Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Nissan Kicks: pernas curtas para longas viagens

Após 1.000 km, Kicks de Longa encara nossa pista de testes. A rodagem também trouxe as primeiras impressões dos usuários

Por Péricles Malheiros 11 nov 2016, 14h26
Nissan Kicks - Longa

A regra é clara: todo carro de Longa passa por uma completa bateria de testes em nosso campo de provas, aos 1.000 km e aos 60.000 km – ou seja, na chegada à frota e também na despedida.

Com a quilometragem exigida, o Kicks ganhou não apenas a missão de ir para a pista (veja resultado no quadro comparativo abaixo), mas também uma série de comentários por parte dos sete motoristas que se revezaram ao seu volante.

LEIA MAIS:

>> Longa Duração: a chegada e as primeiras impressões do Kicks

>> Comparativo: Kicks x HR-V x Renegade x Tracker x 2008

>> Longa Duração: o desmonte do Honda HR-V

Entre as críticas negativas, o editor Leo Nishihata e o piloto de testes Eduardo Campilongo – únicos da equipe com rodagem rodoviária no período – chegaram à mesma conclusão: o habitat do Kicks é, definitivamente, a cidade. “Sem piloto automático e apoio de braço central, as viagens ficam cansativas”, disse Edu.

Continua após a publicidade

“O tanque com apenas 41 litros – menos que o do Mobi! – confere baixa autonomia. Com quatro adultos, bagagem e ar-condicionado ligado, a situação piora. Chega a ser arriscado cair na estrada sem uma programação prévia das paradas para abastecimento”, comentou Leo, após encarar uma subida de serra até Campos do Jordão (SP).

Por padrão, os carros flex de Longa Duração são abastecidos somente com etanol, o que agrava ainda mais a questão da autonomia.

Nissan Kicks

O estagiário Guilherme Fontana também dirigiu o Kicks. “Personalizável e repleta de recursos, a central multimídia é intuitiva e fácil de operar, pois tem tela de alta definição, boa resposta tátil e botões físicos”, disse.

Com seis pessoas na equipe de QUATRO RODAS com filhos em idade de uso de cadeira infantil para carros, não faltaram comentários sobre o tema. “O tampão traseiro bipartido facilita o uso do terceiro ponto de fixação (Latch) da cadeirinha. Sem ele, seria necessário abrir a tampa do porta-malas para acessar o ponto de ancoragem traseiro”, diz o editor de Longa Duração, Péricles Malheiros.

Teste (com etanol) – exemplares do Longa Duração
Nissan Kicks Honda HR-V Jeep Renegade
Aceleração de 0 a 100 km/h 12 s 10,7s 13,7 s
Retomada de 40 a 80 km/h (em D) 5,4 s 5 s 6,2 s

Retomada de 60 a 100 km/h (em D)

7,3 s 5,6 s 7,7 s
Retomada de 80 a 120 km/h (em D) 9,3 s 7,4 s 10,8 s
Frenagens de 60 / 80 / 120 km/h a 0 17 / 28,9 / 67,7 m 15 / 25,1 / 61,1 m 17,6 / 31,1 / 71,2 m
Consumo urbano 8,8 km/l 8,2 km/l 6,9 km/l
Consumo rodoviário 10,5 km/l 10,2 km/l 8,1 km/l
Ruído interno (neutro / RPM máximo) 41,4 / 72 dBA 39,4 / 71,3 dBA 44,7 / 69,2 dBA
Ruído interno (80 / 120 km/h) 63,2 / 69,6 dBA 61,5 / 67,4 dBA 59,7 / 67,4 dBA
Nissan Kicks – 1.738 KM
CONSUMO
No mês: 9,2 km/l com 24,9% de rodagem na cidade
Desde setembro de 2016: 9,2 km/l com 24,9% de rodagem na cidade
Combustível: etanol
GASTOS NO MÊS
Combustível: R$ 460
FICHA TÉCNICA
Versão: SL 1.6 16V
Motor: dianteiro, transversal, 4 cil., 1.598 cm³, flex, 114 cv a 5.600 rpm, 15,5 mkgf a 4.000 rpm
Câmbio: automático, CVT, tração dianteira
Continua após a publicidade

Publicidade