Clique e assine por apenas 8,90/mês

SUVs, peruas e monovolumes com melhor valor de revenda no Brasil em 2020

Primeira edição do Prêmio Melhor Valor de Revenda, criado em parceria com a KBB Brasil, revela os modelos que menos perdem valor no mercado de seminovos

Por da Redação - 29 jul 2020, 22h30

Consideramos somente os carros ano/modelo 2019/2019. Isto é: veículos fabricados em 2019 da linha 2019. Ficaram de fora os que foram descontinuados ou trocaram de geração durante o período analisado.

Para chegarmos às melhores opções, levantamos os preços dos modelos em dois momentos: em janeiro de 2019, tomando como base os valores sugeridos pelos fabricantes, e 12 meses depois (janeiro de 2020), tendo como referência os preços que os carros alcançaram na hora da revenda.

Esse conceito de depreciação adotado pela KBB calcula o valor residual do veículo, isto é, o quanto o modelo custava em uma data específica no passado e o quanto ele custa no presente (ou em uma data qualquer tempos depois da data inicial considerada).

Continua após a publicidade

Esses preços foram levantados por meio do sistema de coleta e processamento de mais de 800 mil dados de mercado realizado pela KBB Brasil. Segundo a empresa, as lojas absorvem a maior parte da oferta dos particulares.

Para refletir esta realidade, utilizamos como base os preços de troca fornecidos pela empresa, que servem de referência para esse tipo de transação da venda de um carro particular para um lojista. Dessa forma, podemos afirmar que todos os carros considerados passaram pelo mesmo crivo.

Os percentuais de depreciação de cada veículo foram obtidos pelas médias aritméticas das depreciações verificadas pelos modelos em suas diferentes versões. Ou seja: o resultado da soma das depreciações de cada versão do modelo dividido pelo número de versões.

SUV Compacto

Divulgação/Honda

Ele até parece um Honda Fit aventureiro, no entanto briga com o irmão HR-V entre os SUVs compactos – e não faz feio.

Continua após a publicidade

Com dois acabamentos (EX e EXL) e carregando o motor 1.5 de 116 cv, compartilhado do Fit, o WR-V foi o veículo de menor desvalorização da categoria com 26% de queda no período de um ano. O preço da opção EX CVT variou de R$ 82.500 a R$ 60.768 em 12 meses.

Jac T-40 e Honda HR-V completaram o pódio da categoria com 30% e 31% de queda no valor da revenda, respectivamente.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

SUV Médio

Fernando Pires/Quatro Rodas

O Equinox chegou ao Brasil em 2017 e surpreendeu com o motor 2.0 turbo de 262 cv – mais forte da categoria –, que equipa uma das versões Premier atualmente. As outras opções Premier, LT e Midnight carregam o novo 1.5 turbo de 172 cv. A versão LT 2.0 16V AT registrou queda de valor de R$ 132.490 para R$ 98.773 em um ano.

Continua após a publicidade

O modelo da Chevrolet obteve os melhores números no levantamento, sendo o que menos desvalorizou no período de estudo com 28% de queda no valor. Ele foi seguido por Compass (-35%) e Peugeot 3008 (37%).

SUV Grande

Divulgação/Ford

O Ford Edge é vendido em versão única. A ST V6 biturbo 2.7, que gera 335 cv, foi responsável por garantir o pódio como SUV grande com menor depreciação com 31% de perda.

Embora tenha sido líder da categoria, o veículo teve quase R$ 100.000 de perda de valor nominal em um ano, já que custava R$ 299.000 em janeiro de 2019 e era negociado a R$ 204.871 em janeiro de 2020.

No segmento SUV Grande, o veículo da Ford foi seguido por JAC T80 (-34%) e Toyota SW4 (-37%).

Continua após a publicidade

Station Wagon/Monovolume

Divulgação/Honda

Com 17 anos de mercado, o Honda venceu os concorrentes e sagrou-se o monovolume com menor desvalorização com 33%.

O veículo carrega um motor 1.5 de 116 cv, que equipa todas as suas cinco versões: DX, Personal, LX, EX e EXL. O levantamento mostrou que a versão EX CVT que custava R$ 78.300 no início de 2019 valia R$ 46.179 no início de 2020.

O líder de mercado na categoria foi seguido por Kia Carnival, que registrou perda de 37% no valor, e Citroën Aircross que desvalorizou 41%.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da nova edição de quatro rodas? clique aqui e tenha o acesso digital.

Fernando Pires/Quatro Rodas
Publicidade