Clique e assine com até 75% de desconto

Longa Duração: Mitsubishi Outlander tem desgaste alto dos freios traseiros

De acordo com a concessionária que fez a revisão, consumo exagerado de pastilha no freio traseiro é uma característica normal do Outlander

Por Péricles Malheiros 24 abr 2020, 07h00
Outlander foi até Tiradentes (MG) Henrique Rodriguez/Quatro Rodas

Fato cada vez mais raro, o agendamento da revisão de 30.000 km do Outlander não exigiu muito esforço.

“Ao menos na paulistana Brabus, a atendente abriu várias opções de datas e horários”, comentou o piloto de teste Leonardo Barboza, que cuidou da terceira parada do Mitsubishi.

Além da revisão de 30.000 km, pedimos algumas verificações pontuais. “A alça de segurança interna traseira direita estava praticamente solta e uma trepidação na dianteira era sentida nos pedais durante as frenagens”, avisou Leo ao consultor da Brabus.

Como de praxe, pedimos ainda que fossem aplicados os serviços de alinhamento, balanceamento e rodízio. Infelizmente, uma prática que havia quase desaparecido voltou: a empurroterapia.

Ainda que sem forçar demasiadamente a venda, o consultor sugeriu extras como polimento e cristalização de pintura, higienização dos bancos e limpeza do motor.

Por telefone, o consultor deu o resultado da análise do freio: “Os discos dianteiros e traseiros estão ligeiramente empenados, ambos precisam ser retificados. Já as pastilhas traseiras estão bem gastas, não dá para garantir que vão durar até a revisão dos 40.000 km”.

Pela primeira vez na história do Longa Duração, temos um caso de pastilhas traseiras com desgaste mais acelerado do que as dianteiras.

Continua após a publicidade

E ainda ouvimos do consultor da Brabus uma justificativa tecnicamente sem sentido para o consumo exagerado das pastilhas: “É normal no Outlander, uma vez que é um carro muito pesado”.

  • Na verificação dos serviços aplicados pela Brabus, tudo certo: “Todos eles foram feitos a contento, inclusive o rodízio de pneus. Quanto às pastilhas, concordo com o laudo da Brabus. Trocar as traseiras agora poderia ser prematuro, pois talvez elas durem até a revisão de 40.000 km. Mas, como é impossível garantir, vamos acompanhar a cada 2.000 km”, disse o nosso consultor técnico, Fabio Fukuda, da Fukuda Motorcenter.

    Pela revisão, a concessionária Brabus cobrou o valor sugerido no site da Mitsubishi: R$ 1.149. O serviço de alinhamento foi caro: R$ 320.

    Mitsubishi Outlander – 29.802 km

    Ficha técnica:
    Versão: 2.2 Turbodiesel HPE-S
    Motor: 4 cilindros, dianteiro, transversal, 16V, 165 cv a 3.500 rpm, 36,7 mkgf a 7.500 rpm
    Câmbio: Automático de 6 marchas, tração 4×4
    Seguro: R$ 4.744 (Perfil Quatro Rodas)
    Revisões: Até 60.000 km – R$ 7.936
    Gasto no mês: Combustível: R$ 981
    Revisão: R$ 1.149
    Alinhamento: R$ 320
    Consumo: No mês: 14,4 km/l com 42,5% de rodagem na cidade
    Desde set/19: 12,3 km/l com 27,2% de rodagem na cidade
    Combustível: Diesel S10

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da edição de abril da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da edição de abril da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Continua após a publicidade
    Publicidade