Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Existe diferença de desempenho ao nível do mar e em altitude?

Assim como ocorre em pessoas, trabalhar em altitudes elevadas compromete a performance. Veja como potência e torque mudam nessa situação

Por Da Redação Atualizado em 10 Maio 2021, 16h02 - Publicado em 1 set 2017, 17h41
Em Pikes Peak, o carro perde 30% de sua potência
Em Pikes Peak, o carro perde 30% de sua potência Divulgação/Hyundai

Existe diferença de consumo e desempenho no nível do mar e na altitude? Qual a variação para uma cidade como Bogotá? – Patrick Moraes, Belém (PA)

Sim, existe. Antes de serem lançados, os veículos são testados nas mais diversas condições. No entanto, os cálculos de consumo e potência são feitos, por padrão, considerando o nível do mar.

Nesse caso, como explica o engenheiro Hélio da Fonseca Cardoso, do Instituto de Engenharia, quanto maior a altitude, maior a influência nos dois quesitos.

Para cada 100 metros a mais na altitude, haverá em média um acréscimo de 1% no consumo de combustível e 1% na perda de potência.

Continua após a publicidade

Isso ocorre porque o ar mais rarefeito faz com que a mistura com o combustível se torne mais pobre. E com menos ar e combustível, há a necessidade de acelerar mais devido à menor potência – é isso o que gera maior consumo.

Em Bogotá (Colômbia), que está situada a 2.640 metros acima do nível do mar, haverá um aumento de mais de 20% no consumo, com uma redução equivalente da potência.

Essa variação é fundamental ao desenvolver carros que vão correr na famosa subida de Pikes Peak, nas montanhas do Colorado (EUA).

Lá, os competidores começam a prova aos 2.865 metros e terminam aos 4.301, após percorrer 20 km. Ao cruzar a linha de chegada, a perda de potência é cerca de 30%.

Continua após a publicidade

Publicidade