Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Teste mostra como carros são menos seguros em países emergentes

Teste mostrou que o carro dos Estados Unidos tem muito mais proteção ao motorista do que do México

Por Bruno dos Santos 6 jul 2022, 15h48

O Global NCAP divulgou, em junho, os resultados mais recentes do seu teste de colisão. A entidade avalia a segurança de automóveis vendidos em diversos mercados do mundo e desta vez os resultados serviramacomo preparação para a primeira Reunião de Alto Nível sobre Segurança Viária na Assembleia Geral das Nações Unidas.

O teste usou dois modelos da Hyundai, o Accent, vendido nos Estados Unidos, e o Grand i10 Sedan, vendido no México. Ambos os carros são os mais acessíveis da marca nos respectivos países.

O Hyundai Accent tem seis airbags e controle de estabilidade (ESC) como equipamentos padrão, enquanto o i10 tem apenas dois airbags e não possui o ESC.

O teste mostrou que o Accent manteve a estrutura estável durante a batida e proporcionou um bom nível de segurança para o motorista. Enquanto isso, o Grand i10 teve sua estrutura definida como instável e apresentou segurança ineficiente para o motorista, com diversas possibilidades de ferimentos e teria nota zero, caso fosse um teste padrão.

Continua após a publicidade

 

Testes de batida
Hyundai Grand i10 mexicano após colisão Global NCAP/Divulgação
Testes de batida
Hyundai Accent estadunidense após colisão Global NCAP/Divulgação

Segundo Alejandro Furas, Secretário Geral do Latin NCAP, os testes são feitos para chamar atenção dos consumidores, reguladores e fabricantes de veículos. Os consumidores têm o direito de receber o mesmo nível de segurança em seus veículos. A segurança não pode ser apenas de um país, mas sim de todos. O mundo todo deve receber estratégias de duplo padrão.

Testes de batida
Resultados do teste de colisão Global NCAP/Divulgação
Compartilhe essa matéria via:

O Presidente da Towards Zero Foundation e do Global NCAP, David Ward, afirmou que “É muito decepcionante ver uma lacuna tão grande na segurança dos veículos entre o México e os Estados Unidos. Uma das principais razões tem sido o “lobby” incessante da Associação Mexicana da Indústria Automotiva para atrasar a implementação dos padrões mínimos de segurança veicular da ONU. Isto aconteceu primeiro para testes de colisão frontal, colisão lateral e para controle eletrônico de estabilidade e agora novamente para proteção de pedestres. O duplo padrão em segurança veicular é, muitas vezes, uma moeda de troca para as associações da indústria automotiva. Por causa disso, a Reunião de Alto Nível da ONU em Nova York esta semana deve enviar uma mensagem clara para a indústria automotiva para parar com suas táticas dilatórias e implementar os padrões de segurança veicular mais importantes em todo o mundo”.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Continue lendo, sem pisar no freio. Assine a QR.

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.


a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo de QUATRO RODAS. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da QUATRO RODAS, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Comparativo entre os principais modelos do mercado.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.

Receba mensalmente a QUATRO RODAS impressa mais acesso imediato às edições digitais no App QUATRO RODAS, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês