Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Devo manter o mesmo intervalo de troca de óleo quando as revisões acabam?

O manual do carro prevê um ciclo de revisões que pode durar meros 80.000 km. O que fazer depois disso?

Por Leonardo Barboza Atualizado em 15 jan 2022, 20h34 - Publicado em 15 jan 2022, 15h21
Na garantia a troca de óleo é feita a cada 10.000 km ou 1 ano. Depois, a troca deverá ser igual, mesmo para veículos acima dos 60.000 km rodados?

Luiz Carlos, Itaberaba (BA)

Esta resposta vem da Toyota do Brasil. Todo veículo possui um plano de manutenção específico no Manual do Proprietário. Utilizando como exemplo o Toyota Corolla, no seu manual de manutenção constam as revisões até 80.000 km, com itens para inspeção e substituição. Após 80.000 km, o plano retoma os itens de substituição e verificações da revisão de 10.000 km.

Quando a quilometragem for ainda maior, a dica é diminuir em 20% os intervalos preconizados no plano de manutenção inicial. E não custa lembrar que, hoje, um motor é feito para rodar pelo menos 240.000 km sem grandes intervenções.

Como deixar a manutenção do carro em dia após o fim da garantia?

JAGUAR LANDROVER

É quase um roteiro previsível. Terminada a garantia, o dono do carro corre da concessionária. Só que para fugir dos preços tradicionalmente mais caros da rede autorizada, muitas vezes o proprietário também abandona as revisões preventivas regulares.

Continua após a publicidade

E é aí que mora o perigo. Passada a cobertura de fábrica, é ainda mais imprescindível manter a manutenção em prazos fixos – e até menores. A boa prática evitará defeitos que poderão exigir reparos emergenciais ainda mais caros que uma revisão.

Assine a Quatro Rodas a partir de R$ 9,90

“Um aspecto interessante é que um veículo é projetado e desenvolvido para aguentar 240.000 km, ou dez anos. Ou seja, tem de garantir o funcionamento de suas partes essenciais nesse período ou quilometragem”, diz Erwin Franieck, mentor de Engenharia Avançada da SAE Brasil.

Assim é como a indústria define a “vida nominal” do carro. Trata-se de um padrão internacional que prevê que o veículo tem de, dentro desse tempo, garantir que seus principais componentes funcionem corretamente. Porém, para isso, a correta manutenção é fundamental.

O bom é que não há grandes mistérios para manter essas revisões pós-garantia. Se você for correr das concessionárias, opte por uma oficina não só com boa reputação mas que tenha ferramental adequado e aparelhos de diagnose, o chamado scanner automotivo, que descobre falhas mais rapidamente e com precisão.

Clique aqui para continuar lendo

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Continue lendo, sem pisar no freio. Assine a QR.

Impressa + Digital

Plano completo da QUATRO RODAS! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da QUATRO RODAS, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Comparativo entre os principais modelos do mercado.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.

Receba mensalmente a QUATRO RODAS impressa mais acesso imediato às edições digitais no App QUATRO RODAS, para celular e tablet.

a partir de R$ 14,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da QUATRO RODAS, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Comparativo entre os principais modelos do mercado.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.

App QUATRO RODAS para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês