Assine QUATRO RODAS por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Citroën Aircross: urbano e inteligente

Aircross ganha duas novas versões de entrada, que aposentam o C3 Picasso. Ambas têm motor 1.5 e guardam o estepe no lugar certo: dentro do porta-malas

Por Ulisses Cavalcante
Atualizado em 23 nov 2016, 20h49 - Publicado em 25 mar 2016, 12h00
Citroën Aircross
Aircross tirou C3 Picasso de linha (Marco de Bari/Quatro Rodas)

A relação dos brasileiros com o estepe é curiosa: por aqui, todo carro é obrigado a carregar um. E o pesado objeto é frequentemente alvo de roubos e furtos, fomentando um mercado de rodas e pneus sobressalentes. Além disso, o trambolho aumenta a massa suspensa do carro e consome um espaço que poderia ser usado para carregar coisas. Nós deveríamos odiar o estepe.

Mas estranhamente a gente gosta dele. Tanto que o pneu extra pendurado na traseira virou moda, um símbolo de aventura. Em 2003, com a estreia do EcoSport, carregar um estepe atrás passou a ser a referência do segmento. E com o Aircross, a Citroën aderiu à mania nacional, bolando um mecanismo para permitir a abertura do porta-malas e o transporte da quinta roda do lado de fora.

Continua após a publicidade

O problema da engenhoca, assim como ocorre no CrossFox, é a dificuldade de usar. São quatro etapas só para abrir o bagageiro. E o seguro fica mais caro, pois a estrutura de aço complica e encarece os reparos.

Citroën Aircross
Versões Start e Live escondem o estepe ()

Felizmente, moda é passageira. E a Citroën é a primeira marca a abolir o estepe do lado de fora em seu modelo pseudoaventureiro – pelo menos de forma parcial. As novas versões de entrada do Aircross (Start e Live) vêm com o estepe guardado no lugar adequado: dentro do porta-malas.As duas novas configurações básicas também passam a vir com o motor 1.5 e menos equipamentos. Essas providências diminuíram o preço do carro e tiraram de linha o C3 Picasso. Mais barato, o Aircross parte de R$ 49.990 (Start), mas chega a R$ 53.990 na versão Live manual.

Continua após a publicidade

Em nosso teste, o modelo equipado com propulsor 1.5 (93/89 cv e 14,2/13,5 mkgf) mostrou boas qualidades no uso urbano. A direção elétrica é leve nas manobras e o tamanho comedido (409,7 cm de comprimento e 176,7 de largura) mostra-se adequado na cidade.

Outra vantagem é a altura (169,4 cm). Motorista e passageiros sentam-se em posição elevada e contam com uma generosa área envidraçada. Na cabine, os viajantes só vão sentir falta de nichos para objetos, pois os compartimentos do console e do painel  são insuficientes e pouco práticos. O porta-malas é espaçoso (403 litros), comparável ao de um sedã de porte semelhante, e conta com o rebatimento bipartido dos bancos traseiros, recurso que aumenta o volume do bagageiro para 1.500 litros.

Citroën Aircross
Cinco saídas de ar ajudam a refrescar a cabine, mas faltam nichos para carregar objetos ()

Já a suspensão elevada e os pneus de uso misto Pirelli Scorpion (195/55 R16) tornam o Citroën quase imune a valetas e imperfeições do asfalto. Mas não se engane: essa combinação não credencia o franco-brasileiro a enfrentar terrenos muito acidentados. E só a versão Live tem rodas de liga – a Start utiliza rodas de aço e calotas.

Citroën Aircross
Versões de entrada têm o pneu reserva no fundo do porta-malas ()

De série, o Aircross Live vem com ar-condicionado manual, travas e vidros elétricos, liga leve de 16 polegadas, rádio com Bluetooth e USB, luzes diurnas de led e computador de bordo. O modelo igual ao das fotos custa RS 56.780, pois inclui os dois opcionais possíveis: pintura metálica (R$ 1.390) e sistema multimídia com tela touch de 7 polegadas (R$ 1.400).

Continua após a publicidade

Também é possível optar pelo câmbio automático com trocas de marcha atrás do volante, por R$ 3.600 adicionais. Porém, essa transmissão só pode ser combinada com o propulsor de 1,6 litro (122/115 cv). As versões mais baratas do Aircross são as melhores opções de compra do modelo. Bons exemplos de uma velha crença: menos é mais.

VEREDICTO

As versões Star e Live têm pacote de equipamentos e preços coerentes com a proposta do carro. É um bom veículo familiar.

Ficha Técnica
Preço R$ 53.990
Motor flex, diant., transv., 4 cil., 1.449 cm3, 8V, 93/89 cv a 5.500 rpm, 14,2/13,5 mkgf a 3000 rpm
Câmbio manual, cinco marchas, tração dianteira
Suspensão independente McPherson (diant.), eixo de torção (tras.)
Freios disco vent. (diant.], tambor [tras.)
Rodas e pneus liga leve, 195/55 R16
Dimensões comprimento 409,7 cm; altura 169,4 cm; largura 176,7 cm; entre-eixos 254,2 cm; peso, 1.229 kg; porta-malas 403 l; tanque 55 l
Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Os automóveis estão mudando.
O tempo todo.

Acompanhe por QUATRO RODAS.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.