Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

O que fez essa VW Kombi 1969 ser vendida por R$ 118.000 em leilão?

Perua tem motor injetado, som reforçado, freios a disco e, considerando o mercado internacional, ainda está bem barata

Por Henrique Rodriguez Atualizado em 5 dez 2020, 15h12 - Publicado em 5 dez 2020, 15h03
VW Kombi Corujinha 1969 (12)
Felipe Bitu/Quatro Rodas

Carros antigos mexem com o imaginário de muita gente, mas também pode mexer com o bolso. Essa Volkswagen Kombi 1969 foi arrematada por R$ 118.000 no em edição virtual do Circuito de Leilões de Veículos Antigos e Clássicos.

Black Friday na Quatro Rodas! Clique aqui e assine por apenas R$ 7,90

Ela foi vendida pelo dobro do valor da segunda com maior lance, uma Kombi Luxo 1970 com pintura saia e blusa, mecânica original e restaurada recentemente, com lances que chegaram R$ 64.500. Neste caso a aprovação da venda ainda depende do proprietário. 

VW Kombi Corujinha 1969 (12)
Felipe Bitu/Quatro Rodas

Mas o que fez a Kombi bege, cujo lance mínimo era R$ 40.000, quase triplicar nos lances? 

Para começar, a Kombi “Corujinha” é naturalmente bem quista e rara, até mesmo por muitas delas terem sido exportadas – especialmente para a Europa. São os modelos produzidos entre 1950 e 1975, com para-brisas dividido e vinco em “V” na frente que continua até encontrar a linha de cintura da perua. Nesta unidade, o teto arredondado ainda recebeu quatro vigias de cada lado acima dos vidros laterais, ao estilo da Samba Bus alemã.

VW Kombi Corujinha 1969 (12)
Felipe Bitu/Quatro Rodas

O exemplar que foi a leilão ainda tem teto solar de tecido da marca Ragtop, sistema de som Retrosound (com as funções de um rádio moderno mas com estilo dos rádios de época), oito alto-falantes, dois módulos e um subwoofer. Várias peças de acabamento são das Kombi/Transporter T1 alemãs. 

Continua após a publicidade
  • VW Kombi Corujinha 1969 (12)
    Felipe Bitu/Quatro Rodas

    Na mecânica, o motor 1500 a ar original teve deslocamento aumentado para 1900 cm³ e ainda recebeu injeção eletrônica Fueltech. Já o sistema de freios a tambor deu lugar a um conjunto com discos nas quatro rodas. E ficam escondidos pelas rodas aro 17″.

    VW Kombi Corujinha 1969 (12)
    Felipe Bitu/Quatro Rodas

    Antigos valorizados

    Seria o estilo, a mecânica modernizada ou a composição de todo o conjunto o que motivou o valor do arremate? Difícil saber. E se for considerar que R$ 118.000 equivalem a 22.800 dólares ao câmbio atual, o valor está na média do mercado internacional de VW Kombi.

    VW Kombi Corujinha 1969
    Felipe Bitu/Quatro Rodas

    Vale perder alguns minutos em sites internacionais de classificados. Vai dos 10.000 euros por uma Kombi abandonada aos 55.000 dólares por uma com restauração completa. Ainda encontramos uma Westfalia por 89.000 euros (R$ 556.800) e uma outra 1975 Luxo em Curitiba (PR) sendo oferecida por 26.500 euros – R$ 165.000 ao câmbio atual.

    Uma Kombi 1974 precedente do Rio de Janeiro já está na Antuérpia, Bélgica, e é anunciada por 33.800 euros (R$ 211.300) com todos os impostos pagos.

    VW Kombi Corujinha 1969 (12)
    Felipe Bitu/Quatro Rodas

    Mas é fato que alguns carros nacionais muito marcantes começaram a alcançar outros patamares de preços, mesmo dentro do Brasil. Em outra edição do mesmo leilão um Gol GTI foi arrematado por R$ 118.500, por exemplo.

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Capa 739

    Continua após a publicidade
    Publicidade