Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Tesla Model S sofre primeiro acidente fatal em modo de direção autônoma

Josha Brown, de 45 anos, morreu após chocar-se contra um caminhão que cruzava a rodovia; sistemas de segurança não conseguiram evitar o acidente

Por Guilherme Fontana Atualizado em 9 nov 2016, 15h00 - Publicado em 1 jul 2016, 12h01
Tesla - autopilot

A tecnologia de direção autônoma da Tesla registrou sua primeira vítima. Josha Brown, de 45 anos, morreu em uma rodovia da Flórida após seu Tesla Model S chocar-se contra um caminhão que cruzava a pista perpendicularmente. O incidente foi divulgado pela própria fabricante; o NHTSA, órgão responsável pelo tráfego nos Estados Unidos, já assumiu a investigação do caso. 

O acidente aconteceu enquanto o carro rodava em modo de piloto automático em uma rodovia de pista dupla. Em um cruzamento, um caminhão entrou à esquerda e cruzou perpendicularmente a trajetória do Tesla, cujo motorista aparentemente não estava com os olhos na estrada. De acordo com a Tesla, a altura e o brilho refletido pelo caminhão confundiram as câmeras e os sensores de radar do sedã elétrico, que identificaram o baú como sendo parte do céu iluminado. Com isso, Joshua chocou-se contra a lateral do utilitário. O Model S passou por baixo do trailer parcialmente e foi atingido na altura do para-brisa. Seu motorista faleceu no momento da colisão, enquanto o motorista do caminhão não sofreu ferimentos.

Continua após a publicidade

A Tesla diz que, se o impacto houvesse ocorrido por trás ou mesmo de frente, os sensores de segurança provavelmente teriam evitado ferimentos mais sérios. Este seria o primeiro acidente fatal após mais de 209 milhões de quilômetros rodados por proprietário de Model S em modo autopilot. Segundo a própria marca, o modo autônomo é uma tecnologia beta, ou seja, ainda em fase de desenvolvimento e aprimoramentos, e seus donos precisam estar de acordo com esses termos antes de utilizá-lo.

A fabricante recomenda aos proprietários dos veículos que mantenham as mãos no volante e os olhos na estrada para evitarem qualquer acidente decorrente de falhas nos sensores. O próprio carro emite alertas visuais e sonoros caso identifique que o motorista não está com as mãos no volante. Caso não detecte a devida atenção, o carro é gradualmente desacelerado e o sistema desligado. A marca reforça que, no momento, a tecnologia serve como conveniência para reduzir o trabalho do motorista e não como uma direção 100% autônoma, ou seja, ainda exige a atenção do motorista.

 

Cerca de um mês antes do acidente fatal, Joshua Brown publicou um vídeo na web (acima) onde ele sai ileso, graças ao Autopilot, de uma situação que poderia ter acabado em um acidente. O piloto automático detectou quando um caminhão invadiu a faixa ocupada por ele e, imediatamente, acionou os freios e desviou a rota com segurança. 

Continua após a publicidade

Publicidade