Clique e assine por apenas 8,90/mês

Família acionista da BMW se envolve em polêmica

Os Quandt foram acusados de lobby junto ao partido CDU

Por Redação - Atualizado em 9 nov 2016, 12h48 - Publicado em 22 out 2013, 14h46
mercado

Polêmica à vista do mercado automotivo alemão. De acordo com o site Automotive News Europe, a família Quandt, que detém 47% das ações da BMW, está sendo acusada de fazer lobby junto ao partido conservador Christian Democratic Union (CDU), da chanceler Angela Merkel.

O objetivo dos Quandt seria convencer os políticos alemães a votarem contra leis mais rigorosas de emissão de poluentes pelos veículos. A proposta previa que, em 2020, o limite de emissão de CO2 pelos carros seria de 95 g/km. Para se ter uma ideia do panorama atual da gama da BMW, mesmo um modelo voltado para a eficiência, como o 116d EfficientDynamics (foto), emite 99 g/km. A proposta veio a ser, de fato, rejeitada, tendo a Alemanha como grande opositora.

O fato que provocou a ira dos partidos de oposição ao CDU foi a polpuda doação feita pela família Quandt: 690 mil euros, sacramentada em 9 de outubro. Representantes do Partido Verde local chegaram a afirmar que tal medida representava “a compra da política climática do governo Merkel”. Por sua parte, o CDU emitiu nota dizendo que a doação feita pela família Quandt não teve fins políticos, e que ela já tinha feito da mesma maneira em anos anteriores.

Publicidade