Clique e assine por apenas 5,90/mês

Novo coronavírus: como higienizar seu carro para evitar o contágio

QUATRO RODAS foi atrás de especialistas para entender quais os cuidados necessários para serem tomados pelos motoristas contra o Covid-19

Por Daniel Telles - 17 mar 2020, 15h54
Limpeza das superfícies com álcool isopropílico é uma das precauções do motorista Reprodução/Internet

Um dos cuidados recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em meio à pandemia do novo coronavírus que assola o mundo é manter os ambientes higienizados.

Nesta esteira, QUATRO RODAS foi atrás de especialistas em higienização automotiva para saber os cuidados necessários que os motoristas devem tomar com seus carros a fim de minimizar os riscos de contágio.

Para Matteo Petricione Júnior, proprietário de uma oficina especializada em higienização de veículos de luxo de São Paulo (SP), as orientações passam por hábitos simples.

Limpar painel, volante, alavanca de câmbio e toda superfície plástica com álcool isopropílico, que não danifica o material, é uma dica importante para manter a cabine limpa e matar microrganismos que possam vir a causar doenças.

Outra dica é esvaziar a lixeira portátil diariamente. “O ideal é esvaziar o lixo diariamente, principalmente se houver lenços de papel com secreções de olhos, boca e nariz, que podem conter vírus”, completa Petricione. 

Entretanto, aponta o especialista, também é recomendável a limpeza periódica do ar-condicionado, o que muito provavelmente demandará um serviço pago à parte.

Continua após a publicidade

“Estamos orientando os nossos clientes a deixarem um frasco de álcool em gel dentro do carro, lenços de papel etc, mas a higienização do ar condicionado é prioridade, já que a proliferação das bactérias e fungos ocorre no filtro de ar, se ele estiver sujo. O ideal é fazer a limpeza a cada seis meses ou pelo menos uma vez por ano”, alerta.

Oxi sanitização: limpeza do ar-condicionado e da cabine com ozônio é um dos serviços indicados para afastar a contaminação Reprodução/Internet

Rogerio Marcos Chamelette, dono de outra empresa de estética e higienização veicular na capital paulista, recomenda a oxi sanitização como opção de higienização do ar-condicionado e de outros elementos do habitáculo do veículo.

“[A oxi sanitização] É um processo que consiste em aplicar uma carga de ozônio para desinfectar todo o sistema de ar-condicionado e também a cabine”, explica.

Ainda de acordo com o empresário, mesmo com a pandemia do coronavírus, a procura pelo serviço vem caindo. “Inclusive, até reduzimos o preço deste serviço”, comenta. Em São Paulo, uma oxi sanitização custa em média entre R$ 100 e R$ 200.

A higienização de todo o habitáculo é outro processo que pode ser aplicado, mas é mais caro – entre R$ 350 e R$ 750 – e, segundo Chamelette, indicado para carros mais velhos ou para eventos em que há derramamento de líquidos.

“A higienização inclui a desinfecção de todas as partes do carro, especialmente contra ácaros”, diz.

Continua após a publicidade
Publicidade