Clique e assine por apenas 5,90/mês

Clássico alemão: BMW M3 x Mercedes-AMG C 63 S

BMW e Mercedes são concorrentes, mas cada um usa armas distintas para conquistar o consumidor e derrotar o rival

Por Paulo Campo Grande - Atualizado em 15 mar 2018, 14h09 - Publicado em 6 abr 2016, 21h03
Esportivos são versões de sedãs consagrados: Série 3 e Classe C
Esportivos são versões de sedãs consagrados: Série 3 e Classe C Marco de Bari/Quatro Rodas

Eis duas lendas: de um lado, BMW M3, versão do sedã da Série 3 feita pela divisão de competição da fábrica, a Motorsport. Lançado em 1985, ele está na quinta geração.

De outro, o Mercedes-AMG C 63 S, derivado da Classe C, feito desde 1993, quando a AMG era apenas uma preparadora independente. A AMG foi comprada em 1990 e hoje tem status de marca dentro do guarda-chuva da Daimler. O C 63 está na quarta geração.

Eu teria fácil qualquer um dos dois em minha garagem. Mas, aqui, meu desafio é apontar o melhor. Então, lá fomos nós para a pista levando uma grande lupa no bolso.

Examinando as fichas técnicas, o Mercedes enche os olhos com seu V8 4.0 biturbo de 517 cv, enquanto o BMW apresenta um seis-em-linha 3.0 biturbo com 437 cv.  No torque, o Mercedes também impressiona: 71,4 mkgf (de 1.750 a 4.500 rpm) contra os 56,1 mkgf do BMW (entre 1.850 e 5.500 rpm). O motor do M3 está longe de ser fraco, mas o do Classe C gera um volume de força consideravelmente maior.

O Mercedes tem motor V8 de 517 cavalos e 71,4 mkgf
O Mercedes tem motor V8 de 517 cavalos e 71,4 mkgf Marco de Bari/Quatro Rodas
BMW vem com um 6 cilindros de 437 cavalos e 56,1 mkgf
BMW vem com um 6 cilindros de 437 cavalos e 56,1 mkgf Marco de Bari/Quatro Rodas

O Mercedes-AMG tem duas versões: a C 63 (com 483 cv) e a C 63 S, esta mostrada aqui. Na pista, porém, essa superioridade do Mercedes não lhe garantiu números melhores nos testes: nas arrancadas de 0 a 100 km/h, ele levou 4,6 s e o rival cravou 4,5 s.

Continuando a acelerar, o Mercedes levou 23,8 s para vencer o primeiro quilômetro, atingindo a velocidade de 225,8 km/h. O BMW foi mais rápido de novo: gastou 22,6 s, chegando a 241,8 km/h.

A velocidade máxima de ambos é limitada eletronicamente em 250 km/h. Mas a BMW libera mudanças no mapeamento do motor que permitem chegar aos 280 km/h.

Até no consumo, o BMW se saiu melhor. O M3 terminou com as médias de 7,7 km/l na cidade e 12 km/l na estrada. O C 63 S ficou com 6,3 km/l e 9,1 km/l, respectivamente.

Velocidade máxima do C 63 é limitada a 250 km/h
Velocidade máxima do C 63 é limitada a 250 km/h Marco de Bari/Quatro Rodas
Sem limitador, M3 chega a 280 km/h
Sem limitador, M3 chega a 280 km/h Marco de Bari/Quatro Rodas

Uma explicação para esses resultados de testes pode ser dada pela transmissão. Os dois carros têm câmbio automatizado de sete marchas. Mas o do BMW está mais bem escalonado e também se mostrou mais rápido nas trocas.

Mas essa não é a única razão. O Mercedes foi traí­do pela balança. Ele pesa 1.743 kg, contra os 1.520 kg do concorrente. Essa gordura literalmente pesou para o motor aproximando as relações peso/potência e peso/torque dos carros.

Ponto para a Motorsport, que submeteu o M3 a um processo que, segundo ela, retirou 80 kg do modelo, na comparação com seu antecessor. A dieta foi baseada em materiais leves: alumínio (suspensão e capô), magnésio (cárter), e fibra de carbono (cardã e teto).

A AMG também tentou emagrecer. Mas foi menos rigorosa e comprometida. Ela fez somente uso de alumínio, em partes da suspensão e no capô, e perdeu a linha na quantidade de equipamentos.

O grande número de recursos não foi de todo ruim, no entanto, porque o C 63 S perdeu fôlego, mas ganhou, por exemplo, melhor dirigibilidade. Até aqui, o M3 estava em vantagem no comparativo, porém o C 63 reagiu ao se comportar de forma mais equilibrada, tanto na pista quanto no dia a dia.

O Mercedes-AMG é um carro mais previsível, que contorna melhor e consegue sair mais rápido das curvas. O BMW, ao contrário, é arisco e exige um pouco do motorista. Ao volante do M3, senti como se ele fosse um carro de corrida ajustado para outra pessoa. E independentemente dessa percepção, a posição de dirigir do M3 não é tão boa, em razão de o volante estar desalinhado (para a direita) em relação a banco e pedais.

O AMG tem acabamento luxuoso, com couro, alumínio e fibra de carbono
O AMG tem acabamento luxuoso, com couro, alumínio e fibra de carbono Marco de Bari/Quatro Rodas
Volante do BMW é um pouco desalinhado em relação aos pedais
Volante do BMW é um pouco desalinhado em relação aos pedais Marco de Bari/Quatro Rodas

Concepções diferentes

Os dois têm suspensão ativa e independente, tração traseira com bloqueio eletrônico do diferencial e direção elétrica com assistência variável. Mas o Mercedes se destaca com maior número de ajustes nos programas de condução (que regulam as respostas de direção, suspensão, câmbio e motor – incluindo o ronco do escapamento).

O C 63 S tem cinco opões: Controlled Efficiency (privilegia conforto) Gliding Function (economia), Sport e Sport+ (desempenho) e Race (permite diferentes configurações segundo a preferência do motorista). O M3 só tem três: Comfort, Sport e Sport+.

O conteúdo dos sedãs reforça a disparidade de conceitos entre as marcas – que as versões preparadas tornam ainda mais evidente. Pelos modos de condução, fica claro que o BMW privilegia a esportividade, enquanto a Mercedes considera também os outros aspectos.

Continua após a publicidade

No modo conforto, o Classe C apresenta de fato comportamento confortável. Ao contrário do Série 3, que mesmo no Comfort mostra a suspensão firme e a direção direta.

Apesar das características esportivas, o C 63 S pode rodar de maneira bem confortável
Apesar das características esportivas, o C 63 S pode rodar de maneira bem confortável Marco de Bari/Quatro Rodas
Menos potente, mas com peso menor, o M3 foi mais rápido que o Mercedes na pista
Menos potente, mas com peso menor, o M3 foi mais rápido que o Mercedes na pista Marco de Bari/Quatro Rodas

Outro sinal nesse sentido é dado pelo ESP. No BMW, há duas possibilidades de uso: On e Off. Sendo que, ligado, o sistema do M3 tem limites bem mais tolerantes que em um Série 3 convencional. O Mercedes, por sua vez, conta com três padrões: On (tão cauteloso quanto o de um C 200), Sport e Off.

Com a mesma determinação, a Mercedes também usou todo seu estoque de equipamentos de segurança no C 63 S. Além de seis airbags (frontais, laterais e de cabeça), sensor de chuva, sensor de estacionamento, faróis de led, câmera 360 graus e head-up display (também presentes no BMW), só o Mercedes conta com airbag de joelho para o motorista, sensor de pressão dos pneus, Attention Assist (alerta de fadiga) e Neck Pro (apoios de cabeça ativos).

O M3 tem o Active Protection, um sistema que antecipa as situações de perigo similar ao Pré-Safe do C 63, porém mais completo, graças à integração com o sistema ConnectedDrive, que interliga os diferentes dispositivos do carro (ESP, piloto automático, câmeras e cintos de segurança).

Em matéria de conectividade, a BMW está à frente da Mercedes no Brasil. O pacote eletrônico do Série 3 inclui acionamento de diversas funções do veículo via smartphone, serviços de assistência remota, chamadas de emergência, informações do trânsito em tempo real e serviço de concierge.

C 63 S não abre mão das comodidades para o motorista e passageiros
C 63 S não abre mão das comodidades para o motorista e passageiros Marco de Bari/Quatro Rodas
Apesar dos luxos, M3 dá a sensação de um carro de corrida
Apesar dos luxos, M3 dá a sensação de um carro de corrida Marco de Bari/Quatro Rodas

Almoço grátis

Em relação ao conforto, há diferenças pontuais. O Classe C tem teto solar panorâmico e requintes como coxins de motor ativos (que obedecem ao sistema de ajuste dos modos de direção, dosando o nível de ruído e vibração passado à carroceria).

No acabamento, a BMW tem visual mais despojado, com painel revestido com detalhes em fibra de carbono. E a Mercedes opta por um estilo mais luxuoso, usando alumínio, couro e fibra de carbono, e um relógio no console com design da grife suíça IWC.

Relógio da marca suíça IVC no console dá o toque de tradição e requinte
Relógio da marca suíça IVC no console do C 63 dá o toque de tradição e requinte Marco de Bari/Quatro Rodas
No M3, o foco é a performance: retrovisores possuem desenho aerodinâmico
No M3, o foco é a performance: retrovisores possuem desenho aerodinâmico Marco de Bari/Quatro Rodas

Como não existe almoço grátis, depois do processo de engorda, o AMG não ficou apenas mais pesado, mas também mais caro. Enquanto o M3 sai por R$ 437.950, o C 63 S custa R$ 551.900. A diferença de preço é grande, mais precisamente R$ 113.950.

Em compensação, o Mercedes-AMG entrega mais em equipamentos de série, nível de sofisticação e, neste confronto, também se saiu melhor em dirigibilidade, segurança e vida a bordo.

Avaliação do editor

Motor e Câmbio – O Classe C tem o motor maior e mais potente, mas, na pista, o Série 3 se saiu melhor em acelerações e retomadas e ainda gastou menos, nas medições de consumo urbano e rodoviário.

Dirigibilidade – O diâmetro de giro do AMG é de 11,3 m, e o do M3 é de 12,2 m. O AMG é mais dócil, equilibrado e previsível, enquanto o M3 é mais arisco e exige mais do motorista.

Segurança – O Mercedes vem com airbag de joelhos, sensor de pressão dos pneus, Attention Assist (alerta de fadiga) e Neck Pro (apoios de cabeça ativos) e o Pre-Safe. O M3 tem o sistema Active Protection (ligado ao ConnectedDrive.

Seu bolso – Ambos contam com dois anos de garantia de fábrica. Mas o preço R$ 117.050 menor garante ao BMW uma relação custo-benefício mais atraente que a do rival.

Conteúdo – Mais bem equipado que o BMW, o Mercedes tem teto solar panorâmico, relógio IWC no console e acabamento luxuoso, com couro, alumínio e fibra de carbono, no painel.

Vida a bordo – Dono da melhor posição de dirigir, o C 63 S tem um modo Comfort que é verdadeiramente confortável. O BMW M3 tem ajustes sempre mais firmes.

Qualidade – Os dois sedãs usam de materiais de boa qualidade, em peças bem confeccionadas e soluções técnicas avançadas.

Por fora, há mais detalhes em carbono e rodas aro 19
Mercedes tem detalhes em carbono e rodas aro 19 Marco de Bari/Quatro Rodas
As frenagens do M3 também foram melhores que as do AMG
Discos de freio do BMW são perfurados: melhores frenagens Marco de Bari/Quatro Rodas

Veredicto QUATRO RODAS

O Mercedes-AMG é mais caro, mas se apresentou como dono do melhor conjunto, podendo ser usado em todas as situações. Mais barato, o BMW é mais rápido e consegue entregar agressividade e dinâmica viscerais. Ou seja: dois sedãs esportivos alemães para públicos bem distintos.

 

Teste de pista (com gasolina)

Mercedes-AMG C 63 S BMW M3
ACELERAÇÃO
de 0 a 100 km/h: 4,6 s 4,5 s
de 0 a 1.000 m: 23,8 s – 225 km/h 22,6 s – 241,8 km/h
VELOCIDADE MÁXIMA: 250 km/h (dado de fábrica) 250 km/h (dado de fábrica)
RETOMADAS
de 40 a 80 km/h (em D): 2,5 s 2 s
de 60 a 100 km/h (em D): 2,5 s 2 s
de 80 a 120 km/h (em D): 3,1 s 2,8 s
FRENAGENS
60 / 80 / 120 km/h a 0: 16,7 / 25,7 / 58,5 m 15,6 / 25,8 / 56,9 m
CONSUMO
Urbano: 6,3 km/l 7,7 km/l
Rodoviário: 9,1 km/l 12 km/l
RUÍDO INTERNO
Neutro / RPM máximo: 45,3 / 72,3 dBA 45,3 / 83,5 dBA
80 / 120 km/h: 62,1 / 67,8 dBA 66,7 / 71,3 dBA
AFERIÇÃO
Velocímetro real a 100 km/h: 98 km/h 97 km/h
Rotação do diferencial a 100 km/h em 5ª marcha: 1.600 rpm 1.750 rpm
SEU BOLSO
Preço: R$ 555.000 R$ 437.950
Garantia: 2 anos 2 anos
Concessionárias: 47 51
FICHA TÉCNICA
Mercedes-AMG C 63 S BMW M3
Motor: gasolina, diant., long., V8., 32V, injeção direta, biturbo, 3.982 cm³, 93,0 x 92 mm, 10,5:1, 517 cv a 5.500 rpm, 71,4 mkgf entre 1.750 rpm e 4.500 rpm gasolina, diant., long., 6 cil. em linha, 24V, injeção direta, comando de válvulas variável, coletor de admissão variável, biturbo, 2.979 cm³, 89,6 x 84 mm, 10,2:1, 437 cv a 5.500 rpm, 56,1 mkgf entre 1.850 e 5.500 rpm
Câmbio: automatizado, sete marchas, tração traseira, diferencial autoblocante automatizado, sete marchas, tração traseira, diferencial autoblocante
Direção: elétrica, 11,3 m (diâmetro de giro) elétrica, 12,2 m (diâmetro de giro)
Suspensão: multilink nos dois eixos McPherson (diant.), multilink (tras.)
Freios: discos ventilados nas quatro rodas discos ventilados e perfurados nas quatro rodas
Pneus: 255/35 R19 (diant.), 265/35 R19 (tras.) 255/350 R19 (diant.), 275/35 R19 (tras.)
Peso: 1.734 kg 1.520 kg
Peso/potência: 3,4 kg/cv 3,5 kg/cv
Peso/torque: 24,3 kg/mkgf 27,1 kg/mkgf
Dimensões: comprimento, 475,5 cm; largura, 184 cm; altura, 142,5 cm; entre-eixos, 284 cm; tanque de combustível, 66 l comprimento, 467,1 cm; largura, 187,7 cm; altura, 142,4 cm; entre-eixos, 281,2 cm; tanque de combustível, 60 l
Equipamentos de série: sensores de estacionamento, chuva e pressão dos pneus, bancos elétricos para motorista e passageiro, ar-condicionado, central multimídia, faróis de led direcionais, câmera 360, piloto automático, head- up display, airbag de joelhos, teto solar, sensores de estacionamento e chuva, banco elétrico para o motorista, ar-condicionado, central multimídia, faróis de led, câmera 360, piloto automático, head-up display, Active Protection.
Continua após a publicidade
Publicidade