Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Pente-fino

Por Redação 14 mar 2014, 13h56

Por Péricles Malheiros

60 315 km

Por padrão, todo carro que integra a frota de Longa Duração passa duas vezes pelo campo de provas, em Limeira (SP). Aos 1 000 km e aos 60 000 km, eles são submetidos a um teste completo, com provas de aceleração, retomada de velocidade, consumo de combustí­vel (urbano e rodoviário), frenagem e medição de nível de ruído interno. “A comparação dos testes inicial e final nos ajuda a concentrar a atenção em pontos específicos no desmonte”, diz o editor Péricles Malheiros.

No caso do Onix, a análise revelou um carro mais solto nas acelerações e retomadas e mais seguro nas frenagens. A compara­ção mostrou ainda que, apesar de mais disposto no fim da jornada, o Onix manteve o apetite sob controle: os números de consumo de etanol são praticamente os mesmos da estreia.

Com o passar do tempo – e dos quilômetros -, o Onix ficou ligeiramente mais ruidoso. Nada alarmante. Apesar de importante, o confronto dos testes de 1 000 e 60 000 km é insuficiente para aprovar ou reprovar um carro: “No desmonte mais recente, do Eco­Sport, a avaliação também indicava uma melhora, mas, com o motor aber­to, encontramos problemas graves”, afirma Fabio Fukuda, nosso consultor técnico e responsável pelos desmontes dos carros de Longa Duração.

Continua após a publicidade

Fukuda e Malheiros se revezam ao volante durante os últimos quilôme­tros. “Esse contato é outra boa ferra­ menta de análise. No pente-­fino final, tudo é reavaliado”, diz Malheiros. Fukuda concorda: “Tenho um circuito­ ­padrão capaz de revelar ruídos de acabamento interno e suspensão. Ao detectar a origem, dou especial aten­ção a esses pontos no desmonte”.

Consumo

No mês (42,3% na cidade) – Etanol 7,4 km/l
Desde jan/13 (26,5% na cidade) – Etanol 9 km/l

Principais ocorrências

31 586 km Para-sol do lado do motorista sem trava
39 252 km Palhetas dianteiras ressecadas
47 763 km Luz de injeção acesa

Continua após a publicidade

Publicidade