Clique e Assine QAUTRO RODAS por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Ford Transit automática estreia mecânica da nova Ranger e custa R$ 274.500

Primeira van automática vendida no Brasil tem câmbio de 10 marchas como o Mustang e motor 2.0 turbodiesel que estará na Ranger

Por Henrique Rodriguez Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
27 mar 2023, 10h00

Enquanto o câmbio automático é dominante nas vendas de automóveis e picapes, até agora não havia uma van com câmbio automático à venda no Brasil. A Ford Transit passa a ter essa opção nas versões furgão e minibus, estrategicamente posicionadas custando praticamente o mesmo que as Mercedes Sprinter com câmbio manual. Parte dos R$ 274.500 na configuração van L3H3.

Preços da Ford Transit automática:

  • Transit Furgão Van L3H3 – R$ 274.500
  • Transit Minibus vidrada – R$ 298.200
  • Transit Minibus 14+1 – R$ 336.500
  • Transit Minibus 17+1 – R$ 358.900

Uma concorrência tão direcionada tem motivo. Transit e Sprinter têm versões com dimensões parecidas, tração traseira e números de potência equivalentes, e a Sprinter tem tradição, por ser vendida no Brasil desde 1997. A saída para a Transit, que foi vendida entre 2008 e 2014, e retornou em 2021, é apostar no que a rival não tem.

O motor 2.0 turbodiesel EcoBlue, com turbo de geometria variável, já era conhecido, mas tem 165 cv e 39,7 kgfm ante os 170 cv das versões com câmbio manual de seis marchas. A Ford explica que essa mudança se dá pelo mapa de funcionamento do motor, que é otimizado para o câmbio automático de 10 marchas. É um câmbio da mesma família daquele utilizado pelo Mustang, mas cada qual tem uma exigência de força diferente.

Transit Furgão AUTOMÁTICO
(Divulgação/Ford)

O interessante aqui é saber que essa combinação entre o motor 2.0 turbodiesel e o câmbio de 10 marchas funciona como uma prévia para o que veremos na nova geração da Ford Ranger, que será lançada no Brasil ainda em 2023.

Como anda a Ford Transit automática

A Transit por si só tem um rodar bastante refinado para uma van tão grande. Mesmo quando vazia, como em nosso percurso de test-drive, a carroceria tem pouca oscilação e pouco barulho do motor invade a cabine. Não é um carro de passeio, mas não exige tantas concessões como outras vans.

Transit Furgão AUTOMÁTICO
(Divulgação/Ford)

O câmbio automático melhora essa experiência, porque ter que pisar na embreagem é cansativo. Um pouco menos nas Transit manuais, mas ainda cansativo. Especialmente ao longo de semanas no para-e-anda de trânsito e entregas.

Continua após a publicidade
Compartilhe essa matéria via:

A Ford calcula que um motorista de um veículo como esse faz cerca de 400 trocas de marcha por hora. O câmbio automático faz ainda mais trocas por sua conta, afinal são 10 marchas que avançam rapidamente e raramente isso é notado pelos ocupantes, mesmo quando faz múltiplas trocas de uma só vez, como de 10 para sexta marcha.

Transit Furgão AUTOMÁTICO
(Divulgação/Ford)

Até é interessante apertar o seletor de marcha e ver uma tela com todas elas à mostra. Por sinal, os botões para trocas sequenciais estão na alavanca, muito parecida com a que era usada nos Ford com câmbio Powershift. O seletor fica ainda mais avançado na direção do motorista e minha iniciação na Transit foi acertar o nervo do joelho bem na quina. Doeu.

Transit MINIBUS AUTOMÁTICO
(Divulgação/Ford)

Trata-se de um câmbio automático convencional, com conversor de torque, e sua suavidade impressiona ainda mais no uso urbano. A resposta na arrancada não é tão imediata, mas isso é até bom para rodar no trânsito e melhor ainda para o consumo. E dá para deixar ainda mais econômica com modo de condução próprio, que chega a limitar a velocidade máxima e o funcionamento do ar-condicionado para poupar diesel.

Transit Furgão AUTOMÁTICO
(Divulgação/Ford)

E a Ford tenta explorar o consumo como argumento de venda. Ela promete uma certa equalização da eficiência entre os vários motoristas de uma frota e que os números de consumo das versões automáticas são muito próximos das versões com câmbio manual. A propósito, as versões automáticas também têm função start-stop.

Outro argumento está na promessa de ter menos intervenções mecânicas. Câmbio manual depende de troca da embreagem com regularidade, enquanto o câmbio automático só precisa de troca do óleo lubrificante e a cada 250.000 km no caso deste de 10 marchas. Mas realmente vai precisar rodar bastante até conseguir a confiança dos frotistas, mecânicos e motoristas, o mesmo processo pelo qual passaram os câmbios automáticos de carros de passeio.

Continua após a publicidade
Transit MINIBUS AUTOMÁTICO
(Divulgação/Ford)

A Ranger servirá como aliada. Inclusive, esta versão do 2.0 com 165 cv poderia substituir o atual motor quatro cilindros 2.2 da picape. O 2.0 biturbo com até 213 cv ocuparia o lugar do atual cinco cilindros 3.2 de 200 cv. Comparado a eles, o motor 2.0 é bastante suave.

Como é a Ford Transit?

É quase como qualquer outro Ford. Faz os mesmos barulhos de alerta, a chave canivete é a mesma que era usada pelos Ka e EcoSport nacionais, o quadro de instrumentos tem visual semelhante e o miolo do volante tem o mesmo desenho que se via nos últimos EcoSport. É um carro de trabalho, mas dá para se sentir em casa.

Transit Furgão AUTOMÁTICO
(Divulgação/Ford)

Todas as versões têm central multimídia de série: embora seja baseada em Android, ela imita o visual das centrais Sync, mas é bastante limitada. Há conexão para Android Auto e Apple Carplay via cabo, mas não tem equalizador de som, por exemplo. Por outro lado, dá para instalar aplicativos como Waze e leitor de PDF nela, desde que compartilhe internet do seu celular. A conectividade nativa funciona apenas para o localizador da Transit.

Para facilitar as manobras (que não são tão difíceis assim, graças ao grande esterçamento das rodas) há sensor de estacionamento e câmera de ré, também de série. Também tem controles de estabilidade e tração, e assistente de partida em rampa.

Transit MINIBUS AUTOMÁTICO
(Divulgação/Ford)

Minhas impressões foram com a Transit Van, mas as versões Minibus ainda têm frenagem autônoma de emergência com detecção de pedestres, assistente de permanência em faixa, piloto
automático adaptativo, estribo lateral elétrico e cintos de segurança de três pontos em todos os bancos.

Continua após a publicidade

A Ford Transit é vendida e tem sua manutenção feita nas mesmas 110 concessionárias que vendem carros de passeio. Contudo, o serviço é feito sob a bandeira da Ford Pro, que prevê atendimento dedicado de venda e pós-venda às Transit e às versões de trabalho (XL) da Ranger.

Transit MINIBUS AUTOMÁTICO
(Divulgação/Ford)

Por meio do aplicativo Fordpass o proprietário ainda pode acompanhar a localização e a condição do carro ou de toda a frota, podendo receber relatórios de desempenho e até fazer videoconferência com a assistência técnica da concessionária. Os serviços de conectividade são gratuitos por dois anos.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.