Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Guia de Usados: Fiat Toro é fenômeno também nas lojas de seminovos

Sucesso no mercado de novos e usados, a picape intermediária agrada pela excelente estabilidade e pelo pacote de equipamentos

Por Felipe Bitu Atualizado em 8 Maio 2021, 15h34 - Publicado em 13 Maio 2019, 07h00
Versão Volcano é a top de linha e traz motor diesel e tração 4x4
Versão Volcano é a top de linha e traz motor diesel e tração 4×4 Divulgação Fiat/Quatro Rodas

Intermediária entre as picapes leves e médias, a Fiat Toro é um fenômeno. Apesar do preço, continua entre os 15 veículos mais vendidos desde o seu lançamento, em 2016, mantendo a mesma aceitação entre os usados.

A versão mais comum é a Freedom 4×2 com motor E.torQ 1.8 16V Flex de 130/132 cv (gasolina/etanol).

Seu desempenho é só satisfatório, em função dos 1.619 kg e do câmbio automático de seis marchas, mas agrada pelo assistente de saída em rampa, computador de bordo, piloto automático, ESP, direção elétrica, Isofix e sensor de ré.

  • Não abra mão da segurança: um dos opcionais mais desejados é o conjunto de airbags (laterais, de cortina e para joelhos do motorista). Além dele há couro, central multimídia, capota marítima, faróis de neblina, sensor de faróis e de chuva, rodas de liga leve e teto solar.

    Entre as Freedom, vale procurar a série Opening Edition, que se destaca pelo ar bizona, central com câmera de ré, espelhos com acionamento e rebatimento elétricos e volante multifuncional revestido de couro e com borboletas para troca de marchas.

    Na vice-liderança está a top, Volcano, com um 2.0 turbodiesel de 170 cv, câmbio automático de nove marchas e 4×4. Mais ágil, seu 0 a 100 km/h cai de 16,1 para 12,4 s e traz ar bizona, central com GPS e câmera de ré, DRL e rodas aro 17.

    Entre os opcionais, estão chave presencial e banco do motorista com regulagem elétrica.

    Capacidade de carga é de 650 kg na versão 1.8 flex e 1.000 kg na 2.0 turbodiesel
    Capacidade de carga é de 650 kg na versão 1.8 flex e 1.000 kg na 2.0 turbodiesel Divulgação Fiat/Quatro Rodas

    O equilíbrio entre os dois motores veio na linha 2017: a Freedom ganhou opção do 2.4 Tigershark Flex (174/186 cv) com câmbio de nove marchas.

    Já a 2018 trouxe três novidades.

    A versão Blackjack 2.4 eliminou quase todos os cromados da carroceria e do interior. A Freedom 1.8 recebeu o E.TorQ EVO do Jeep Renegade (bicos injetores aquecidos e start-stop) e a Freedom 2.0 diesel ganhou o câmbio de nove marchas.

    Aqui está o pulo do gato: quem quiser economizar deve optar pela Freedom 2.0 com câmbio manual de seis marchas, encalhada nos pátios.

    A mais rápida das Toro (0 a 100 km/h em 11,6 s na versão 4×2) está longe de ser ruim, mas seu público faz questão do câmbio automático. Por isso, o manual sumiu na linha 2019.

    Em comum, todas as Toro têm estabilidade excepcional para uma picape e dirigibilidade próxima a de um automóvel, mérito da estrutura monobloco e da suspensão traseira multilink.

    Dois detalhes importantes que facilitam a vida dos donos: muitas unidades têm garantia estendida em até cinco anos (contra três da normal) e há constante fornecimento de informativos de manutenção entre a Fiat e as oficinas independentes.

    Estas ainda contam com grande oferta de peças originais ou paralelas.

    Onde o bicho pega

    Painel - Fiat Toro 2016
    Painel – Fiat Toro 2016 Acervo/Quatro Rodas

    Motor

    Continua após a publicidade

    Não feche negócio sem verificar se os sensores do filtro de material particulado (DPF) funcionam: muitos donos isolam esse item e modificam o chip de gerenciamento para aumentar torque e potência. Dor de cabeça garantida.

    Suspensão 

    Seu acerto e o elevado peso não suspenso de rodas e pneus abreviam a vida útil de peças como batentes e pivôs. A falta de estabilidade direcional dianteira pode ter origem em amortecedores sem ação ou bieletas rompidas.

    Câmbio automático  

    A ZF 9HP, de nove marchas, pode apresentar trocas abruptas ou retenção de marchas. Costuma ser resolvido com atualização do software.

    Fiat Toro Ultra 2.0 diesel 2021
    Fernando Pires/Quatro Rodas

    Embreagem 

    Não se esqueça de checar a embreagem da Freedom 2.0 manual: o kit completo (disco, platô e atuador) custa em torno de R$ 5.000 tanto nas autorizadas quanto no paralelo. Por exigir muitas horas de serviço, a mão de obra também é cara.

    Capota marítima 

    É notória pela infiltração de água, problema já relatado na seção Autodefesa. Ela se agrava com o tempo e só é amenizada com a sua substituição, que pode custar mais de R$ 1.000.

    Recalls 

    Envolvem trava do suporte do estepe (2.0 4×4 2016), reconfiguração da central do motor (2.0 4×4 2017), troca da central (2.4 2018) e inspeção do sistema DPF (2.0 4×4 e 2.0 4×2 2016 a 2018).

  • A voz do dono

    Nome: José A. Furlan
    Idade: 68 anos
    Profissão: empresário
    Cidade: Cosmópolis (SP)

    O que eu adoro

    “É a picape mais confortável que existe: encara estradas ruins como utilitário e asfalto como carro de passeio. O bom casamento do motor com o câmbio automático garante bom desempenho, mesmo carregada.”

    O que eu odeio

    “O consumo urbano é muito alto, mesmo considerando o bom desempenho. E a tela da central multimídia é minúscula: compromete a funcionalidade e destoa da beleza do interior.”

    Nós dissemos

    toro Edição de fevereiro de 2016
    Edição de fevereiro de 2016 Reprodução Revista/Quatro Rodas

    Fevereiro de 2016: “A posição de dirigir alta é algo que se encontra tanto em picape quanto em SUV, assim como o espaço que leva cinco pessoas com conforto. Passa longe do comportamento de uma picape. Sua direção é leve e direta como a de automóvel, por isso é fácil de manobrar. E a suspensão tem bom compromisso entre conforto e estabilidade.”

    Continua após a publicidade
    Publicidade