Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Skoda passa a ser responsável por plataforma de Polo, Nivus e T-Cross

MQB-A0 é utilizada como base para modelos compactos a combustão em países com potencial de crescimento

Por Guilherme Fontana 18 out 2021, 22h56
Skoda Kushaq
Skoda Kushaq Divulgação/Skoda

Pela primeira vez na história, a Skoda, marca tcheca pertencente ao Grupo Volkswagen, assumirá a responsabilidade por uma plataforma global. Não pense, porém, que a novidade é distante e em nada tem a ver com o Brasil. Muito pelo contrário.

Assine a Quatro Rodas a partir de R$ 12,90

A plataforma em questão é a MQB-A0, que serve de base para carros compactos a combustão de Skoda e Volkswagen, destinados a mercados como Índia, Rússia, África, América Latina e os países membros da ASEAN, como Tailândia e Indonésia. Entre os modelos, estão os conhecidos Polo, Virtus, Nivus e T-Cross, todos produzidos no Brasil.

Skoda Kushaq
Skoda Kushaq Divulgação/Skoda

A partir de agora, a Skoda fica responsável pelo desenvolvimento e pelas atualizações da matriz modular MQB-A0, graças ao seu alto nível de expertise para desenvolvimento e coordenação de projetos para segmentos de entrada. Além disso, a decisão poderá ajudar a Skoda a tornar-se líder em Rússia, Índia e norte da África, como parte de uma estratégia traçada para a fabricante.

Continua após a publicidade

Uma das provas de qualificação da Skoda é a variação indiana da plataforma, batizada de MQB-A0-IN, na qual o novo Kushaq (versão indiana do T-Cross) se baseia. O segundo modelo feito a partir da adaptação será o Slavia, versão do Virtus para a Skoda, que deverá ser apresentado ainda em 2021 ao mercado indiano. Além deles, o Fabia, que corresponde ao Polo, utiliza a versão original da MBQ-A0.

Skoda Fabia
Skoda Fabia Divulgação/Skoda

Um ponto curioso é que a Volkswagen do Brasil esteve envolvida com o projeto do Skoda Kushaq. Em 2018 a VW do Brasil firmou um contrato de desenvolvimento com a Skoda que tratava do projeto SK 216. Logo em seguida carros da fabricante tcheca passaram a ser usados pela engenharia da VW no Brasil, inclusive em testes de rua. A intenção era usar o nosso T-Cross (projeto VW 216) como ponto de comparação para desenvolver o Skoda.

A sinergia fez todo o sentido e ajudou a chegar na plataforma MQB A0 IN, uma versão altamente localizada, com ampla nacionalização de componentes para reduzir o custo de produção na Índia, viabilizando a produção da MQB A0 no país. Ela também entra em cena com o Slavia, afinal, o Virtus brasileiro era, até então, o único sedã baseado na plataforma MQB-A0. Não à toa, o sedã brasileiro foi usado como mula de testes.

O novo sedã compacto indiano será apresentado nos próximos meses.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

A edição 750 de QUATRO RODAS já está nas bancas!

Continua após a publicidade

Publicidade