Jeep: 75 anos na trilha da história

Sinônimo de 4x4, o primeiro Jeep nasceu para servir na guerra. Em tempos de paz, seus derivados ajudaram a desenvolver novas nações e popularizaram um estilo de vida que rompeu as barreiras do asfalto

Jeep Willys CJ

Criado pela fabricante americana Willys Overland no início da Segunda Guerra, o Jeep original só assumiria oficialmente seu nome anos depois, tornando-se uma marca registrada. A partir de 1987, a Jeep passa a fazer parte do grupo Chrysler (hoje grupo FCA, sigla para Fiat Chrysler Automobiles). Ao longo de 74 anos, os veículos da marca foram protagonistas de diversos episódios históricos, graças à robustez, eficiência e carisma que sempre os caracterizaram. A receita seria ainda mais azeitada com os elementos de conforto, segurança e sofisticação adicionados aos modelos mais recentes. Confira a seguir como tudo isso aconteceu.

 

1941 – Willys MB

Willys MB Willys MB

Willys MB  (/)

Com o envolvimento dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial, o exército americano requisita um veículo leve com tração nas quatro rodas, capacidade para três soldados e uma metralhadora. Mais de 600 mil unidades do Willys MB seriam produzidas durante o conflito. Comandante das forças aliadas, o general Dwight Eisenhower cita o veículo como uma das quatro ferramentas fundamentais para a vitória final, junto com a bazuca, a bomba atômica e o avião de transporte C-47. 

 

1945 – Willys CJ-2A

Jeep CJ-2A Jeep CJ-2A

Jeep CJ-2A  (/)

Chega ao mercado o CJ-2A, o primeiro Jeep civil e o primeiro a ostentar a grade frontal com sete aberturas. Ideal para o uso rural e industrial, podia ser equipado com assentos extras, tomadas de força para implementos agrícolas, guincho, removedor de neve e outras ferramentas.

 

1946 – Willys Jeep Station Wagon

Willys Jeep Station Wagon Willys Jeep Station Wagon

Willys Jeep Station Wagon  (/)

Desenvolvido para o trabalho e lazer, o Station Wagon inicia a tradição Jeep no segmento de utilitários para toda a família. Teve mais de 300 mil unidades produzidas apenas nos Estados Unidos, e também foi montada e produzida sob licença em outros países, como no Brasil, onde deu origem à Willys Rural.

 

1948 – Willys Jeepster

Willys Jeepster Willys Jeepster

Willys Jeepster  (/)

Com visual e conforto de carro de passeio, o Jeepster foi um conceito à frente de seu tempo – apesar do design, digamos, estranho. Mais longo e baixo que o modelo original,assumia ares de roadster com seus pneus de faixa branca e muitos cromados.

 

1954 – Willys Jeep CJ-5

Jeep CJ-5

Surge o CJ-5, o mais longevo de todos os Jeep civis: com para-lamas arredondados e maior distância entre-eixos, tornou-se um dos veículos mais populares do planeta. Constantemente aperfeiçoado, recebeu melhorias como freios dianteiros a disco, motores de seis cilindros em linha ou V8, a gasolina ou diesel. Mais de 603 mil unidades foram produzidas até 1983.

 

1957 – Início da produção do Jeep no Brasil

willys overland 1957 Linha de montagem da Willys-Overland no Brasil em 1957

Linha de montagem da Willys-Overland no Brasil em 1957  (/)

Um ambicioso plano industrial incentiva a nacionalização da produção de veículos no Brasil. Um dos primeiros é o Jeep CJ-5, que já era montado com componentes importados na fábrica da Willys Overland do Brasil em São Bernardo do Campo (SP) desde 1954.

 

1962 – Jeep Wagoneer

Jeep Wagoneer Jeep Wagoneer

Jeep Wagoneer  (/)

O conceito de utilitário esportivo nasce com o Wagoneer, o primeiro 4×4 de luxo do mundo. Sucessor do Jeep Station Wagon, trouxe avanços inéditos como suspensão independente, direção hidráulica, ar-condicionado e transmissão automática. Foi produzido com alterações mínimas até 1991 – e deve voltar ao mercado logo mais, como modelo top de linha da Jeep no planeta.

 

1967 – Kaiser Jeep M715

Kaiser Jeep M715 Kaiser Jeep M715

Kaiser Jeep M715  (/)

Baseado na picape Gladiator, o M715 fez o caminho inverso do jipe MB: projetado para o uso civil, acabou adotado por vários exércitos. Em lugares como a Coreia do Sul, ele permanece na ativa.

 

1974 – Jeep Cherokee (SJ)

Jeep Cherokee SJ Jeep Cherokee SJ

Jeep Cherokee SJ  (/)

Começa a produção do Cherokee. Inicialmente desenvolvido como uma versão de duas portas mais compacta do Wagoneer, ele logo ganhou a opção de cinco portas, transformando-se num dos maiores sucessos da história da marca.

 

1984 – Jeep Cherokee (XJ)

Jeep Cherokee XJ Jeep Cherokee XJ

Jeep Cherokee XJ  (/)

O Cherokee de segunda geração se firma como um dos mais carismáticos modelos Jeep: dotado de estrutura monobloco, era um pouco menor que o Wagoneer, mas oferecia excelente espaço interno para quatro adultos. A partir dele a Jeep desenvolveu a Comanche, última picape a ser oferecida pela marca até 1992.

 

1987 – Jeep Wrangler (YJ)

Jeep Wrangler Renegade Jeep Wrangler Renegade

Jeep Wrangler Renegade  (/)

Sucessor da linha CJ, o Wrangler estabelece novos padrões, adicionando o requinte técnico do Cherokee à robustez do jipe clássico, com conforto ideal para o uso diário. Caracterizado pelos faróis retangulares, foi um grande sucesso, contabilizando mais de 685 mil unidades produzidas.

 

1993 – Jeep Grand Cherokee (ZJ)

Jeep Grand Cherokee ZJ Jeep Grand Cherokee ZJ

Jeep Grand Cherokee ZJ  (/)

O Grand Cherokee chega ao mercado para ser o SUV top de linha da Jeep. Podia ser adquirido com qualquer um dos três sistemas de tração Jeep: Command Trac, Selec-Trac e Quadra-Trac. Airbag para o motorista e freios ABS eram itens de série, e motores V8 de até 5,9 litros impulsionavam as versões mais exclusivas.

 

1997 – Jeep Wrangler (TJ)

Jeep Wrangler TJ Jeep Wrangler TJ

Jeep Wrangler TJ  (/)

Os tradicionais faróis redondos da Jeep retornam na segunda geração do Wrangler, que aposenta os feixes de molas em favor de molas helicoidais na suspensão, para maior conforto e estabilidade. Em 2004 surge a versão de entre-eixos longo Unlimited.

 

2002 – Jeep Liberty (KJ)

Jeep Liberty Jeep Liberty

Jeep Liberty  (/)

Batizada como Liberty nos Estados Unidos, a terceira geração do Cherokee confirma a retomada dos elementos de estilo clássicos que definiriam a identidade visual da marca.

 

2007 – Jeep Compass

Jeep Compass Jeep Compass

Jeep Compass  (/)

O Compass é apresentado como um utilitário com vocação mais urbana, moderno e confortável – mas para horror dos entusiastas da marca, sem tração integral. Enquanto isso, o Wrangler chega a sua terceira geração maior e mais largo, com freios ABS e controles de estabilidade e tração.

 

2014 – Jeep Cherokee (KL)

Jeep Cherokee KL Jeep Cherokee KL

Jeep Cherokee KL  (/)

O mais novo Cherokee traz linhas afiladas que rompem os paradigmas da Jeep. Itens de conforto, segurança e entretenimento ganham força, sem deixar de lado o espírito explorador.

 

2015 – Jeep Renegade

Jeep Renegade Jeep Renegade

Jeep Renegade  (/)

Com o lançamento mundial do Renegade no segmento de SUVs compactos e a inauguração de uma nova fábrica no Brasil – a primeira exclusiva da marca fora dos Estados Unidos –, a Jeep dá continuidade ao maior plano de expansão em seus 74 anos de história.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

  1. Cesar Pasini Transportes

    Gostaria de saber se a American Bantam Car Company teve realmente participação na criação do modelo que posteriormente viria a ser o famoso Jeep.