Esta é a Mercedes Classe X que trocou o luxo pelo trabalho pesado

Picape alemã promete um nível de luxo jamais visto no segmento. Mas também quer concorrer entre as utilitárias feitas para aguentar peso e rotinas difíceis

Rodas de aço com calotas dão aspecto de carro de frota para a Classe X (Divulgação/Mercedes-Benz)

A Mercedes-Benz Classe X é a primeira picape média de uma marca premium no mundo. A promessa é oferecer um nível de luxo e conforto ainda não visto no segmento. Mas o glamour dos sedãs da marca não será visto em todas as suas versões.

Se a versão topo de linha Power é bem servida de equipamentos e tem abamento refinado, com couro costurado no painel e detalhes de aço escovado e plásticos laqueados, a versão de entrada é mais simples até que a Nissan Frontier.

Aliás, a Classe X compartilha componentes e estrutura com a marca japonesa e também com a Renault. A gente conta a história aqui.

Vidros traseiros são protegidos por grade, mas não há santoantonio (Divulgação/Mercedes-Benz)

A versão em questão é a Pure, que segue a receita das versões de entrada de picapes compactas brasileiras, como a VW Saveiro Robust e a Fiat Strada Working.

Há rodas de aço aro 17″ prateadas com calotinhas centrais, para-choques sem pintura, grade frontal sem acabamento prateado e grade de proteção para o vidro traseiro.

Protetor de caçamba não é equipamento de série da versão Pure (Divulgação/Mercedes-Benz)

Por dentro, a Classe X Pure tem plásticos duros no painel e nas portas, mas mantém o revestimento emborrachado no apoio de braço. Também não há detalhes cromados nas saídas de ar e a faixa central do painel é um simples plástico texturizado. Os bancos são revestidos de tecido.

O ambiente interno remete às versões mais básicas das vans Vito e Sprinter. Mas há alguns bônus. O quadro de instrumentos mantém a tela colorida para o computador de bordo e a central multimídia, anda que com tela menor e sem leitor de CD, está mantida. Ela pode ser controlada pelos comandos no volante ou por seletor no console central.

Painel simples remete às Sprinter e Vito mais básicas (Divulgação/Mercedes-Benz)

Ar-condicionado, direção hidráulica e sensores de estacionamento frontais e traseiros também estão garantidos, mas auxílio de estacionamento semiautônomo será opcional.

A Classe X Pure terá duas opções de motor, 2.0 turbo com injeção direta de gasolina de 165 cv (X 200) e o 2.3 turbodiesel de 163 cv (X 220d). Por padrão, terão câmbio manual de seis marchas e tração traseira.

A versão diesel terá opção de câmbio automático de sete marchas e tração 4×4.

Carroceria preta ajuda a disfarçar os para-choques sem pintura. Mas há faróis de neblina e sensores de estacionamento frontais (Divulgação/Mercedes-Benz)

A capacidade de carga é boa, de 1.043 kg. A de reboque é de 3.500 kg. Fora da Europa ela terá altura livre do solo maior, de 22 cm, e capacidade de imersão de 60 cm.

Para dividir bem o público das versões da Classe X, as versões de entrada da picape serão vendidas em concessionárias de veículos comerciais e caminhões. Já as versões mais luxuosas e potentes ficarão nos mesmos showrooms dos automóveis de passeio.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Martins Pessôa Regis Júnior

    Quando eu puder comprar, vai ser a versão da minha escolha, por ser a mais “pé-no-chão”.