Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Museu do Automóvel de Brasília é lacrado

Futuro dos mais de 40 carros do acervo é incerto

Por Rodrigo Furlan Atualizado em 9 nov 2016, 12h04 - Publicado em 21 set 2012, 20h52
classicos

Um dos espaços mais importantes para a história do automóvel no Brasil foi fechado nesta quinta-feira (20). O prédio em que funcionava o Museu do Automóvel de Brasília (DF) foi lacrado pela Secretaria do Patrimônio da União.

O Museu do Automóvel, criado em 2004, ocupava um espaço cedido pelo Ministério dos Transportes. De acordo com o curador Roberto Nasser, a própria Secretaria do Patrimônio da União emitia uma autorização para o seu funcionamento, mas sem oficializar o local como sede definitiva do Museu.

O fechamento decorreu de um pedido do Ministério dos Transportes de reaver o prédio, num processo iniciado em 2010. A princípio, o local deverá receber arquivo morto. “Esse arquivo é proveniente de um órgão extinto, a Rede Ferroviária, e se encontra no RJ”, disse Nasser.

Situação do Museu

Raridades compõem um acervo de mais de 40 carros, como Willys Itamaraty, Willy Capeta, Cadillac, Rolls-Royce, DKW Candango, entre outros, além de milhares de documentos e livros referentes à história do automóvel no Brasil.

“A coleção começou há 40 anos. Desde então, também recebemos empréstimos e doações”, disse o curador. Além do acervo, o Museu oferecia cursos, como o de Mecânica de Automóveis para Mulheres, que teria início hoje.

Nasser afirmou que, caso não seja encontrado um local apto a receber as peças do Museu, os itens poderão ser vendidos para outros países. “Há a possibilidade de transferi-lo para o parque da cidade, mas para isso é necessário um decreto do governo local e a adequação do espaço”, disse Nasser.

Para tentar evitar o fechamento definitivo, foi criado um abaixo-assinado direcionado à Presidência da República, solicitando a definição de um novo espaço para o Museu. O documento pode ser acessado neste link. Até o momento, mais de 6,5 mil pessoas já assinaram a proposta.

Continua após a publicidade

Publicidade