Clique e assine por apenas 8,90/mês

Novo Chevrolet Equinox ganha faróis divididos e versão esportivada

SUV médio mantém os motores 2.0 turbo e 1.5 turbo – que acabou de estrear no Brasil ainda com visual antigo

Por Henrique Rodriguez - Atualizado em 6 fev 2020, 15h33 - Publicado em 6 fev 2020, 11h08
A nova grade divide os faróis em dois andares Divulgação/Chevrolet

Os chineses acabaram com o segredo, mas os norte-americanos serão os primeiros a receber o novo Chevrolet Equinox no segundo semestre, já como linha 2021.

Essa atualização de meia-vida garantiu uma mudança completa na dianteira do SUV médio, que passa a ter faróis divididos como manda uma tendência de design também vista em outros fabricantes. Mas no caso do Equinox é a grade que divide os conjuntos ópticos: a parte de cima estão as luzes diurnas e, na parte de baixo, os faróis.

Traseira exibe novas lanternas de leds Divulgação/Chevrolet

A nova grade parece mais larga, mas é impressão causada pelas molduras mais encorpadas. O para-choque, porém, tem aspecto mais agressivo graças às tomadas de ar falsas e ganhou uma luz de posição laranja para cumprir as exigências da legislação norte-americana.

Versões convencionais não tem mudança no painel Divulgação/Chevrolet

Na traseira a grande novidade está nas novas lanternas de led.

Continua após a publicidade

Isso vale para todas as versões, exceto para o Equinox RS. A versão com visual esportivo, que antes só existia na China, tem peça que simula extrator para emoldurar as quatro saídas de escape.

Equinox RS tem quatro saídas de escape Divulgação/Chevrolet

Além disso, a versão RS tem logotipos pretos, grade e rodas pretas, e abre mão da moldura cromada nos vidros laterais. Por dentro, todo acabamento é preto e bancos, volante, painel e coifa do câmbio têm costuras vermelhas.

Chevrolet Equinox RS esconde os cromados Divulgação/Chevrolet

A linha 2021 do Chevrolet Equinox ainda passa a ter câmeras para visão 360°, controle de velocidade adaptativo, assistente de baliza automática e alerta de passageiro no banco traseiro.

Os motores não mudaram. O Equinox mantém o 2-litros turbo com injeção direta de 262 cv e 37 mkgf, além de câmbio automático de nove marchas, nas versões topo de linha, enquanto as mais acessíveis ficam com o 1.5 Ecotec com turbo e injeção direta, que gera 172 cv e 27,8 mkgf, e câmbio automático de seis marchas que acabou de estrear no Brasil. Nos EUA, há opção de tração integral para as duas mecânicas.

O RS tem interior todo preto Divulgação/Chevrolet
Publicidade