Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Jeep Commander: marca confirmou nome do SUV de 7 lugares e ninguém notou

Nome do mais novo SUV de sete lugares estava na trilha sonora de teaser divulgado no início do mês, mas só notamos agora

Por Eduardo Passos, Henrique Rodriguez Atualizado em 28 abr 2021, 20h17 - Publicado em 28 abr 2021, 16h30
Flagra Projeto 598 Jeep Commander
Leonardo Contin/Quatro Rodas

A Jeep gosta de esconder mensagens, desenhos e referências em seus carros: nos cantos das carrocerias é possível encontrar aranhas estilizadas, mapas, répteis, pegadas e até a grade, faróis e perfil do icônico Jeep CJ escondidos. Os Jeep Compass vendidos no exterior, por exemplo, têm até palavras em Código Morse gravadas no descanso para o pé esquerdo do motorista.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90

E foi justamente usando o bom e velho Código Morse que QUATRO RODAS confirmou que o inédito SUV de sete lugares — fabricado no Brasil — chama-se Jeep Commander.

A primeira parte do segredo está no teaser do SUV, divulgado em 5 de abril. Na peça publicitária destaca-se um piano que toca a mesma nota musical (um ré sustenido na sexta oitava, ou D#6) enquanto passa a mensagem discretamente. O vídeo abaixo é legendado e ajuda a entender melhor. Os traços e pontos são parte do Código Morse e representam um tom longo e um tom curto, respectivamente.

É coisa de maluco. Enquanto ficávamos mais interessados nas letras “ER” reveladas no vídeo, a Stellantis dizia que a trilha sonora seria o caminho para descobrir o nome do SUV, que estava “onde não se vê”. Diminuímos a velocidade da música, colocamos ela ao contrário (em “Ilariê” deu certo) e analisamos as ondas sonoras. No fim, o nome Commander estava na própria trilha sonora, ditado no clássico idioma dos telegrafistas.

Flagra Projeto 598 Jeep Commander
Bruno Lopes/Quatro Rodas

Em seu perfil no Linkedin, a Stellantis adicionou mais suspense e, em uma publicação acerca do novo utilitário, destacou adjetivos e comparações ligados à grandeza. Vale ressaltar que a Jeep costuma utilizar o termo “Grand” para diferenciar modelos como Cherokee e Grand Cherokee ou Wagoneer e Grand Wagoneer. A maior coincidência, entretanto, fica por conta de um SUV exclusivo da China.

Nome não é novo

jeep_grand_commander_summit
Jeep Grand Commander vendido na China Divulgação/Jeep

Produzida entre 2006 e 2010, a primeira geração do Jeep Commander era, na prática, uma versão de sete lugares do Jeep Grand Cherokee. Em 2018, entretanto, o nome foi resgatado por um SUV exclusivo ao mercado chinês e baseado na plataforma do Cherokee, a Compact Wide.

Continua após a publicidade

Ele tem versão de cinco lugares (Commander) e a mais famosa, de sete lugares (Grand Commander), mas nenhuma das duas vende bem (apenas 7.373 carros em 2020). A nomenclatura, porém, serve para reforçar que o nome “Grand Commander” também é uma variação bem plausível.

Jeep Commander estreia no segundo semestre

Conhecido até agora como Projeto 598, o Commander será o próximo grande lançamento da Jeep no Brasil em 2021. Ele é baseado na plataforma Small Wide, a mesma dos Jeep Compass e Renegade, e da Fiat Toro.

Flagra Projeto 598 Jeep Commander
Michel Hage/Quatro Rodas

O uso da mesma plataforma não só facilitará a produção na fábrica de Goiana (PE), como ajuda a amortizar os custos do projeto. Isso porque a estrutura do Commander é a mesma do Compass até o final das portas dianteiras. Mas será facilmente distinguível pelos faróis, capô, para-choque e para-lamas exclusivos.

Por conta da terceira fileira de assentos, o Commander se valerá de entre-eixos mais longo, portas traseiras maiores e o balanço traseiro também crescerá. O formato mais quadrado da traseira ajuda a aumentar o espaço restante no porta-malas. O estilo da traseira também será completamente diferente do Compass, com lanternas bem estreitas.

Flagra Projeto 598 Jeep Commander
Thiago Arouche/Quatro Rodas
A primeira vista, não diferenças notáveis em relação ao Compass
A primeira vista, não diferenças notáveis em relação ao Compass Thiago Arouche/Divulgação

Muito se falava sobre o interior ser mais luxuoso, mas QUATRO RODAS descobriu que o painel do Commander será o mesmo do Compass. O flagra permitiu notar que apenas um friso horizontal cromado e costuras no console central são exclusivas do modelo.

O maior Jeep nacional estará disponível tanto com o novo motor 1.3 GSE Turbo de 185/180 cv e 27,5 kgfm de torque, com câmbio automático de seis marchas, quanto com o 2.0 Multijet turbodiesel, mas com chance de este surgir em uma versão mais forte. A potência saltaria dos 170 para mais de 200 cv e o torque, dos 37,5 para mais de 40 kgfm. Com este motor, o câmbio será automático de nove marchas e ainda terá tração 4×4.

Break light e para-choques estão maiores
Break light e para-choques estão maiores Beneval Braz/Quatro Rodas

Considerando os preços do novo Jeep Compass 2022, o Jeep Commander nacional teria preços entre os R$ 200.000 e R$ 260.000, e promete dar dor de cabeça tanto para os Caoa Chery Tiggo 8 e Volkswagen Tiguan, quanto para o Toyota SW4.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Capa Quatro Rodas 744 Abril 2021

Continua após a publicidade

Publicidade