Clique e assine por apenas 5,90/mês

Novo Hyundai Tucson tem visual invocado, mas perde em potência para rivais

Quarta geração do SUV compacto foi apresentada esta semana na Europa: modelo ganhou frente do Sonata, mas tem no máximo 230 cv de potência

Por Joaquim Oliveira - Atualizado em 15 set 2020, 01h16 - Publicado em 14 set 2020, 21h30

VW Tiguan, Ford Kuga e companhia devem se preparar para encarar um novo rival: o Hyundai Tucson chega ao mercado europeu até o fim deste ano tentando repetir o sucesso das gerações anteriores, que ainda vivem no Brasil como New Tucson e iX35.

Sua nova frente segue o mesmo estilo introduzida pelo novo Hyundai Sonata nos EUA e esconde na grade as luzes de condução diurna em leds, que mesmo apagadas fazem parecer que o carro saiu de algum filme do Batman ou pertence ao personagem Darth Vader, de Guerra nas Estrelas.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

Agora, quando os cinco pontos de led posicionados em cada um dos lados são acesos, a frente ganha aspecto totalmente diferente, que muda novamente quando os faróis principais são ligados.

Luzes de condução diurnas ficam sob a nova grade Divulgação/Hyundai

Pode-se dizer que a traseira tem tanta personalidade quanto a dianteira. Isso porque traz não apenas uma faixa horizontal em leds, mas também dois pares de lanternas marcantes que acompanham o desenho do teto e da coluna C.

Assim como o rival Toyota RAV4, o Tucson adicionou vários detalhes ao longo de seus 4,5 metros de comprimento. Não apenas as caixas de roda foram remodeladas, mas também foram inseridos elementos nas beiradas da carroceria que conferem um novo aspecto lateral ao carro.

Ainda sobre o design exterior, o cliente poderá escolher entre rodas de alumínio de 17, 18 ou 19 polegadas, já o teto poderá ter cor diferente do restante da carroceria.

Traseira tem faixa horizontal em leds Divulgação/Hyundai

Passando para o interior, o design também está completamente renovado, com um novo painel de instrumentos 100% digital de 10,25 polegadas, volante de quatro raios inspirado no Porsche 964 e Audi A8 e uma também inédita central multimídia de 10,25 polegadas posicionada acima do painel de controle do ar-condicionado.

Há ainda botões que comandam os modos de direção, freio de estacionamento eletrônico e bancos com refrigeração e ajuste elétrico. Fica faltando um head up display, item já presente em muitos dos concorrentes.

Continua após a publicidade

O porta-malas tem capacidade para armazenar 620 litros com a configuração normal dos bancos e 1.799 l com a segunda fileira reclinada.

Divulgação/Hyundai

Sob o capô a quarta geração do Hyundai Tucson traz uma variedade de motores quatro cilindros 1.6. O câmbio pode ser manual de seis marchas ou automatizado de dupla embreagem e sete relações, já a tração pode ser dianteira ou integral, a depender da versão.

Divulgação/Hyundai

Voltando aos propulsores, serão dois a gasolina, um de 150 cv e outro de 180 cv, além de duas opções movidas a diesel, de 115 cv e 136 cv.

Haverá ainda uma versão híbrida mais potente, capaz de gerar 230 cv e 35,7 kgfm. Se iguala em potência com com VW Tiguan R-Line, que não é híbrido. O Toyota RAV4 é, e tem 306 cv.

Caixas de roda ganharam novos contornos na nova geração Divulgação/Hyundai

Entretanto, uma versão híbrida plug-in mais potente é esperada para 2021, assim como a versão N, linha esportiva da Hyundai, que parece estar nos planos da marca.

Os preços ainda não foram revelados oficialmente, mas o novo Tucson deve partir na Europa da casa dos 30.000 euros – ou R$ 187.789 em conversão direta.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital. 

Continua após a publicidade
Publicidade