Clique e assine por apenas 8,90/mês

Os dez melhores (e os piores) carros segundo a Consumer Reports

Associação independente lista anualmente os melhores e os piores carros dos Estados Unidos

Por Henrique Rodriguez - Atualizado em 8 mar 2017, 14h06 - Publicado em 8 mar 2017, 14h05

Respeitada por avaliar produtos de forma independente há mais de 80 anos, a Consumer Reports divulgou suas novas listas com os 10 melhores e os 10 piores carros vendidos nos Estados Unidos. O interessante para nós é que alguns deles são vendidos aqui no Brasil.

Para figurar na lista, os carros precisaram passar por testes rigorosos feitos pela própria publicação – com direito a teste de pista e desvio de situações de perigo –, além de uma pesquisa de confiabilidade e satisfação com os proprietários, mais os resultados dos crash-tests feitos pelas autoridades competentes.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Os dez melhores carros de 2017

Subcompactos: Toyota Yaris iA

Fabricado pela Mazda, lançado pela Scion e hoje vendido pela Toyota, o Yaris iA tem o porte de um Ford Fiesta Sedan. Entre os destaques do carro estão o refinamento (bom para um carro popular) e a suavidade do conjunto mecânico, formado por um motor 1.5 e o câmbio automático de seis marchas, ambos Mazda.

O comportamento dinâmico típico da Mazda foi elogiado, bem como a presença de sistema de frenagem automática em baixa velocidade. Ainda bem que a avaliação não leva em conta o visual…

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Compactos: Chevrolet Cruze

Considerado médio no Brasil, o Chevrolet Cruze é um compacto nos EUA, e aparece na lista representando o hatch e o sedã. A Consumer Reports o considera uma versão menor dos Malibu e Impala, mantendo as qualidades (bom pacote de equipamentos e rodagem suave) e agregando um baixíssimo consumo de combustível do motor 1.4 turbo, sem prejuízo do desempenho.

No geral, o Cruze conseguiu bater os dois principais concorrentes, Honda Civic e Toyota Corolla – apesar de isso ainda não ter se refletido nas vendas, onde os dois japoneses continuam líderes.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Compactos híbridos: Toyota Prius

Toyota Prius em movimento na posição 3x4 de frente

Pioneiros entre os híbridos produzidos em larga escala, o Toyota Prius não se destacou apenas pelo baixo consumo. Também é um carro confiável e maduro, mesmo com conjunto mecânico tão complexo. Além disso, sua nova geração está mais silenciosa, confortável e com mais equipamentos de segurança.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Esportivo: Mazda MX-5 Miata

Mazda MX-5 Miata

Aqui o prazer ao dirigir tem peso, e nisso o Miata continua se destacando. O pequeno mas valente motor envia a força para as rodas traseiras por meio de um câmbio manual, como nos velhos e bons tempos.

Barato e confiável nos EUA, seu comportamento dinâmico em estradas sinuosas continua a ser referência, com respostas imediatas e excelente equilíbrio – e isso sem gastar quase nada de combustível.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Sedã médio: Kia Optima

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

O Kia Optima vendido nos Estados Unidos está a uma reestilização de distância do nosso. O sedã sul-coreano é destacado como uma boa alternativa em seu segmento por, ao mesmo tempo que tem bom espaço para um veículo familiar, tem boa dinâmica, motor potente, bons freios e comandos intuitivos.

Também é considerado bonito e confiável por seus compradores, com uma extensa garantia e boa qualidade no pós-venda – tanto que ficou à frente de Honda Accord e Toyota Camry, dois dos mais tradicionais concorrentes no setor.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Sedã grande: Chevrolet Impala

Chevrolet Impala

O Chevrolet Impala apenas repetiu o feito de outros anos. É grande, espaçoso (principalmente no banco traseiro, que recebe bem três adultos) e ao mesmo tempo confortável ao filtrar bem as irregularidades do asfalto, mantendo uma dirigibilidade bem agradável.

Não foi o melhor em confiabilidade, mas a satisfação dos proprietários e o preço mais baixo que a concorrência – a partir de US$ 39.110 – fez a diferença.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

SUV compacto: Subaru Forester 

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Com presença discreta no Brasil, o Forester é considerado a referência em SUVs compactos pelos norte-americanos. Até mesmo o design quadradão e aparentemente antiquado foi elogiado – as grandes janelas e portas aumentam a praticidade e a sensação de espaço interno. Sobrou até críticas para concorrentes visualmente arrojados, mas que não oferecem tanto aproveitamento de espaço.

Continua após a publicidade

O desempenho do motor 2.5 boxer foi considerado decente, com ótimas marcas de consumo. E a fartura de sistemas de segurança complementou a vitória do japonês em terras americanas.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

SUV médio: Toyota Highlander

140923natuoy-12.jpg

Em um dos segmentos mais disputados dos EUA, o Toyota Highlander foi descrito como satisfatório em todos os quesitos, sem falhas, com grande confiabilidade e satisfação dos proprietários.

Entre os destaque estão a versatilidade das três fileiras de bancos, tração integral, equipamentos de segurança e porta-malas generoso. Também pesou a favor seu bom desempenho e consumo do seu motor V6.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

SUV de luxo: Audi Q7 

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade
Audi/Divulgação

O Audi Q7 tem espaço para sete passageiros como o Highlander, mas nele todos gozam de mais conforto. Isso já era esperado de um carro de luxo, bem como o bom isolamento acústico e acabamento.

Continua após a publicidade

Tanto nos teste de pista quanto nas pesquisas de confiabilidade e satisfação, o Q7 teve as melhores notas entre todos os carros listados aqui. Sobraram elogios para o sistema de entretenimento, o rodar suave e rápido, os bons freios e o pacote de equipamentos de segurança. 

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Picape: Honda Ridgeline

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Assim como a brasileira Fiat Toro, a Honda Ridgeline tem carroceria monobloco. Talvez por isso seu conforto e agilidade sejam comparados aos de um sedã. Apesar de sua capacidade de reboque não ser tão grande quanto a de concorrentes, é mais econômica e versátil, com um sistema de caçamba modular (e com áudio externo) bastante elogiado pelos proprietários.

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade

Os 10 piores carros

Agora pegue todos os critérios citados acima (desempenho, consumo, conforto, praticidade, segurança, confiabilidade, satisfação) e inverta a ordem dos melhores. Abaixo, os dez piores carros do mercado americano, na avaliação da Consumer Reports.

Subcompacto: Mitsubishi Mirage

Elétrico: Mitsubishi i-MIEV

Compacto: Fiat 500L

Continua após a publicidade

Sedã médio: Chrysler 200

Picape compacta: Toyota Tacoma

SUV familiar: Dodge Journey 

Sedã de luxo: Mercedes-Benz CLA

Sedã médio de luxo: Maserati Ghibli

SUV compacto de luxo: Land Rover Discovery Sport

SUV grande: Cadillac Escalade

O vídeo abaixo está em inglês, mas explica os motivos de eles terem ido tão mal nas avaliações:

Publicidade