seus problemas estava relacionada à rede autorizada. Sem problemas: o Kicks é apreciado pelos reparadores independentes.

    Defeitos do Nissan Kicks

    Interior Nissan Kicks

    • Suspensão: notória pelos ruídos. Um reaperto dos componentes ajuda a diminuir o incômodo, mas em casos extremos é preciso substituir os coxins superiores dos amortecedores, buchas das bandejas dianteiras e bieletas.
    • Direção: o sistema de direção também é fonte de ruídos, causados por folgas na coluna e caixa de direção. O problema só costuma ser resolvido com a substituição dos componentes.
    • Pneus: os pneus são bons indicadores de problemas nos componentes de suspensão e direção: o desgaste irregular é um indício de alinhamento incorreto. Antes de fechar negócio, considere o estado dos pneus, pois uma substituição completa do conjunto de aro 16″ não sai por menos de R$ 2.000.
    • Câmbio CVT: raramente apresenta problemas, mas é preciso ficar atento ao nível do fluido (não há vareta de medição) e substituí-lo aos 100.000 km em casos de uso não severo. Na dúvida, o melhor é realizar a troca do fluido e verificar a presença de eventuais vazamentos.
    • Recall: apenas um, envolvendo 245 unidades fabricadas em abril de 2018 que tiveram torque incorreto nos parafusos de fixação do banco do passageiro dianteiro. Abrange os números de chassi de 94DFCAP15JB138845 a 94DFCAP15JB139296.

    A voz do dono

    Nome: Paulo Storto
    Idade: 42 anos
    Profissão: funcionário público
    Cidade: São Bernardo do Campo (SP)

    • O que eu adoro: “apesar de ser um utilitário esportivo, o rendimento é similar ao de um sedã médio, com boa agilidade em percursos urbanos e baixo consumo de combustível. O bom nível de conforto fica ainda melhor em razão do espaço interno.”
    • O que eu odeio: “o curso das suspensões é relativamente curto e chega ao fim dos batentes em situações mais críticas. O pós-venda deixa a desejar: as peças são caras e o atendimento nos faz torcer para que a garantia acabe logo.”

    Preço médio dos usados

    * Valores em reais calculados pela kbb brasil para A compra pelo particular
    * Valores em reais calculados pela kbb brasil para A compra pelo particular Arte/Quatro Rodas

    Preços das peças

    preços das peças nissan kicks
    Arte/Quatro Rodas

    Nós dissemos

    QR_685_CARRO_KICKS
    Quatro Rodas/Quatro Rodas

    Agosto de 2016: “mas vantagem mesmo o Kicks mostra no consumo de combustível, tanto na cidade (10,9 km/l) como na estrada (14,4 km/l). (…) A carroceria com apenas 1.142 kg (…) teve papel fundamental nas provas de consumo. E também na dinâmica do carro, pois em curvas e frenagens o menor deslocamento de massa atenua o desequilíbrio natural da carroceria.”

    Pense tambem em um…

    Honda HR-V: é mais ágil. Mérito do 1.8 flex de 140/139 cv, quase sempre acoplado a um câmbio CVT (a rara versão LX traz câmbio manual de seis marchas). Gasta pouca coisa a mais: percorre 10,4 km/l na cidade e 13,1 km/l na estrada, mas leva vantagem na autonomia graças ao tanque de 51 litros. É o mais familiar dos SUVs compactos: tem cabine larga e porta-malas de 437 litros.

    QR 670 LONGA DURAÇÃO HRV 01.tif
    Marco de Bari/Quatro Rodas

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade