Sem nova geração, Peugeot atualiza visual do 308. Preços partem de R$ 69 900

Desestimulada a importar o novo 308 europeu pela alta do dólar, a marca francesa dá um upgrade no hatch fabricado na Argentina

fabricantes fabricantes

fabricantes (/)

O novo 308 está chegando ao Brasil. Só que não é bem “aquele” 308 que você estava esperando. O lançamento da Peugeot é, na verdade, mais uma reestilização sobre o antigo 308. É verdade que desta vez as mudanças foram mais profundas, incluindo novos faróis e grade dianteira e lanternas com nova disposição de luzes. Mas por baixo da aparência renovada está o mesmo projeto lançado em 2011. E quando teremos o novo 308 rodando aqui?

A resposta seria a partir de 2016, já que a marca francesa havia confirmado durante o Salão de Buenos Aires a intenção de trazer o 308 europeu, este sim uma geração inteiramente nova lançada no Velho Continente há quase dois anos. O modelo, aliás, conviveria com o “308 latino-americano” (chamado por alguns de “308 Mercosul”) recém-apresentado, mas a instabilidade do dólar frente ao real forçou uma mudança de planos.

peugeot-308-2.jpeg peugeot-308-2.jpeg

peugeot-308-2.jpeg (/)

Enquanto não temos a chance de botar as mãos no modelo europeu, voltamos ao “nosso” 308. Assim como seu antecessor, o hatch médio será oferecido nas motorizações 1.6 16V FlexStart (122 cv se abastecido com etanol, reservado apenas à versão de entrada Allure com câmbio manual) por R$ 69 900, 2.0 16V (151 cv com etanol, oferecida na Allure automática) por R$ 75 900 e 1.6 THP Flex (até 173 cv com etanol no tanque, disponível na Griffe THP automática) a R$ 82 900. Houve aumento nos preços: a Allure ficou de 1 mil a 4 mil mais cara, conforme os equipamentos, enquanto a Griffe subiu 1 mil.

Se o 308 daqui ainda não é tão moderno quanto o europeu, pelo menos ele seduz o cliente com uma generosa lista de equipamentos. Itens como ar-condicionado digital bizona, teto solar panorâmico, central multimídia com espelhamento de smartphone, sensor de estacionamento, seis airbags e piloto automático marcam presença desde a versão de entrada Allure. Ela traz ainda direção elétrica, acendimento automático dos faróis, rodas de liga leve de 17 polegadas e volante revestido em couro. A configuração topo-de-linha Griffe (oferecida apenas com o motor 1.6 THP flex) acrescenta sensor de estacionamento dianteiro, câmera de ré, bancos em couro perfurado e rodas de liga leve de 17 polegadas com acabamento diamantado.

LEIA MAIS:

– Teste: Ford Focus Titanium Plus

– Comparativo sedãs x SUVs: Cruze x Tracker

– Longa Duração: o desmonte do VW Golf

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s