Clique e assine por apenas 5,90/mês

Comparativo: quando o Fiat Marea Turbo enfrentou o VW Golf GTI – e venceu

Os turbinados nacionais mais cobiçados do início dos anos 2000 se enfrentaram numa disputa de levantar poeira

Por Vagner Ambrosio - 11 out 2020, 09h51
Marea 2.0 turbo, da Fiat, e Golf 1.8 GTI, da Volkswagen. Teste comparativo entre o Marea 2.0 Turbo, da Fiat, e o Golf 1.8 GTI, da Volkswagen. Ricardo Rollo/Quatro Rodas

Publicado originalmente em março de 2000

Os dois têm personalidades cativantes. E aparentemente opostas. Um é o típico herdeiro do estilo italiano, de desenho mais elaborado, com detalhes que primam pelo capricho. O outro representa a escola alemã, de design sóbrio, linhas limpas.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine por apenas R$ 8,90

Em muitos pontos, porém, eles convergem. Ambos são feitos no Brasil, têm sangue quente e mexem com a emoção, pelo simples fato de serem turbinados. O Fiat Marea 2.0 Turbo e o Volkswagen Golf 1.8 GTI fazem parte de um clube restrito: são carros para gente que adora esportivos.

No quesito preço, eles também estão quase emparelhados. O Marea custa R$ 46.402 e o Golf, R$ 42.045. Para avaliar qual é o mais apimentado, QUATRO RODAS colocou o sedã da Fiat e o hatch da Volks lado a lado, em três provas. Duas para descobrir o que tem melhor desempenho e outra para saber qual o mais seguro, claro, na hora de parar. Afivele o cinto e prepare-se para grudar no assento do piloto.

Tira-teima de 0 a 100 km/h

O Marea dispara na frente e faz valer seus 182 cavalos, contra os 150 cv do Golf. Mas a diferença de tempo é de apenas 73 centésimos (menos de 1 segundo, portanto) em favor do modelo da Fiat. Na largada, ponto sempre crítico para carros muito potentes, já que as rodas podem patinar, os modelos mostraram boa aderência.

No Golf, você quase não percebe quando o turbo entra em funcionamento, a 1.750 rpm. No Marea, sente-se um empurrão quando o tacômetro chega aos 2.750 giros. Mas ambos chegam aos 100 km/h em segunda marcha. A sensação é gostosa e faz a adrenalina subir, enquanto eles ganham velocidade.

Pé no freio a 100 km/h

Para motores fortes, freios fortes. Tanto Golf quanto Marea trazem sistema de freios redimensionados em relação às suas versões aspiradas. Eles têm pinças maiores e discos mais largos, o que aumenta a força da frenagem. Ambos contam com ABS.

A versão turbo do Marea só existe no Brasil e foi lançada em 1998 Ricardo Rollo/Quatro Rodas

Para imobilizar de vez o Marea, andando a 100 km/h, foram necessários 43,9 metros. E mais uma vez o modelo da Fiat se revelou melhor. Precisou de 1,8 metro a menos que o Golf para estancar. O carro da Volks freou em 45,7 metros. Nenhum dos dois saiu da trajetória ou travou as rodas de vez, graças, é claro, ao ABS.

Continua após a publicidade

A toda velocidade

Chegou a hora de descobrir a velocidade máxima dos turbos. Na pista, o ponteiro do velocímetro do Marea sobe rapidamente, até bater na marca dos 219 km/h. Lançado em dezembro de 1998, o modelo da Fiat, com seu motor 2.0, de 20 válvulas, confirma: é o carro brasileiro mais veloz.

Em nenhum momento deu a impressão de que poderia sair da trajetória, e se comportou bem dentro da pista de 4.300 metros – circular, mas desenhada para funcionar como uma reta infinita.

Depois que passa dos 160 km/h, o Golf, que ganhou nacionalidade brasileira em agosto de 1999, começa a perder fôlego: o ponteiro do velocímetro vai se deslocando lentamente. Mas ainda assim seu motor de 1,8 litro e 16 válvulas leva-o à marca dos 207 km/h. Na pista, também se mostrou dócil, sem apresentar dificuldade para ser controlado.

Em que pese a supremacia do Marea, uma coisa é certa: se você curte aceleração e velocidade, um e outro são diversão garantida.

 

Ficha técnica (dados de fábrica): Marea Turbo

Motor: dianteiro, transversal, cinco cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro, turbo e intercooler; Cilindrada: 1997,5 cm3; Taxa de compressão: 8,5:1; Potência: 182 cv a 6000 rpm; Potência específica: 91,2 cv/litro; Torque: 27,0 kgfm a 2750 rpm
Suspensão: dianteira independente, braços oscilantes, amortecedores telescópicos e molas helicoidais; traseira independente, braços oscilantes, amortecedores pressurizados e molas helicoidais
Freios: ABS, disco ventilado (diant.) e disco rígido (tras.)
Pneus: 195/60 R15
Rodas: de liga leve, 6,5 x 15
Câmbio: mecânico de cinco marchas
Dimensões e Capacidades: Porta-malas: 430 litros; Tanque: 63 litros; Peso: 1310 kg; Altura: 1450 mm; Largura: 1741mm; Entre-eixos: 2540 mm; Comprimento 4393 mm
Preço: R$ 46.402 (R$ 222.741 – IGP-M, setembro de 2020)

Fabricado desde 1974, o Golf GTI começou a ser importado da Alemanha em 1994. Em 1998, passou por uma reestilização. Desde agosto de 1999 está sendo fabricado no Brasil Ricardo Rollo/Quatro Rodas Ricardo Rollo/Quatro Rodas

Ficha técnica (dados de fábrica): Golf GTI

Motor: Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, turboalimentado; Cilindrada: 1781 cm3; Taxa de compressão: 9,5:1; Potência: 150 cv a 5700 rpm; Potência específica: 84 cv/litros; Torque: 21,4 kgfm a 1750 rpm
Suspensão: dianteira independente, tipo MacPherson, com braços triangulares transversais, amortecedores telescópicos;  traseira eixo de torção, com barra estabilizadora, amortecedores telescópicos
Freios: ABS, disco ventilado (diant.) e disco (tras.)
Pneus: 195/65 R15
Rodas: de liga leve, 6 J x 15
Câmbio: mecânico de cinco marchas
Dimensões e Capacidades: porta-malas: 330 litros; tanque: 55 litros; peso: 1274 kg; altura: 1439 mm; largura: 1735 mm; entre-eixos: 2511 mm; comprimento: 4149 mm
Preço: R$ 42.045 (R$ 201.826 – IGP-M, setembro de 2020)

Acervo/Quatro Rodas
Acervo/Quatro Rodas

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Continua após a publicidade
Publicidade