Assine QUATRO RODAS por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Lada retoma produção na Rússia com modelo de 2011 e motor dos anos 90

Sedã compacto voltará a ser produzido sem uma série de itens de segurança e com motor que segue as normas de emissão de 1996

Por João Vitor Ferreira
15 jun 2022, 02h55

Desde o início da guerra com a Ucrânia, a Rússia vem sofrendo diversas sanções do mercado internacional e o mercado automotivo, claramente, também foi afetado. Montadoras de todo o mundo encerraram as atividades no país, que agora convive com a falta de modelos novos e peças de reposição. 

Assine a Quatro Rodas a partir de R$ 9,90

Um dos casos que mais repercutiu foi a saída da Renault, líder de vendas no país, principalmente, vendendo carros sob a marca Lada. A responsável por fabricar os modelos era a AvtoVAZ, que tinha 67,61% das ações pertencentes à montadora francesa. Com o início da guerra e das sanções, em março deste ano, a Renault vendeu AvtoVAZ para a iniciativa pública russa, deixando as operações no país.

Para tentar driblar as sanções, o governo Russo vai reativar as produções da AvtoVaz e, consequentemente, trazer a Lada de volta ao mercado russo. Porém, este retorno não será tão triunfante quanto aparenta.

Lada granta na linha de produção
(Divulgação/Lada)

A estratégia é ressuscitar o Lada Granta Classic, um sedã compacto de 2011 que era feito em parceria com a montadora francesa e já havia sido descontinuado. Mas a falta de fornecedores externos farão com que o modelo regresse bem mais do que onze anos no tempo.

Sem airbags, controle de estabilidade, pré-tensionadores do cinto de segurança e ABS, o Granta recebeu um “botão do pânico” como compensação, conectado com o serviço de emergência russo ERA-GLONASS, para ser acionado em caso de acidentes. 

Navegação por GPS e multimídia, nem pensar. O Granta Classic “à prova de sanções” e provavelmente se vale da oferta de componentes fabricados localmente para o mercado de reposição. Tem, no máximo, preparação para som com quatro alto-falantes. O ar-condicionado é opcional, enquanto itens como vidros elétricos na frente, Isofix, calotas e frisos na cor do veículo, foram mantidos.

A volta ao passado fica mais evidente na motorização. Embora o motor seja o mesmo 1.6 com 8 válvulas de 90 cv de 2011, ele não atenderá às atuais exigências de emissões. Na verdade, é esperado que ele esteja pareado com as normas da Euro 2, de 1996. Ou seja, será muito mais poluente do que os motores da época do seu lançamento, que seguiam a Euro 5 (de 2009) ou os atuais, que seguem a Euro 6 (2014).

Continua após a publicidade
Interior do Lada Granta
Provável novo interior do novo Lada Granta (Auto Review/Reprodução)

Sem previsão para o fim da guerra, o governo russo continuará tendo dificuldades em manter o mercado automotivo funcionando. Nem mesmo os usados escapam. 

Compartilhe essa matéria via:

Com as barreiras de importação, peças de reposição não chegam ao país. Segundo o jornal The Guardian, existem filas de espera de meses para consertar os carros e proprietários estão pagando até dez vezes mais do que pagariam antes da guerra. Como consequência, o mercado ilegal, composto por componentes falsos e roubados, vem crescendo muito no país, segundo o periódico inglês. Mesmo que a guerra acabasse hoje, o mais provável é que o segmento automotivo russo ainda demore meses ou até anos para se restabelecer da crise.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.