Clique e assine por apenas 5,90/mês

Impressões: Audi Q8, menor e mais tecnológico

Com porte inferior ao do Q7, o Audi Q8 é o novo SUV topo de linha, que oferece o máximo em tecnologia e itens de série da marca

Por Gabriel Aguiar, do Atacama (Chile) - 2 ago 2018, 14h43
Audi Q8
Grade dianteira do Q8 pode ser na cor da carroceria, cinza ou preta Divulgação/Audi

Normalmente, pensamos que os carros mais caros (e luxuosos) de cada fabricante também são os maiores. E, boa parte das vezes, é até verdade, mas a história muda com o Q8. Isso porque, mesmo 6 cm menor que o Q7, a novidade servirá de vitrine – assim como A8 e R8 – para a Audi mostrar o que há de melhor.

Se não é tão difícil encontrar quem ache os carros da marca parecidos, agora essa opinião deverá mudar. Comparado aos irmãos, o SUV recebeu faróis incorporados à grade, lanternas integradas e caixas de rodas parrudas.

Audi Q8
Lanternas são inspiradas no clássico Audi Sport Quattro Divulgação/Audi

A inspiração, pasmem, foi o Audi Sport Quattro, conceito esportivo de 2013. É verdade que a silhueta lembra um Q3 meio bombado, só que pessoalmente o carro impressiona.

Não existirá nenhuma opção movida só a gasolina ou a diesel. Em vez disso, o modelo recebeu um sistema híbrido de 48V para auxiliar o motor a combustão em algumas situações, como frenagens e velocidades de cruzeiro.

Audi Q8
Jeito de carro-conceito: há opções de rodas aro 19 a 22 Divulgação/Audi

Isso significa que não há um motor elétrico para atuar sozinho na cidade, por exemplo, como acontece com Toyota Prius e Volvo XC90 T8.

No Brasil, teremos apenas a versão mais potente (até o todo-poderoso RS Q8 ser revelado), que chegará às lojas no fim da primeira metade de 2019.

Audi Q8
Faróis de leds são divididos e luz alta fica na parte inferior Divulgação/Audi

E, até agora, a Audi só antecipou que o motor V6 3.0 turbo com injeção direta de gasolina terá 340 cv, mas o desempenho continua sob sigilo.

Ao menos dá para prever a velocidade máxima limitada aos 250 km/h, como boa parte da “santíssima trindade” alemã, que inclui BMW e Mercedes.

Continua após a publicidade
Audi Q8
A pequena bateria de íons de lítio do sistema híbrido de 48V fica sob o assoalho do porta-malas Divulgação/Audi

E se estamos acostumados à ideia de SUVs passeando em shoppings, a Audi escolheu o cenário oposto para colocarmos à prova o Q8: o Deserto do Atacama, no Chile, um dos lugares mais extremos do planeta.

Surpreendem os bancos dianteiros bem próximos do assoalho, como em sedãs e cupês de alto rendimento,  bem como a direção com assistência elétrica de respostas rápidas.

Audi Q8
Ar-condicionado de quatro zonas, quadro de instrumentos digital, central multimídia e comandos por voz são itens de série Divulgação/Audi
Audi Q8
Trilho permite modular espaço para pessoas e porta-malas Divulgação/Audi

Como candidato a esportivo, a novidade pode não passar tanta credibilidade – afinal, são quase 5 metros de comprimento, que passam das 2 toneladas em ordem de marcha. Mas basta escolher o modo de condução mais agressivo para mudar a personalidade do grandalhão.

Se na opção econômica, Efficiency, o Q8 desliga o motor abaixo de 22 km/h para aproveitar o embalo e economizar combustível, na Dynamic há mais fôlego para retomadas e ultrapassagens.

Para quem só busca vida mansa, há uma série de radares, lasers, câmeras 360º e sensores ultrassônicos para controlar a condução semiautônoma.

Audi Q8
Há sensores para controlar marcha a ré com trailer Divulgação/Audi

Quer assumir a direção? Então, o SUV recompensa você com suspensão a ar e três níveis de altura (até um modo off-road), rodas traseiras que esterçam 5º para dar agilidade e facilitar balizas, além da tração integral com distribuição variável de força.

Audi Q8
São 22 cm de solo, mas suspensão a ar varia até 9 cm Divulgação/Audi

De série, há ar-condicionado de quatro zonas, bancos dianteiros com ajustes elétricos e memória, quadro de instrumentos digital, central multimídia com 10,1 polegadas e comandos por voz, logo acima da tela destinada aos controles de ventilação. O modelo também “conversa” com outros carros para prever condições de trânsito e placas de sinalização.

Audi Q8
Boa parte dos botões da cabine foi substituída por telas sensíveis ao toque, que respondem com vibração aos comandos Divulgação/Audi

Na Europa, o Q8 custará € 78.000, o que representa 52 meses de trabalho (e nenhum gasto) para um alemão com salário mínimo de € 1.498.

No Brasil, o grandalhão deverá sair por R$ 500.000, o que representa 524 vezes – ou 43 anos – o salário mínimo brasileiro de R$ 954. Sem dúvidas, será um privilégio para poucos, mas não faltam itens e tecnologias que justifiquem cada real gasto para colocar a novidade na garagem.

Ficha técnica – Audi Q8

  • Preço: R$ 500.000
  • Motor: híbrido parcial, V6 gas., diant., DOHC, 24V, turbo, injeção direta, 2.995 cm3; 84,5 x 89 mm, 11:2, 340 cv a 5.000 rpm, 51 mkgf a 1.370 rpm
  • Câmbio: automático, 8 marchas, tração dianteira
  • Suspensão: Multilink nos dois eixos
  • Freios: disco ventilado nas quatro rodas
  • Direção: elétrica
  • Rodas e pneus: liga leve, 285/45 R21
  • Dimensões: comp., 498,6 cm; largura, 199,5 cm; altura, 170,5 cm; entre-eixos, 299,5 cm; peso, n/d; tanque, 85 l; porta-malas, 605 l
  • Desempenho: 0 a 100 km/h n/d; velocidade máxima, 250 km/h, limitada eletrônicamente.
Continua após a publicidade
Publicidade