Clique e assine por apenas 5,90/mês

Nova gasolina vai deixar seu carro mais econômico, mas será mais cara

Gasolina comum vendida no Brasil tem nova regulamentação que vai melhorar qualidade do combustível e deixar motores mais econômicos

Por Igor Macário - Atualizado em 14 jul 2020, 17h58 - Publicado em 14 jul 2020, 17h56
Gasolina comum teve octanagem fixada em 92 RON Agência Brasil/Reprodução

Motivo de piada há décadas, a gasolina comum brasileira finalmente ficará um pouco melhor. Uma nova resolução da ANP, a Agência Nacional do Petróleo vai estabelecer novos parâmetros de qualidade para as gasolinas vendidas no País.

Entre eles, o combustível teve a octanagem fixada em 92 RON a partir de 3 de agosto. A gasolina brasileira tinha octanagem medida em IAD, uma média entre os métodos RON e MON (veja mais abaixo). Até então, o nosso combustível já tinha 92 RON, mas essa agora passa a ser a medida oficial.

Segundo a agência, isso significa que os motores dos carros fabricados no Brasil poderão ficar mais eficientes. A octanagem maior permite um trabalho mais fino na queima do combustível, graças ao uso de taxas de compressão maiores nos motores.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

Com isso, os propulsores podem ficar mais econômicos e limpos. A redução no consumo pode variar entre 4% e 6%, segundo a Petrobrás.

Embora ainda gere desconfiança, o combustível regulamentado no país já estava longe de ser propriamente ruim. O que muda agora é que há mais parâmetros para verificar sua qualidade.

Além da octanagem mínima fixada, a ANP também fixou a densidade da gasolina comum. A partir de agosto, o combustível deverá ter densidade de 715 g/m³, ou um litro de gasolina deverá pesar 715 gramas.

Como a adulteração do combustível altera essa conta, ficará mais fácil verificar a qualidade. Por isso, todos os postos deverão ter um medidor calibrado para atestar o número exigido pela ANP – como acontece com o etanol.

Benefícios

A nova gasolina será particularmente bem vinda em modelos importados. Embora a “tropicalização” de motores seja coisa do passado, muitas fabricantes desaconselhavam o uso da antiga gasolina comum brasileira.

Continua após a publicidade

Modelos nacionais também poderão se aproveitar da gasolina de maior octanagem. Embora funcionem normalmente com o combustível comum antigo, motores “normais” também deverão ficar mais econômicos.

Em janeiro de 2022, a octanagem da gasolina brasileira será elevada para 93 RON. Embora o consumidor tenha benefícios explícitos com a nova gasolina, a vida das fabricantes também ficará um pouco mais fácil.

O aumento da octanagem pedirá menos alterações nos projetos dos motores para adequação ao mercado nacional. Isso poderá até reduzir custos de desenvolvimento.

No entanto, é claro que a gasolina melhor pesará no bolso do consumidor. Embora ainda não mensurada, a Petrobrás admite que haverá alta do preço na bomba, mas que o gasto extra será compensado pela maior economia gerada pelo combustível melhor.

O que é RON?

A octanagem da gasolina é uma medida que indica a capacidade de resistir à detonação. RON é um dos métodos para medir essa capacidade, que muda de acordo com o uso do motor. No RON, a detonação é medida com o motor carregado e a até 3 mil rpm. É o método usado em países europeus.

Há ainda o método MON, que mede a octanagem com o motor em alta rotação. E o IAD, usado até então no Brasil, que adotava a média dos dois números.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da nova edição de quatro rodas? clique aqui e tenha o acesso digital.

 

Continua após a publicidade
Publicidade