Novo Honda City fica mais caro e segue sem ESP

Versão topo de linha subiu R$ 2 mil e recebeu faróis de leds e seis airbags, mas controle de estabilidade e tração não é oferecido nem como opcional

Os novos para-choques estão presentes em todas as versões, mas faróis totalmente em LEDs são exclusivos do City EXL

Os novos para-choques estão presentes em todas as versões, mas faróis totalmente em LEDs são exclusivos do City EXL (Divulgação/Honda)

O controle de estabilidade e tração será obrigatório no Brasil e está disponível até em modelos populares. A Honda, no entanto, não incluiu o equipamento no pacote de mudanças do novo City 2018.

O sedã derivado de Fit e HR-V (ambos com ESP de série) ficou, em média, R$ 2.500. A nova tabela agora parte de R$ 60.900 (DX) e vai até R$ 83.400 (EXL).

O novo Honda City nacional manteve a maior parte das mudanças do modelo vendido em outros países. Por fora há novos para-choques frontais, traseiros e grade do radiador reestilizada.

Todos os modelos vêm de série com luzes diurnas, mas na versão EXL incluirá setas, farol de neblina, baixo e alto em LEDs.

Lanternas traseiras mantiveram formato, mas ganharam um novo arranjo de luzes

Lanternas traseiras mantiveram formato, mas ganharam um novo arranjo de luzes (Divulgação/Honda)

A Honda substituiu a antiga versão DX automática pela nova Personal. Ela é voltada ao público PcD e inclui, além da caixa CVT, controlador de velocidade e bancos traseiros rebatíveis.

A tabela do novo Honda City 2019 ficou da seguinte maneira:

Versão Preço Aumento
DX R$ 60.900 0
DX CVT/Personal (2019) R$ 68.700 + R$ 2.300
LX R$ 72.500 + R$ 3.500
EX R$ 77.900 + R$ 2.200
EXL R$ 83.400 + R$ 2.000

*Os valores não incluem pintura metálica (R$ 990) ou perolizada (R$ 1.290)

À exceção do sistema de áudio, cabine do sedã ficou inalterada

À exceção do sistema de áudio, cabine do sedã ficou inalterada (Divulgação/Honda)

No interior o pacote EX passou a incluir ar-condicionado digital e airbags laterais, enquanto as bolsas de cortina são de série na versão EXL.

O City topo de linha também inclui retrovisores com rebatimento elétrico por um toque e sistema multimídia com integração para celulares com Apple Carplay e Android Auto.

Além do controle de estabilidade e tração, chamado de VSA nos modelos da Honda, o novo City segue sem modo Eco, chave presencial e partida por botão, itens disponíveis em outros Países.

Como é comum em outros modelos japoneses, o sensor de estacionamento também não é oferecido em nenhuma versão.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Não vale o preço que pedem. Até um Fiat Cronos ganha disso aí. Ou um Virtus da VW. A Honda acha que as pessoas vão comprar o carro ” só para dizer” que possuem um Honda. Quem sabe continue enganando meia duzia de malucos.

  2. Paulo Sanches

    Comprar um carro desse valor SEM ESP é vontade de conhecer Jesus…Pessoalmente.