Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Ford Mustang Mach 1 estreia como versão única do esportivo por R$ 499.000

Série que reúne peças do Bullit e dos Shelby GT350 e GT500 chega ao Brasil em junho 25,7% mais caro que o Mustang Black Shadow

Por Henrique Rodriguez Atualizado em 13 set 2021, 16h51 - Publicado em 16 abr 2021, 11h00
Ford Mustang Mach 1
Divulgação/Ford

O Ford Mustang Mack 1 repetiu o feito de anos anteriores e foi o carro esportivo mais vendido do mundo em 2020, com 80.577 unidades produzidas. Mas seria difícil para ele repetir este feito se dependesse dos números de venda do Brasil, onde foi superado pelo Porsche 911 no ano que passou: 755 unidades do alemão contra 350 do norte-americano.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90

Por mais que as operações da Ford no Brasil agora se limitem à importação de veículos, a fabricante está tornando seu esportivo um modelo ainda mais de nicho, com importação limitada e preço 25,7% mais caro. O Mustang Mach 1, série com produção limitada, será a única versão disponível por aqui a partir de agora.

O muscle car moderno vem seguindo uma trajetória para se tornar mais exclusivo há alguns anos. O Mustang GT, que estreou em 2018 no Brasil, foi substituído pela série Black Shadow, alusiva aos 55 anos do esportivo, no fim de 2019. Era essa a versão vendida no Brasil até agora por  R$ 396.900.

Ford Mustang Mach 1
Divulgação/Ford

Mais potente, com o peso da exclusividade e do nome venerado desde 1968, o Mach 1 começa a ser vendido agora por R$ 499.000. Nem mais, nem menos. As primeiras entregas estão previstas para junho.

O que é um Mustang Mach 1?

A versão surgiu no modelo 1969 como um pacote de performance para enfrentar os Chevrolet Camaro e Pontiac Firebird. Ele completava uma gama de opções que incluía as versões GT, Boss 302Boss 429Shelby GT350 e Shelby GT500. Fez tanto sucesso que o Mustang GT foi descontinuado e só retornou em 1982.

Ford Mustang Mach 1
Divulgação/Ford
Continua após a publicidade

De pacote, se tornou versão e seguiu em linha até 1978. Só reapareceu em 2003 como edição especial, que é reeditada agora. Nos Estados Unidos o novo Mustang Mach 1 serve de elo entre o Mustang GT e o Shelby GT350, e é justamente por esse posicionamento estratégico que ele reúne o que há de melhor no cupê.

Ford Mustang Mach 1
Divulgação/Ford

O novo Mustang Mach 1 tem o motor V8 5.0 em sua versão mais potente da história, com 486 cv e 58 kgfm de torque – contra 466 cv e 56,7 kgfm do GT. Mas por aqui ele estará combinado apenas ao câmbio automático de 10 marchas, e não com o Tremec manual de seis, que é o mesmo do Shelby GT350. Nos EUA, o zero a 100 km/h declarado é de 4,3 s.

Ford Mustang Mach 1
Divulgação/Ford

Contudo, o Shelby GT350 empresta seu coletor de admissão, o radiador de óleo 50% mais eficaz, o corpo de borboleta e o radiador da transmissão. Já do Shelby 500 vem o escapamento, o difusor traseiro, os braços e buchas da suspensão traseira e o radiador independente para o óleo do diferencial traseiro.

Ford Mustang Mach 1
Divulgação/Ford

Ainda tem herança do Mustang Bullit, caso da barra anti-torção e do filtro de ar esportivo. Há soluções próprias também, como o aerofólio menor, os freios dianteiros Brembo e os amortecedores ajustáveis MagneRide com setup exclusivo. Só não tem o splitter dianteiro mais longo, que seria um grande problema nas ruas brasileiras. Mas tem defletor por baixo do motor para direcionar o ar para os freios.

Ford Mustang Mach 1
Divulgação/Ford

Por dentro, são detalhes prateados e o padrão da forração dos bancos – com direito a faixa laranja constrastante – que tentam recriar a atomosfera do Mach 1 de 1968. Mas o sistema de som Bang & Olufsen com 12 alto-falantes, a central multimídia Sync 3 e o quadro de instrumentos digital de 12 polegadas devolvem o clima da cabine para o século XXI.

Ford Mustang Mach 1
Divulgação/Ford

Cada unidade terá uma placa com número de série no painel. A Ford, que já não dizia quantas unidades do Mach 1 serão produzidas, também não informa quantas serão importadas nem por quanto tempo ele estará disponível, Mas, mesmo que a quantidade venha a ser pequena, terá oito opções de cores no Brasil: além de branco, preto, cinza e prata, terá amarelo, laranja, vermelho e azul.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Continua após a publicidade

Publicidade