Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Audi A3 Sport

A versão de três portas puxa o desfile da nova geração do A3 no Brasil

Por Péricles Malheiros | Fotos Marco de Bari Atualizado em 9 nov 2016, 01h35 - Publicado em 9 jul 2013, 19h42
testes

Grade frontal enorme, faróis com leds, vincos na carroceria: ao repetir na nova geração os atributos da antiga, o Audi A3 ficou discreto. E isso não é nenhum demérito, afinal o modelo briga no segmento dos hatches premium, terreno onde a racionalidade tem se destacado como a arma mais eficaz para a conquista do consumidor. O A3 que você vê na foto acima é o primeiro representante da terceira geração a desembarcar, vindo da Alemanha. O estreante A3 Sport, de 115 000 reais, traz, além da carroceria com três portas, motor 1.8 turbo de 180 cv e um interior repleto de tecnologia.

A Audi do Brasil não fala oficialmente sobre a possibilidade de fabricar o novo A3 por aqui, mas uma fonte ligada à marca entrega o estágio atual das conversas sobre o tema. Produzir o A3 e a sétima geração do Golf na unidade de São José dos Pinhais (PR) é uma das alternativas, uma vez que ambos são montados na plataforma MQB, a base multiproposta que o Grupo Volkswagen desenvolveu para aumentar o ganho de escala. “O casamento que tivemos com a Volkswagen no Brasil, entre 1999 e 2006, produzindo justamente A3 e Golf, teve um saldo muito negativo para a Audi. O divórcio é muito recente e isso acabou gerando uma corrente contra a ideia de refazer a parceria. Ao mesmo tempo, há gente graúda que gostaria que esse plano fosse colocado em prática com urgência. Produzir o A3 no Paraná permitiria à Audi colocar modelos nacionais nas lojas antes da BMW e Mercedes, que ainda precisam estabelecer suas fábricas”, diz nossa fonte. Os modelos mais cotados para a nacionalização são o Sportback, que chega em julho, e sua derivação sedã.

Por fora, a terceira geração lembra bastante a segunda. No perfil, saltam aos olhos os vincos mais assumidos, com destaque para o volume superior, que nasce junto ao farol e segue pelo para-lama, pela porta (abaixo do retrovisor e acima da maçaneta) e ganha a traseira, morrendo na superfície da lanterna. Os faróis do A3 Sport mantêm a tradição da marca e exibem leds que cumprem o papel de luz diurna. Na dianteira, o para-choque menos arredondado confere um ar mais agressivo.

Por dentro, os sinais de evolução são mais evidentes. Montado na nova plataforma MQB, a mesma do Golf de sétima geração, o A3 – e demais produtos nela baseados – poderá oferecer itens típicos de categorias superiores. Na Europa, por exemplo, o A3 terá piloto automático adaptativo, mas, por enquanto, esse atrativo não será oferecido por aqui. Ainda assim, o A3 Sport é bem equipado. Ar digital bizona, teto solar panorâmico, airbags (frontais, laterais e de joelho para o motorista), controles de estabilidade e tração, sistema multimídia, direção elétrica e rodas aro 17 são os principais equipamentos de série. O sistema de navegação por GPS (com instruções de voz em português do Brasil) é o único opcional. Esse equipamento acompanha o sistema com capacidade de reconhecimento de escrita manual – para fazer uma ligação, basta que o motorista “desenhe” o número desejado com o dedo sobre um botão no console. Além da quantidade de atrativos, o A3 esbanja qualidade. A tela retrátil acima das saídas centrais de ventilação é fina, de alto brilho e, ao toque de um botão, se oculta de maneira silenciosa, sendo encoberta por uma tampa plástica bipartida. Ou seja, é um sistema que remete a uma qualidade superior à aplicada pela Mercedes-Benz no Classe A, onde é fixa, pequena e de menor definição.

Com motor 1.8 turbo de 180 cv e câmbio DSG (com dupla embreagem e sete marchas), o A3 fez bonito na pista. Adotando o procedimento padrão da prova de aceleração para os carros sem controle de largada – acelerador pressionado até o fim, da imobilidade aos 1000 metros -, o A3 registrou 7,7 segundos de 0 a 100 km/h. Com tempo distante dos 7,2 segundos divulgados oficialmente pela Audi, apliquei o “truque” (conto como se faz adiante) dos pilotos da marca e o tempo baixou para 7,4 segundos.

Com motor 1.8 turbo de 180 cv e câmbio DSG (com dupla embreagem e sete marchas), o A3 fez bonito na pista. Adotando o procedimento padrão da prova de aceleração para os carros sem controle de largada – acelerador pressionado até o fim, da imobilidade aos 1000 metros -, o A3 registrou 7,7 segundos de 0 a 100 km/h. Agora você deve estar querendo sabem como é o truque, não? Pois bem: com o câmbio em neutro e o pé esquerdo sobre o freio, pressiona-se rapidamente o acelerador e, enquanto a rotação sobe, coloca-se a alavanca em Drive. A partir daí, a aceleração é plena. Lothar Werninghaus, consultor técnico da Audi, diz: “Há diversos sistemas de proteção do motor e da transmissão. Não importa o que o piloto faça, a eletrônica sempre irá evitar evitar danos por sobreesforço”. Seja lá como for, segurança acima de tudo: a manobra não é indicada para ser feita fora do ambiente da pista de testes.

DIREÇÃO, FREIO E SUSPENSÃO

O A3 tem dirigibilidade semelhante à do rival Classe A, da Mercedes: equilibrado nas curvas e nas frenagens.

★★★★

MOTOR E CÂMBIO

Com torque desde as baixas rotações e trocas rápidas de marcha, o motor 1.8 TFSI e o câmbio automatizado de dupla embregaem formam uma dupla capaz de conferir boa dose de esportividade ao A3.

★★★★

CARROCERIA

O A3 com três portas é mais curto que o de cinco portas, que estreia em julho. Para piorar, o acesso à traseira é difícil, mesmo com os bancos dianteiros manuais com memória de posição.

★★★☆

VIDA A BORDO

Materiais de toque e visual agradável, layout eficiente e um bom pacote de equipamentos fazem da cabine do A3 um bom lugar para quem gosta de dirigir.

Continua após a publicidade

★★★★

SEGURANÇA

Com cinco estrelas no Euro NCap, a nova geração do A3, se iguala aos rivais Série 1 e Classe A.

★★★★☆

SEU BOLSO

Apesar de alinhado aos concorrentes em conteúdo e preço, a carroceria com três portas coloca o A3 em desvantagem. A chegada do Sportback, maior e com cinco portas, deverá impulsionar as vendas do A3.

★★★

OS RIVAIS Mercedes Classe A

644_audi_10.jpeg

Ultrarracional, tem motor 1.6 turbo de alta eficiência: anda bem e consome pouco. Custa entre 99 900 e 109 900 reais.

Volvo V40

644_audi_11.jpeg

Chega ao mercado com o A3. O sueco é maior, mas bebe muito diante dos alemães. Sai por 115 000 reais.

VEREDICTO

Alinhado à concorrência em preço, conteúdo, espaço e segurança, o A3 Sport perde em praticidade por ter carroceria com três portas. Compradores racionais devem esperar a chegada do A3 Sportback 1.4 turbo, maior e com cinco portas.

Continua após a publicidade

Publicidade