Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Nova Ford Ranger tem motor do Mustang e câmbio de 10 marchas

Picape chegará aos EUA com conjunto mecânico e equipamentos mais sofisticados

Por Henrique Rodriguez Atualizado em 15 jan 2018, 16h48 - Publicado em 15 jan 2018, 11h29
Ford Ranger
Ranger norte-americana tem design com elementos exclusivos Divulgação/Ford

De porte menor que as tradicionais picapes F-Series, a Ford Ranger voltará a ser vendida nos Estados Unidos. Para isso, sofreu algumas mudanças no design e importantes tem importantes alterações na mecânica.

Esqueça o motor 2.5 flex e os 2.2 e 3.2 turbodiesel das Ranger vendidas no Brasil. Para os EUA a picape média recebeu o mesmo conjunto mecânico do Mustang.

Ford Ranger
Traseira ganhou tampa com nome “Ranger” em relevo Divulgação/Ford

Não, não é o V8 5.0 de 440 cv do Mustang que teremos no Brasil, mas sim o moderno 2.3 Ecoboost de 310 cv e 48,3 mkgf de torque. Mas o câmbio é o mesmo do Mustang mais potente: o moderno automático de dez marchas desenvolvido em uma parceria entre a Ford e a General Motors.

De lado parece a mesma Ranger que temos no Brasil, mas com molduras nas caixas de roda
De lado parece a mesma Ranger que temos no Brasil, mas com molduras nas caixas de roda Henrique Rodriguez/Quatro Rodas

A silhueta da Ranger está igual. Faróis, lanternas e grade têm o mesmo formato, mas cada uma destas peças tem design próprio. Faróis tem luzes diurnas de led, as lanternas tem iluminação ao estilo das F-150 e a grade tem duas barras horizontais ou fundo de colméia, mas não tem ligação com o para-choque.

A propósito, o para-choque que tem a parte inferior independente e mais larga. Foi a saída encontrada para que ele ficasse alinhado com as molduras das caixas de roda, onde a Ford resolveu instalar as luzes de posição laranjas obrigatórias para os carros vendidos nos EUA.

Versões FX4 tem maior capacidade off-road
Versões FX4 tem maior capacidade off-road Henrique Rodriguez/Quatro Rodas

Na traseira, a Ford mudou a tampa da caçamba. Pequeno detalhe: o nome “Ranger” vai em relevo na chapa, não em adesivo.

Continua após a publicidade
"Ranger" em relevo
Detalhe da traseira Henrique Rodriguez/Quatro Rodas

O painel é praticamente igual. Mudam o material de acabamentos dos bancos e a placa central do painel, que recebeu o nome da picape.

Ford Ranger
Interior tem apenas detalhes diferentes em relação a Ranger que temos no Brasil Divulgação/Ford

Mas se você quer ver mais diferenças entre a Ranger que está no Salão de Detroit e a Ranger que está na concessionária perto da sua casa, olhe a lista de equipamentos.

Em vez de alerta de frenagem de emergência, há sistema de frenagem autônoma de emergência. Os assistentes de permanência em faixa trabalham em conjunto com o piloto automático adaptativo e ainda há detector de pontos cegos e detector de pedestres.

Ford Ranger
Picape tem seletor eletrônico de tração e opção de modos de atuação dos diferenciais eletrônicos Divulgação/Ford

Serão cinco versões: XL, XLT e Lariat, com cabine estendida ou dupla. Elas estão disponíveis nas configurações de tração FX2 e FX4. Todas têm bloqueio eletrônico do diferencial, mas a FX4 tem diferencial central Dana, amortecedores e pneus off-road, protetor de cárter e seletor eletrônico com modos de tração – grama, cascalho e neve, lama e areia. 

  • Ao longo deste ano a Ford deverá mostrar a prometida Ranger Raptor, versão esportiva da picape.

    O lançamento da Ford Ranger nos Estados Unidos ainda vai demorar pelo menos um ano. Até lá a fabricante pode ter alguma definição sobre trazer as mesmas mudanças para o Brasil.

    Continua após a publicidade
    Publicidade