Clique e assine por apenas 8,90/mês

Subaru Viziv antecipa próxima geração do Impreza WRX

Conceito traz elementos que devem ser aproveitados no sucessor do modelo consagrado em rally por Colin McRae

Por Vitor Matsubara - Atualizado em 25 out 2017, 19h08 - Publicado em 25 out 2017, 16h39
Conceito deve ditar as tendências de design da Subaru nos próximos anos Zeca Chaves/Quatro Rodas

A Subaru aproveitou o Salão de Tóquio para exibir o Viziv Performance Concept. Por trás do nome pomposo está a proposta de um “sedã esportivo da próxima geração”. Ou novo Impreza WRX, se você preferir.

O design não segue os padrões de estilo dos atuais modelos da Subaru, mas inclui várias referências ao WRX. A tomada de ar no centro do capô, a grade hexagonal e as grandes entradas de ar no para-choque frontal são apenas alguns elementos que aproximam o passado do futuro.

Quer saber como será o novo WRX? O Viziv dá a pista Subaru/Divulgação
Para-lamas alargados tem entradas de ar e fibra de carbono Subaru/Divulgação

O spoiler dianteiro é feito de fibra de carbono, mesmo material aplicado nos para-lamas e no teto. Incorporado à tampa do porta-malas, o aerofólio traseiro não é exageradamente grande como no WRX atual, mas também não faz questão de ser discreto. O para-choque tem desenho agressivo, com extrator de ar e quatro saídas de escapamento.

Discrição não é o forte do Viziv, como podemos ver pelo tamanho do extrator de ar Subaru/Divulgação

O Viziv tem 4,63 metros de comprimento, 1,95 metro de largura, 1,43 metro de altura e 2,73 metros de distância entre-eixos. Para efeito de comparação, o WRX atual tem comprimento de 4,59 metros, 1,79 metro de largura e 1,47 metro de altura. A distância entre-eixos é de 2,65 metros.

Continua após a publicidade
Tomada de ar no centro do capô é herança dos Impreza WRX Subaru/Divulgação

Detalhes técnicos não foram liberados pela Subaru, que limitou-se a dizer que o Viziv tem um motor boxer de “alto desempenho”, associado ao sistema de tração integral.

Formato dos faróis lembra o desenho das luzes de led do WRX atual Subaru/Divulgação

Enquanto o conceito não vira realidade, a Subaru aprimora os sistemas de assistência à condução, como piloto automático adaptativo, alerta de permanência em faixas e frenagem de emergência – a marca ainda não prevê condução autônoma em seus veículos.

Estilo do VIZIV deve ser replicado nos futuros modelos da Subaru Subaru/Divulgação
Quatro saídas de escapamento também é um elemento típico do WRX Subaru/Divulgação

De qualquer maneira, todas as tecnologias já estão previstas no projeto do Viziv e chegariam às ruas em 2020 – mesma data em que o conceito pode virar realidade.

Impreza virou celebridade mundial graças ao rali

Carlos Sainz e Colin McRae fizeram a Subaru viver momentos de glória no rali reprodução/Internet

O Impreza parecia apenas mais um sedã japonês com design sem sal quando foi lançado em 1992. Mas ele sempre se diferenciou da concorrência por suas versões esportivas.

Continua após a publicidade

A mais famosa delas era o WRX (de World Rally eXperimental), que tinha 256 cv a 5.500 rpm e 35,4 mkgf a 4.000 rpm. Surgia também a Subaru Technica International, a STi, preparadora inicialmente fundada apenas para atender a demanda do mercado japonês.

Em 1993, a Subaru desenvolveu a primeira versão do Impreza de rali. Desenvolvido em parceria com a equipe Prodrive, o veículo foi profundamente modificado. Ficou mais largo e perdeu as portas traseiras.

Colin McRae foi campeão em 1995, impressionando o mundo com seu talento ao volante reprodução/Internet

A suspensão recebeu uma nova geometria e melhorias no sistema de intercooler. Já o motor ganhou novo virabrequim, cilindros e alterações nas câmaras de combustão. Com tudo isso, a potência subiu para 304 cv a 5.500 rpm e torque máximo de 48 mkgf.

Os anos seguintes viram um crescimento da Subaru na categoria. Carlos Sainz e o então jovem Colin McRae conquistaram as primeiras vitórias da equipe, que terminou o campeonato apenas 11 pontos atrás da Toyota.

Continua após a publicidade

O primeiro título veio em 1995, quando os japoneses venceram cinco das oito etapas – e ainda foram beneficiados pela desclassificação da Toyota, que alterou os turbocompressores para aumentar o rendimento de seus carros.

Além do mundial de construtores, McRae conquistava seu primeiro título de pilotos naquele ano.

Subaru venceu três títulos mundiais de rali reprodução/Internet

A briga foi mais disputada em 1996. A ascendente Subaru precisou dividir as atenções com a Mitsubishi Ralliart. Deu Subaru entre as equipes e Tommi Makkinen no mundial de pilotos, mas McRae foi responsável pelas três vitórias do time.

O escocês continuou voando no ano seguinte, conduzindo a Subaru ao segundo título de construtores.

Continua após a publicidade

Mesmo assim, seu talento não impediu o domínio de Makkinen, quando a criação da nova categoria WRC atraiu novas fabricantes e trouxe de volta marcas que haviam se afastado do rali.

De 1980 a 2008, a Subaru World Rally Team acumulou três títulos de construtores e outros três mundiais de pilotos.

Publicidade