Clique e Assine QAUTRO RODAS por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

O mapa das leis e dos costumes automotivos pelo planeta

Uma volta no mundo dos carros mostra como é a convivência de outros povos com o automóvel

Por Carolina Simionato
Atualizado em 30 jun 2018, 12h42 - Publicado em 30 out 2015, 14h31

Mapa das leis e dos costumes automotivos

Uma das melhores coisas de viajar é conhecer as culturas e costumes de outros países. As diferenças vão além da alimentação e do modo de vestir.

Frequentemente, até a convivência com os veículos muda. Impostos, placas, taxas e até a maneira como se quitam débitos varia.

Na Europa, alguns países cobram multas no ato da infração – os agentes de trânsito carregam uma máquina de pagamento por cartão de crédito.

No estado da Califórnia (EUA), há limites e restrições para a lavagem de carros – água por lá é um item mais escasso do que aqui.

Na Índia, é comum ver automóveis amassados e com arranhões, ao contrário do Brasil, onde as pessoas costumam não tolerar nem pequenos riscos na lataria. Além disso, a carteira de motorista deles é similar a um cartão bancário, com chip e dados do condutor.

Continua após a publicidade

Nos EUA, cada estado tem suas próprias regras, diferentemente da maioria dos países, onde as leis são federais. No Japão, os carros custam relativamente pouco, mas o governo onera seus custos por meio de pesados impostos.

No país asiático, assim como Inglaterra e África do Sul, o volante fica do lado direito dos veículos, e o fluxo do tráfego é inverso ao nosso. É uma diferença que pode transformar um mero choque cultural numa colisão frontal.

Estados Unidos: Em alguns estados americanos, como na Virgínia, o dono do carro pode escolher entre mais de 200 grafismos temáticos para o fundo da placa e combinar letras e números, mediante uma taxa anual. Lá, o curso de condutores exige 60 horas de experiência.

Canadá: Para contestar uma autuação, é necessário ir a uma corte judicial. Lá, um juiz determina se a infração deve ser descartada ou não. Na província de Ontário, há 15 tipos de licença para dirigir, que variam de acordo com o veículo. É possível dirigir aos 16 anos, desde que a pessoa esteja acompanhada de um habilitado, com mais de 25.

Alemanha: Paga-se uma taxa pesada no momento da compra, a VAT (Value Added Tax). Ela corresponde a 19% do valor do veículo. Além disso, uma inspeção veicular é realizada a cada dois anos em toda a frota nacional.

Continua após a publicidade

África do Sul: Os sul-africanos combatem a poluição assim: o motorista paga o Green Tax, uma taxa atrelada às emissões de CO2 do carro. Quanto maiores os índices, mais cara é a cobrança. Até 120 g/km, o custo é zero. Acima disso, são 75 randes. Entre 300 e 500 g/km, cobram-se de 13 500 a 24 750 randes, algo entre R$ 3.500 e R$ 5.700. O Fiat 500 é isento, pois emite só 119 g/km.

Japão: Em acidentes, é o policial quem determina o culpado pela batida ou a porcentagem de responsabilidade de ambos. Se 80% da culpa for do motorista A, paga a multa na mesma proporção. A inspeção veicular japonesa exige a troca de itens de desgaste, mesmo que o motor e as emissões estejam dentro do padrão.

Índia: A composição da placa é longa: duas letras representam o estado e dois números distinguem a cidade. Ambos são seguidos por mais seis dígitos. A licença pode ser escrita em idiomas regionais, desde que o veículo não saia do próprio estado. Há muitos carros sem retrovisores e os donos não costumam consertar pequenas batidas: as ruas apertadas não colaboram com a lataria.

Dubai: O motorista recebe pontos negativos ao ser autuado, e a mancha vigora por 12 meses. Quem acumula 24 perde a habilitação. Para incentivar a boa conduta, são cedidos “white points” a quem não cometeu infrações em um ano. Esses créditos viram prêmios em dinheiro ou servem para eliminar os “black points” da carteira.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.