Tecnologias automotivas da Lua para a Terra

Protótipo da Nasa traz soluções que também servem para os carros que rodam na Terra

Carro da NASA Com um motor elétrico em cada uma das rodas, que são direcionais, MRV tem total liberdade para realizar manobras

Com um motor elétrico em cada uma das rodas, que são direcionais, MRV tem total liberdade para realizar manobras  (/)

A Nasa, agência aeroespacial americana, há tempos sabe como fazer um carro lunar. Em seu mais recente projeto, porém, seus cientistas desenvolveram tecnologias que podem ser aplicadas tanto em modelos para rodar na Lua e em Marte como no caótico trânsito do planeta Terra. O Modular Robotic Vehicle (MRV) é um compacto de dois lugares, com tração elétrica, que pode trafegar com a mesma desenvoltura em diferentes tipos de piso e relevo (e até em outro planeta).

A principal característica que diferencia o MRV dos automóveis que conhecemos hoje – e o aproxima dos veículos espaciais – é o fato de que todos os seus sistemas (transmissão, direção e freios) são eletrônicos, do tipo drive-by-wire, com recurso de redundância. Ou seja, se ocorrer alguma falha, um segundo sistema assume as funções do primeiro. Mas essa não é a única novidade que o MRV traz para as ruas. De acordo com a Nasa, durante o desenvolvimento desse modelo, foram feitos progressos de diversos componentes como atuadores elétricos, controladores de motor, sensores, baterias, materiais de isolamento, além de software de gestão de sistemas.

Drive by wire

Assim como os outros sistemas drive-by-wire, a direção não tem qualquer ligação física com as rodas. Quando o motorista gira o volante, sensores de posição enviam sinais a um processador que controla atuadores que movimentam as rodas.

E-corner

As rodas são instaladas em um conjunto batizado de e-corner, que reúne motor, freio e braços de suspensão. O MRV tem quatro motores que podem trabalhar em conjunto (tração 4×4) ou em pares (4×2 dianteira ou traseira). Cada motor gera 26,3 mkgf de torque.

Algoritmos

Todas as rodas são direcionais, mas o motorista pode escolher o modo de funcionamento habilitando apenas as dianteiras, dando liberdade parcial às traseiras (para facilitar o contorno das curvas) ou permitindo movimento de até 180° às quatro rodas, de modo que o veículo se desloque lateralmente, como um caranguejo.

Volante

A sensação de manusear o volante pode ser a mesma de uma direção hidráulica ou elétrica convencional. Basta que se façam os ajustes necessários. O volante é igual aos dos automóveis atuais, mas poderia ser substituído por um joystick.

Ficha técnica

O MRV tem 2,15 metros de comprimento, 1,55 de largura e pesa 900 kg. Ele é alimentado por baterias de íons de lítio, refrigeradas a água, que proporcionam uma autonomia de 100 km em velocidade constante de 70 km/h. A recarga é feita em tomada convencional (240 volts).

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s