Clique e assine por apenas 8,90/mês

Mitsubishi Outlander Sport renova sem matar o ASX por até R$ 140.000

Modelo recebe o terceiro facelift para a atual geração e não troca de motor, mas ganha novos equipamentos e terá faixa de preços de SUV médio

Por Leonardo Felix - Atualizado em 2 jul 2020, 12h14 - Publicado em 2 jul 2020, 12h10
Divulgação/Mitsubishi

A Mitsubishi apresentou nesta quinta-feira (2) uma nova – a terceira – reestilização de meia-vida para a atual geração do ASX. Quer dizer… Desta vez, além do visual, o SUV também mudou de nome.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

Conforme antecipado em primeira mão por QUATRO RODAS em fevereiro, o SUV renovado com sua quarta “face” diferente passará a se chamar Outlander Sport. Mas calma que o velho ASX não vai morrer.

Divulgação/Mitsubishi

O modelo dotado do segundo facelift seguirá à venda, mantendo o nome, em versão única (GLS) vendida a R$ 112.990).

Continua após a publicidade

Já o Outlander Sport terá três configurações de equipamentos, custando entre R$ 120.000 e R$ 140.000. Já falaremos mais sobre elas.

Divulgação/Mitsubishi

Na dianteira, o modelo recebeu um visual similar ao do SUV médio Eclipse Cross, com identidade que também está presente no novo Pajero Sport e que, em breve, será adotado pela picape L200 Triton.

Divulgação/Mitsubishi

Destaque para as grossas faixas cromadas que formam dois C’s invertidos no para-choque, e para a grade com linhas em cromo acetinado. Na versão de topo HPE, também há elementos em preto brilhante.

Divulgação/Mitsubishi

O conjunto óptico dianteiro agora é full-led e dividido em dois níveis, ficando os fachos de luz e faróis baixo e alto na parte superior. Abaixo, na forma de cubos, estão as luzes diurnas e de neblina.

Continua após a publicidade
Divulgação/Mitsubishi

O desenho da traseira praticamente não mudou, mas as lanternas tiveram a parte interna rearranjada e também receberam luzes de posição e frenagem de led. Só a sinalização de seta segue halógena.

Divulgação/Mitsubishi

A versão de entrada, GLS, sai por R$ 119.990 e traz de série: direção elétrica; ar-condicionado automático; controles eletrônicos de estabilidade e tração com assistente de rampa; freios a disco nas quatro rodas com auxílio à frenagem emergencial; ajuste de altura do facho dos faróis; vidros elétricos; travamento automático das portas; monitor de pressão dos pneus; bancos de tecido com regulagem manual de altura para o motorista; volante multifuncional com ajuste de altura e profundidade; central multimídia com tela tátil de 7 polegadas e projeção de celulares via Apple CarPlay e Android Auto; câmera de ré; sensores de estacionamento traseiros; rodas de liga leve aro 18 com pneus de baixa resistência à rolagem.

Divulgação/Mitsubishi

A opção intermediária HPE 2WD sai por R$ 132.990 e acrescenta: sete airbags (laterais, de cortina e de joelhos para o motorista, além dos obrigatórios frontais); chave presencial; bancos de couro (com opção bicolor); bancos dianteiros com aquecimento e ajuste elétrico para o motorista; sensores de luminosidade e chuva; retrovisores externos com rebatimento elétrico, luzes de seta integradas e desembaçador; rodas aro 18 com acabamento diamantado.

Divulgação/Mitsubishi

Por fim, a HPE AWD cobra R$ 138.990 e inclui tração integral. O sistema atua de forma eletrônica e distribui o torque em proporções que vão de 100% para o eixo dianteiro a até 50:50. Nela, há o modo Lock, que deixa a tração em modo 4×4 permanente para uso em pisos menos aderentes.

Continua após a publicidade
Divulgação/Mitsubishi

O novo Outlander Sport será produzido nacionalmente em Catalão (GP) e oferecido em oito tipos de cores:  marrom, prata, vermelho e prata (sólidas/metálicas); azul, branco, cinza e preto (perolizadas).

Divulgação/Mitsubishi

Pinturas metálicas ou perolizadas acrescentam R$ 1.400 ao preço, elevando o SUV a um teto de R$ 140.390.

Divulgação/Mitsubishi

Todas as configurações terão sob o cofre o velho conhecido motor 2.0 quatro-cilindros aspirado flex de 170/160 cv (a 6.000 rpm) e 23/22 kgfm (a 4.350 rpm), gerenciado por câmbio CVT com simulação de seis marchas.

Divulgação/Mitsubishi

Ainda, as três oferecerão borboletas (em cromo acetinado) fixadas na coluna de direção para trocas sequenciais das marchas simuladas no volante.

Continua após a publicidade
Divulgação/Mitsubishi

Em relação ao ASX, as dimensões praticamente não mudaram: 4,38 m de comprimento, 1,81 m de largura e 1,65 m de altura, sendo 2,67 m de entre-eixos, 21,5 cm de vão livre do solo e 359 l de volume no porta-malas.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da nova edição de quatro rodas? clique aqui e tenha o acesso digital.

Publicidade