Clique e Assine QAUTRO RODAS por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Novo Mercedes EQS tem mais telas que uma casa e potência de esportivo

Modelo pode ter tração integral com dois motores que rendem até 544 cv. A autonomia é de 660 km e ele chega até o fim do ano no mercado americano

Por Joaquim Oliveira Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 20 abr 2022, 11h08 - Publicado em 19 abr 2022, 19h44

Nem sempre ser o primogénito é vantajoso, que o diga o EQS, o primeiro Mercedes nascido com base na nova plataforma elétrica específica da marca alemã, cujo design exterior causou bastante indiferença na imprensa automotiva mundial. 

Assine a Quatro Rodas a partir de R$ 9,90

O Mercedes EQE melhorou essa impressão – porque as suas proporções mais compactas funcionam melhor – e agora posso garantir que o EQS SUV teve uma boa primeira impressão. O design fluido combinou bem com a carroceria mais robusta e mais alta (é 20 cm mais alto do que o EQS sedã). Essa boa impressão pode ser creditada a uma coluna C alargada e a linha de cintura mais ascendente. 

Mercedes-EQ. EQS SUV, X296, 2022
(Divulgação/Mercedes-Benz)

Serão três versões, o SUV EQS básico é o 450+ e usa um único motor elétrico no eixo traseiro que rende até 360 cv e 57,9 kgfm. Logo acima está o 450 4MATIC que possui dois motores elétricos, um em cada eixo, que rendem os mesmos 360 cv, mas o torque é superior chegando a 81,5 kgfm. Essa versão possui ainda a vantagem de ter tração integral.

Causa estranheza o fato das duas versões terem a mesma potência mesmo que a 4MATIC seja equipada com dois motores. A explicação para isso é que a Mercedes preferiu priorizar o rendimento do conjunto de baterias. Essa “limitação” da potência combinada dos dois motores torna a recarga mais rápida e potente. 

Mercedes-EQ. EQS SUV, X296, 2022
(Divulgação/Mercedes-Benz)

A bateria de íons de lítio tem 107,8 kWh (12 módulos de células) com autonomia máxima de 660 km na versão com tração traseira menos potente – e nesse quesito o SUV perde para o sedã que promete autonomia de 743 km. 

Continua após a publicidade

A versão topo de linha é a 580 4MATIC que tem potência combinada de 544 cv e 87,4 kgfm. É notável que em todos os níveis de acabamento, a potência oferecida é ligeiramente superior à do sedã correspondente. 

Mercedes-EQ. EQS SUV, X296, 2022

Segundo a marca, os modelos 4MATIC, têm a função Torque Shift “garante uma distribuição de torque inteligente e continuamente variável” entre os motores elétricos dianteiros e traseiros.

Tal como nos EQS e EQE, são três os níveis de regeneração de energia pela desaceleração: D+ (sem resistência ao rolamento e sem regeneração), D (normal) e D- (regeneração forte), os quais podem ser selecionados por comandos atrás do volante. 

Traseira EQS
(Divulgação/Mercedes-Benz)

Continua após a publicidade

Existe ainda o modo D auto, no qual o assistente Eco vai adaptando a intensidade da regeneração de acordo com a situação do trânsito e da estrada, para a melhor eficiência possível. 

A mesma plataforma

A enorme distância entre-eixos, de 3,21 metros, é igual à do EQS sedã e a arquitetura do suspensão também é muito próxima (independente nas quatro rodas, com quatro braços em cada uma das rodas à frente e multibraços atrás).

Lado EQS
(Divulgação/Mercedes-Benz)

A suspensão pneumática Airmatic e o amortecimento eletrônico variável são de série em todas as versões. As 4MATIC dispõem de um programa adicional para a condução fora de estrada, além de um menu específico na instrumentação para esse tipo de utilização (com bússola, informação de altura ao solo, tração, profundidade ao cruzar a água e uma câmera especial para mostrar o que existe debaixo do SUV). 

Traseira EQS

Em modo offroad, a altura do veículo sobe 25 mm até os 80 km/h e é possível ligar e desligar o controle de estabilidade. Os EQS SUV estão sempre dotados de um eixo traseiro direcional, com que as rodas traseiras giram 4,5 graus para melhorar a estabilidade em altas velocidades e a manobrabilidade em vagas apertas, sendo possível fazer um upgrade do sistema para 10 graus de rotação (disponível over the air, ou seja, remotamente). 

Continua após a publicidade

O que muda por dentro?

Por dentro, um dos destaques é o já famoso hyperscreen MBUX (opcional que custa cerca de 8.000 euros) e a tela gigante (1,41 metros) que se estende por todo o painel.

Interior Mercedes EQS

A instrumentação atrás do volante é de 12,3”, a central multimídia tem 17,7 polegadas e há uma tela diante do passageiro – que lhe dá a possibilidade de ter a sua própria área de controle (incluindo conteúdos dinâmicos que são vedados ao condutor quando este direciona o seu olhar para essa tela, graças ao bloqueio inteligente de uma câmara que monitoriza o olhar e escurece a imagem caso detecte que o condutor está olhando “para onde não deve”). 

Atrás dos encostos de cabeça dianteiros podem estar fixas duas telas para o entretenimento e há ainda um tablet portátil que está acoplado ao apoio de braços central traseiro.

Interior EQS
(Divulgação/Mercedes-Benz)

Os revestimentos incluem materiais de qualidade elevada, em alumínio e madeira. Há ainda a estreia de um tipo de superfície em que pequenas estrelas em alumínio são incrustadas na madeira criando um efeito diferente de tudo o que conhecemos em interiores de automóveis Há duas bandejas de carregamento sem fios para celulares, que se junta uma terceira dentro do encosto de braços da segunda fila.

Continua após a publicidade

A segunda fila de bancos pode avançar/recuar eletricamente até 13 centímetros, de série, o que permite criar um amplo espaço (83 a 96 cm) para pernas para esses passageiros e os encostos podem reclinar eletricamente (14 graus para a frente e 4 para trás). Resulta que o volume do porta-malas pode ir de um mínimo de 645 litros até 880 litros. 

Segunda fileira com entrada USB
(Divulgação/Mercedes-Benz)

Se o cliente optar por comprar a opcional terceira fila de bancos (dois e individuais) continuam a existir 195 litros de porta-malas quando os sete lugares estão ocupados, mas a terceira fila também pode ser rebatida. 

Tive oportunidade de me sentar na segunda fila e o espaço alterna entre enorme e suficiente para um passageiro de 1,80 metros de altura (conforme a posição do assento) – sendo positivo o fato do piso ser totalmente plano, permitindo total liberdade de movimentos para pernas e pés desses passageiros.

Mercedes-EQ. EQS SUV, X296, 2022
(Divulgação/Mercedes-Benz)

É recomendado que os sextos e sétimos passageiros tenham até 1,70 metro em deslocamentos curtos ou até 1,60 m em viagens mais longas. A vida a bordo desses ocupantes é mais agradável por existir uma zona de climatização com regulação própria, entradas USB-C e apoios para copos/latas.

Nada se sabe sobre preços, de momento (apenas que irão começar acima do que custa o EQS sedã mais acessível, ou seja, mais de 111.000 euros), sendo necessário esperar até pouco antes das encomendas serem abertas a partir de julho, com as subsequentes entregas aos clientes acontecendo ainda antes do final de 2022.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.