Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Top Ten: 10 superperuas que arrancam suspiros no visual e na potência

Não subestime estas station wagons. Elas são mais ferozes do que muitos esportivos de sangue quente por aí

Por Redação 15 abr 2019, 07h02

Elas podem estar em extinção, mas ainda conseguem arrancar suspiros e deixar qualquer fã de carro boquiaberto. Sim, estamos falando das peruas. O impacto é ainda maior quando falamos dos 10 modelos abaixo, cujo nível de desempenho causa inveja a muitos cupês superesportivos.

Com vocês, 10 superperuas:

Escola sueca

Reprodução/Internet

De careta, esta Volvo 850 BTCC só tinha as formas quadradonas. Seguindo a regra da FIA para a temporada de 1994, para correr no British Touring Car Championship, o motor 2.3 turbo de 225 cv da versão de rua foi substituído pelo 2.0 aspirado de 290 cv. Nos anos seguintes chegou a vencer corridas – sempre competindo contra sedãs.

Meu nome é DB, DB5!

Reprodução/Internet

O mais famoso carro de James Bond é o Aston Martin DB5. Mas o dono da marca, Sir David Brown (daí o DB), queria um esportivo com espaço para carga e criou em 1966 a Shooting Brake, nome dado a peruas de três portas que podiam levar cães e armas para as caçadas.

O preço da exclusividade

Reprodução/Internet

A empresa Carrozzeria Touring Superleggera produziu 20 unidades da Bentley Flying Star, uma SW com motor W12 6.0 de 560 cv, o mesmo do Continental GTC. Quem queria mais exclusividade poderia optar por rodas Borrani: só tinha de pagar US$ 1 milhão.

Perua anabolizada

Reprodução/Internet

Não se engane com a Dodge Magnum SRT8, a versão mais forte da Chrysler 300 C Touring. Por trás dessa roupa de perua, há um demônio do asfalto, com o motor Hemi 6.1 de 425 cv combinado à tração traseira. E o melhor: vai de 0 a 100 km/h em 5 s.

Continua após a publicidade

União faz a força

Reprodução

A parceria da Audi com a Porsche resultou na RS2 Avant, primeira perua superesportiva do mundo. Baseada na S2, ganhou 85 cv no seu 2.2 turbo, que foi a 315 cv. Resultado: 0 a 100 km/h em 4,8 s. A rapidez também chegou às vendas: 2.891 carros em 1994-1995.

Novata na turminha

Reprodução/Internet

Não é de hoje que a Porsche ousou ao entrar em segmento diferente, como foi com o Cayenne em 2002. Em 2017, apresentou a primeira shooting brake para quatro pessoas. Com um V8 4.0 biturbo, atinge os 100 km/h em 3,6 s e 310 km/h de máxima.

Alpinista social

Reprodução/Internet

A BMW nunca fez uma M5 Touring da geração F10, mas nem por isso ela deixou seus fãs órfãos. Contou com a ajuda da preparadora Alpina, que criou a B5 Biturbo Touring: são 616 cv extraídos do V8 4.4 biturbo acoplado a um câmbio automático de oito marchas.

É só pedir com jeitinho

Reprodução/Internet

A Ferrari nunca fez uma perua, ao menos não até 1996. O pedido inusitado veio do sultão de Brunei Jefri Bolkiah, que encomendou sete 456 GT Venice da Pininfarina. Mas ele só ficou com seis, ao custo de US$ 1,5 milhão cada. Assim, a última ficou com o estúdio.

Coração acelerado

Reprodução/Internet

Os Cadillac não são apenas classudos e confortáveis. A CTS-V Sport Wagon tem emoção de sobra. A SW acelera de 0 a 100 km/h em apenas 4 s, graças ao motor LSA (6,2 litros e 588 cv) que equipa o Corvette ZL1. Velocidade final? Só 288 km/h.

Receita estrangeira

Reprodução/Internet

Para quem não se contenta com a preparação de fábrica da AMG, a Brabus veio para suprir essa deficiência. Baseada na Mercedes CLS 63 AMG, a Brabus 850 teve o motor V8 biturbo aumentado de 5.5 para 5.9 e adotou turbos maiores, o que a fez ir de 507 cv para 850 cv.

Continua após a publicidade
Publicidade