Clique e assine por apenas 8,90/mês

Teste: Hyundai Creta 2020 mudou, mas só os entendedores entenderão

Até mesmo os fãs do SUV terão dificuldade para identificar um exemplar da linha 2020. Na versão Prestige, a mudança mais significativa está no DRL

Por Péricles Malheiros - 26 ago 2019, 07h00
Dianteira da linha 2020 sofreu leves mudanças. DRL desceu e grade e faróis estão mais conectados entre si Fernando Pires/Quatro Rodas

A versão do Hyundai Creta que mais traz novidades na linha 2020 é a de topo, Prestige, igual à que ilustra esta matéria.

Mas isso não quer dizer que você estará na rua e, ao passar um exemplar desse, vai dizer: “Olha lá o novo Creta 2020, como ficou diferente”. Pelo contrário. Caso não seja detalhista, nem vai se dar conta da novidade.

O tapinha no visual inclui, basicamente, um redesenho dos para-choques e da grade, além de mudanças pontuais no pacote de equipamentos.

Lanternas da versão Prestige agora têm iluminação por led. O para-choque tem refletores maiores e vincos que se fundem ao do porta-malas Fernando Pires/Quatro Rodas

Na frente, novos faróis de neblina. Agora, eles estão maiores e ganharam a companhia de uma linha de led em formato de U deitado, que cumpre a função de DRL. Essa alteração provocou uma outra no farol principal, que perdeu justamente o DRL.

Continua após a publicidade

A grade, por sua vez, está mais conectada aos faróis, pois os elementos de integração no topo da moldura ficaram mais largos. Seu miolo também mudou. Está mais clean, com menos adereços anexados às barras horizontais.

Os bancos seguem confortáveis, com bom suporte lateral e ventilação, mas ganharam novo revestimento, mesclando couro marrom e bege claro Fernando Pires/Quatro Rodas

Atrás, a alteração no layout trouxe refletores do tipo olho de gato maiores, que se estendem pelas laterais. Na porção pintada, um vinco foi adicionado, dando continuidade aos que decoram e dão volume à tampa do porta-malas, na parte inferior.

A família do Creta será composta por uma versão 2.0 (Prestige, automática) e três 1.6 (Attitude, manual; Smart e Pulse Plus, automáticas). Há ainda uma série especial de lançamento, Launch Edition, limitada a 1.200 unidades, baseada na Pulse Plus.

Novidade da linha 2020: console central funciona com celulares compatíveis com recarregamento de bateria por indução, ou seja, sem necessidade de cabo Fernando Pires/Quatro Rodas

Dentre os equipamentos, o Creta 2020 também mostra poucas e discretas mudanças. A antena shark (barbatana de tubarão) só equipará as versões Launch Edition e Prestige.

Continua após a publicidade

Apenas a Prestige 2.0 terá lanternas de led, carregador de celular por indução no console central e retrovisor interno eletrocrômico. Ou seja, justamente as três “grandes” novidades da linha 2020.

Os retrovisores, que já tinham rebatimento elétrico, agora são como sempre deveriam ter sido: com acionamento automático indexado às travas das portas.

Finalmente a versão top de linha do Creta paga uma dívida antiga: retrovisor interno, agora, tem escurecimento automático Fernando Pires/Quatro Rodas

Mecanicamente, tudo exatamente na mesma: motores flex 1.6 (130/123 cv) e 2.0 (166/156 cv) – sempre quatro-cilindros 16V aspirado – e câmbios de seis marchas manual ou automático, com conversor de torque.

Com sistema presencial de abertura das portas e partida do motor, Creta 2020 vem com um relógio que substitui a chave original Fernando Pires/Quatro Rodas
Este é o modelo 2019, ainda com DRL nos faróis principais e grade unida aos faróis por uma pequena porção Fernando Pires/Quatro Rodas
Modelo 2019: refletores do tipo olho-de-gato ocupavam uma área menor nas extremidades do para-choque Fernando Pires/Quatro Rodas

Veredicto

A reestilização foi só para segurar as vendas até a chegada da nova geração, entre 2021 e 2022. Ainda que sem parecer um novo Creta, continua bom de briga.

Continua após a publicidade

Ficha Técnica – Hyundai Creta Prestige 2.0 Automática

  • Preço: R$ 107.990
  • Motor: flex, dianteiro, transversal, 4 cilindros, 1.999 cm3; 16V, 166/156 cv a 6.200 rpm, 20,5/19,1 mkgf a 4.700 rpm
  • Câmbio: automático, 6 marchas, tração dianteira
  • Suspensão: McPherson (dianteira) / eixo de torção (traseira)
  • Freios: disco ventilado (dianteiro) / sólido (traseiro)
  • Direção: elétrica
  • Rodas e pneus: liga leve, 215/60 R17
  • Dimensões: comprimento, 429 cm; largura, 178 cm; altura, 163,5 cm; entre-eixos, 259 cm; peso, 1.399 kg; tanque, 55 l; porta-malas, 431 l

Ficha de Teste

Aceleração
0 a 100 km/h: 10,8 s
0 a 1.000 m: 32,1 s – 162,2 km/h

Velocidade máxima: n/d

Retomada (D)
40 a 80 km/h: 4,4 s
D 60 a 100 km/h: 5,8 s
D 80 a 120 km/h: 7,4 s

Frenagens
60/80/120 km/h – 0 m: 16,6/28,3/64,3 m

Consumo
Urbano: 8,2 km/l
Rodoviário: 12,7 km/l

Publicidade