Clique e assine com até 75% de desconto

Hyundai HB20X

Fórmula genérica aplicada ao Hyundai diminui o efeito inovador do HB20

Por Ulisses Cavalcante | fotos: Christian Castanho Atualizado em 9 nov 2016, 02h09 - Publicado em 18 mar 2013, 18h03
impressoes

A Hyundai mostrou que é boa de química. É dela a descoberta do composto HB20, uma fórmula coreano-brasileira capaz de atrair massas às concessionárias. Mesmo com uma fila de espera de até 120 dias para algumas versões, a empresa já promoveu variações na fórmula. Com o HB20X, a receita emula um cheiro de aventura no mato que pretende atiçar o olfato dos proprietários de CrossFox, Sandero Stepway e, por que não, os que consideram um Fit Twist.

Assim como seus rivais, a química da novidade funciona mesmo é no asfalto. O ingrediente X faz efeito só na aparência e, vale dizer, está longe de ser original. A Fiat domina o tempero que trouxe ao Brasil em 1999. O resultado da mistura, que já havia se tornado um clássico, virou genérico: dois dedos de aumento na altura e um punhado de apliques de plástico sem pintura nos para-choques, além de uma moldura do mesmo material contornando as caixas de roda e as laterais.

Quem realmente precisa de algum talento adicional para enfrentar pisos ruins, não deve esperar ajuda do HB20X. Sua carroceria ficou 4 cm mais distante do solo, o que até colabora para evitar uma valeta ou outra, mas nada além disso. Para deixá-lo mais alto, a Hyundai aumentou a extensão das molas e trocou os pneus por uma medida ligeiramente maior. Saiu o 185/60 R15 do HB20 “normal” e entrou o 195/65 R15.A troca dos calçados colaborou para melhorar a maciez de rodagem, com o ônus de aumentar a rolagem da carroceria em curvas, mas não seria justo dizer que a estabilidade ficou prejudicada. A unidade testada estava equipada com o Pirelli P7, voltado ao uso no asfalto. Por isso, para não errar na dose de terra, é fácil: vá somente onde qualquer outro carro comum consegue ir. “Nem cogitamos o uso de pneus de uso misto, pois isso não traria benefícios estéticos nem de aplicação aos clientes”, diz Rodolfo Stopa, gerente de produto da Hyundai.

Na dianteira, o para-choque exclusivo faz uma nova leitura do HB20, preservando as feições do que a marca chama de “escultura fluida”. A grade trapezoidal do HB20X ficou destacada, com textura que lembra escamas, enquanto o design anterior guarda um visual alargado por causa de três aletas horizontais. A placa não saiu do lugar, mas agora é presa diretamente na grade, não mais na área pintada na cor do veículo. Falando em pintura, a cor marrom metálica passou a ser exclusiva da linha aventureira. Atrás, também é o para-choque que caracteriza o modelo. Ele recebeu um vinco nas laterais e uma moldura preta que envolve a placa. O aplique fosco se estende pela lateral, sobe as caixas de roda, e se une ao para-choque dianteiro, como se fosse uma proteção.

Por dentro não há diferenças. Todas as novidades apresentadas no HB20X serão aplicadas no HB20. Ele começa a ser entregue às concessionárias como linha 2014, bem como a configuração “normal”. As saídas de ar passaram a ser contornadas por um anel plástico de cromo fosco. As capas dos pedais agora são de alumínio e, na versão automática, há iluminação de fundo na cor azul. Houve um upgrade no sistema de som, mas o pequeno avanço mostra que há espaço para evoluir. Embora não haja opcionais para o hatch, o comprador precisará escolher a cor e o tipo de equipamento de áudio. O primeiro é um aparelho Bluetooth, que permite comandar o celular por meio de um botão no volante. Tem entrada auxiliar e porta USB, mas não possui CD player. A outra opção é ficar com o CD, abrindo mão do Bluetooth. Hyundai, que tal um som que faça tudo isso?

O HB20X será vendido nas versões Style e Premium, ambas com possibilidade de vir com transmissão manual ou automática, mas apenas com motor 1.6 16V de 128 cv – equivalem às versões Comfort Style e Premium do irmão sem X. Com as alterações, a diferença de preço pode não ser tão grande, mas a opção deve ser analisada pelos que buscam efeito mais psicológico que visual.

VEREDICTO

Sem preço final não é possível dizer se os acessórios de estilo compensam o extra. Não espere atributos off-road, mas os 4 cm a mais de vão-livre ajudam a evitar algumas valetas no caminho.

Continua após a publicidade
Publicidade