Clique e assine por apenas 8,90/mês

QUATRO RODAS de maio: Tracker enfrenta SUVs líderes de mercado

Mais novo veículo do segmento enfrenta um comparativo para saber se realmente tem potencial para assumir a ponta nas vendas

Por Da Redação - Atualizado em 24 abr 2020, 12h48 - Publicado em 24 abr 2020, 12h01
Fernando Pires/Quatro Rodas

A edição de maio da revista QUATRO RODAS acabou de sair do forno e está pronta para seguir para as casas, bancas e internet.

O Chevrolet Tracker é um dos principais lançamentos do mercado nacional neste ano, porém, se engana quem acredita que ele terá vida fácil.

O mais novo SUV chegou prometendo muito e enfrentou os principais rivais do segmento para mostrar se realmente pode almejar o pódio de vendas da categoria.

Será que é páreo para os líderes entre os SUVs compactos? Confira!

Não para aí! O Chevrolet Equinox – irmão maior do Tracker – foi testado em sua nova configuração com motor 1.5 turbo.

A marca parece ter entendido o real objetivo do veículo no mercado e trocou a abundante cavalaria por um motor mais econômico e um preço mais atraente ao público.

Continua após a publicidade

Mas o que realmente muda entre as suas configurações? QUATRO RODAS colocou o SUV na pista para saber, na prática, as novas características do Equinox 1.5.

Os utilitários dominaram esta edição, com Volvo XC40 R-Design plug-in hybrid e Lexus UX 250H se enfrentando em mais um comparativo.

Desta vez, uma briga um pouco diferente, que mistura, principalmente, luxo, gasolina e elétrons.

Qual destes híbridos é melhor? O modelo da Volvo acaba de chegar ao mercado, mas será uma boa alternativa em relação ao Lexus?

Mas calma, nem só de SUV vivem os brasileiros, então, testamos o mais novo Audi A3. O veículo da marca alemã chegou à quarta geração, já foi lançado na Europa e será importado ao Brasil em breve.

QUATRO RODAS colocou mais modelos, além do hatch alemão, na pista. Confira outros destaques da edição de maio:

Continua após a publicidade

Fiat Argo Trekking: o compacto da marca italiana manteve as características para agradar os fãs do estilo off-road. Mas a principal novidade é o motor 1.8 e o câmbio automático de seis marchas compartilhados com o primo Jeep Renegade.

Fiat Grand Siena a gás: o Siena parece não ter aceitado bem o fim de sua versão Tetrafuel do início deste século. Mas, não, o modelo não será mais equipado com kit GNV de fábrica, no entanto, a versão Attractive 1.4 receberá um kit de preparação para ter o GNV sem perder a garantia.

Ford Kuga: o mais novo SUV da Ford promete chegar ao Brasil para bater de frente com o Jeep Compass híbrido. O modelo é conhecido na Europa como Kuga e é produzido sobre a plataforma do Focus.

Longa Duração: nossa frota de veículos passou por um novo teste, agora, para analisar o funcionamento de seus sistemas de monitoramento de pressão dos pneus. Esta tecnologia passa despercebida muitas vezes, mas ajuda a reduzir consumo e emissões.

Carta ao leitor

Eduardo Campilongo, piloto de testes QUATRO RODAS Acervo/Quatro Rodas

Depois que a redação faz sua parte, a edição de QUATRO RODAS segue para a gráfica e de lá para os leitores, via assinatura, bancas ou internet, no caso da versão digital. O intervalo entre o fechamento redacional e o leitor é de cerca de uma semana.

Continua após a publicidade

Portanto, neste momento em que você lê esta edição, a redação está a pleno vapor preparando a edição seguinte, para dar tempo de chegar aos leitores no prazo.

Na redação, uma nova edição inicia no dia seguinte ao término da que foi para a gráfica/rede com o que chamamos de reunião de pauta, momento em que se define o que estará na revista do próximo mês.

A pauta é consolidada em uma representação gráfica da revista que chamamos de espelho. Esse espelho muda muitas vezes ao longo das semanas por diversas razões. Às vezes, entra uma pauta que não fora prevista. Outras vezes, o pessoal da publicidade vende espaço que não tinha sido reservado.

Leonardo Barboza, piloto de testes QUATRO RODAS Acervo/Quatro Rodas

No mês de abril, enquanto fazíamos a edição de maio, não foi diferente. Mas o motivo das mudanças de planos, na maioria das vezes, foi algo inédito: a pandemia de Covid-19.

Por conta do cenário econômico e pelo esforço em conter a doença, as fábricas de automóveis cancelaram lançamentos e recolheram seus carros de frota, deixando poucas alternativas para a nossa pauta.

Felizmente, graças ao empenho de todo o time, conseguimos concluir a edição com um conteúdo interessante. Preparamos um comparativo entre o novo Chevrolet Tracker e os rivais que ele tanto chamou para a briga na campanha de lançamento.

Continua após a publicidade

Antecipamos os novos Audi A3 hatch e Ford Kuga híbrido, que acabaram de ser lançados na Europa e mais dia menos dia desembarcam por aqui. E apresentamos a nova versão do Argo, a Trekking, que, em comum com o primo Jeep Renegade, traz o motor o estilo off-road.

Em meio a pandemia, colaborador internacional Joaquim Oliveira teve de dirigir mais de 1.000 km para testar o novo Audi A3 Acervo/Quatro Rodas

Por toda a confusão que causou e ainda causa a todos, não podíamos deixar de falar do coronavírus. Em diversas seções da revista, você poderá ler dicas de como cuidar de seu carro durante a quarentena, conferir o que mudou no planejamento das fábricas e o que as empresas estão fazendo para passar por esse momento tão difícil.

Como já disse, nossa equipe toda não mediu esforços. Tenho certeza de que cada profissional com seus desafios particulares deu o melhor de si. Mas eu gostaria de destacar pelo menos duas situações curiosas para você.

A primeira é a dos pilotos Eduardo Campilongo e Leonardo Barboza, que correram contra o tempo para conseguir, buscar, testar, levar para as fotos e devolver às fábricas os carros avaliados por nós antes que eles fossem recolhidos.

Verdade que o Argo Trekking ficou para trás na correria e está até hoje no estacionamento da Abril esperando a situação se normalizar. Mas, tirando isso, o trabalho foi concluído.

A outra é do colaborador internacional, o português Joaquim Oliveira, que, para conseguir viajar até Granada, na Espanha, e avaliar o novo Audi A3 hatch, evitando pegar aviões e o tumulto dos aeroportos, dirigiu 1.466 quilômetros (ida e volta, a partir de Oeiras, município próximo de Lisboa, em Portugal) em seu próprio carro.

Continua após a publicidade

“Fui em apenas 30 horas com programa completo e dormida, incluídos”, contou Oliveira, que, além da viagem, ainda avaliou o carro de teste em um roteiro de 200 km.

Vendo a revista finalizada, a sensação foi de missão cumprida. Mas não houve tempo para comemorar: primeiro, porque ao final dos trabalhos tivemos de nos preparar para passar a trabalhar cada um em sua casa, onde permaneceremos até segunda ordem; segundo, porque junho já está aí.

Quer dizer: enquanto você está lendo, junho já chegou para nós. Com os votos de dias melhores a todos, fico por aqui esperando te encontrar na próxima edição. Cuide-se.

Publicidade