Clique e assine por apenas 8,90/mês

Nissan Kicks: pernas curtas para longas viagens

Após 1.000 km, Kicks de Longa encara nossa pista de testes. A rodagem também trouxe as primeiras impressões dos usuários

Por Péricles Malheiros - 11 nov 2016, 14h26
Nissan Kicks - Longa

A regra é clara: todo carro de Longa passa por uma completa bateria de testes em nosso campo de provas, aos 1.000 km e aos 60.000 km – ou seja, na chegada à frota e também na despedida.

Com a quilometragem exigida, o Kicks ganhou não apenas a missão de ir para a pista (veja resultado no quadro comparativo abaixo), mas também uma série de comentários por parte dos sete motoristas que se revezaram ao seu volante.

LEIA MAIS:

>> Longa Duração: a chegada e as primeiras impressões do Kicks

Continua após a publicidade

>> Comparativo: Kicks x HR-V x Renegade x Tracker x 2008

>> Longa Duração: o desmonte do Honda HR-V

Entre as críticas negativas, o editor Leo Nishihata e o piloto de testes Eduardo Campilongo – únicos da equipe com rodagem rodoviária no período – chegaram à mesma conclusão: o habitat do Kicks é, definitivamente, a cidade. “Sem piloto automático e apoio de braço central, as viagens ficam cansativas”, disse Edu.

“O tanque com apenas 41 litros – menos que o do Mobi! – confere baixa autonomia. Com quatro adultos, bagagem e ar-condicionado ligado, a situação piora. Chega a ser arriscado cair na estrada sem uma programação prévia das paradas para abastecimento”, comentou Leo, após encarar uma subida de serra até Campos do Jordão (SP).

Continua após a publicidade

Por padrão, os carros flex de Longa Duração são abastecidos somente com etanol, o que agrava ainda mais a questão da autonomia.

Nissan Kicks

O estagiário Guilherme Fontana também dirigiu o Kicks. “Personalizável e repleta de recursos, a central multimídia é intuitiva e fácil de operar, pois tem tela de alta definição, boa resposta tátil e botões físicos”, disse.

Com seis pessoas na equipe de QUATRO RODAS com filhos em idade de uso de cadeira infantil para carros, não faltaram comentários sobre o tema. “O tampão traseiro bipartido facilita o uso do terceiro ponto de fixação (Latch) da cadeirinha. Sem ele, seria necessário abrir a tampa do porta-malas para acessar o ponto de ancoragem traseiro”, diz o editor de Longa Duração, Péricles Malheiros.

Teste (com etanol) – exemplares do Longa Duração
Nissan Kicks Honda HR-V Jeep Renegade
Aceleração de 0 a 100 km/h 12 s 10,7s 13,7 s
Retomada de 40 a 80 km/h (em D) 5,4 s 5 s 6,2 s

Retomada de 60 a 100 km/h (em D)

7,3 s 5,6 s 7,7 s
Retomada de 80 a 120 km/h (em D) 9,3 s 7,4 s 10,8 s
Frenagens de 60 / 80 / 120 km/h a 0 17 / 28,9 / 67,7 m 15 / 25,1 / 61,1 m 17,6 / 31,1 / 71,2 m
Consumo urbano 8,8 km/l 8,2 km/l 6,9 km/l
Consumo rodoviário 10,5 km/l 10,2 km/l 8,1 km/l
Ruído interno (neutro / RPM máximo) 41,4 / 72 dBA 39,4 / 71,3 dBA 44,7 / 69,2 dBA
Ruído interno (80 / 120 km/h) 63,2 / 69,6 dBA 61,5 / 67,4 dBA 59,7 / 67,4 dBA
Nissan Kicks – 1.738 KM
CONSUMO
No mês: 9,2 km/l com 24,9% de rodagem na cidade
Desde setembro de 2016: 9,2 km/l com 24,9% de rodagem na cidade
Combustível: etanol
GASTOS NO MÊS
Combustível: R$ 460
FICHA TÉCNICA
Versão: SL 1.6 16V
Motor: dianteiro, transversal, 4 cil., 1.598 cm³, flex, 114 cv a 5.600 rpm, 15,5 mkgf a 4.000 rpm
Câmbio: automático, CVT, tração dianteira
Publicidade