Assine QUATRO RODAS por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Bolsonaro aprova teto de R$ 140.000 para isenção de imposto para PCD

A lei, porém, veta a inclusão dos deficientes auditivos no programa; Ministério da Economia diz que o aumento de beneficiados afetaria as contas públicas

Por Guilherme Fontana Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO , Isadora Carvalho Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 16 jul 2021, 12h44 - Publicado em 15 jul 2021, 13h39
PCD
(iStock/Reprodução)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sancionou nesta quinta-feira (15) o aumento do teto da isenção de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para carros novos comprados por pessoas com deficiência (PCD). Com efeito imediato, a lei 14.183/21 estabelece o valor máximo de R$ 140.000 para a isenção até o dia 31 de dezembro deste ano, mas deixa os deficientes auditivos fora do programa. 

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 8,90.

Por enquanto, a novidade vale apenas para o IPI, já que se trata de um imposto federal. A tendência é de que o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), um imposto estadual, vá pelo mesmo caminho, conforme adiantado pela QUATRO RODAS. Porém, ainda não há prazo para que isso aconteça. Atualmente, a isenção de ICMS é limitada para compra de carros que custem até R$ 70.000 – o mesmo há quase 13 anos.

Esse imbróglio para o reajuste do imposto estadual deve-se a burocracia para que o mesmo seja alterado. É necessário que todos os secretários de Fazenda dos 26 estados e do Distrito Federal aprovem a mudança em uma assembleia convocada pelo Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária).

Continua após a publicidade

Além do novo valor, a publicação prevê ainda a ampliação no prazo para novo uso do benefício fiscal, que passa a ser de 3 anos. Até então, o beneficiado tinha permissão para vender o automóvel após dois anos de uso.

PCD
(Reprodução/Internet)

A lei estabelece que, o cidadão que realizar a venda do veículo antes do prazo (agora de 3 anos), deverá pagar o tributo não recolhido, ou seja, ressarcir a União com o desconto obtido na compra do bem.

A Abridef (Associação Brasileira da Indústria, Comércio e Serviços de Tecnologia Assistiva) aprova essa alteração no prazo que o beneficiário poderá pleitear a isenção, pois boa parte dos carros zero km tem garantia de fábrica média de três anos. 

O texto aprovado por Bolsonaro, porém, veta a inclusão de deficientes auditivos no programa de isenção para a compra de veículos com a justificativa de que o benefício afetaria as contas públicas, já que ampliaria o número de pessoas beneficiadas.

De acordo com o Ministério da Economia ao Portal da Câmara dos Deputados, “embora se reconheça a boa intenção do legislador, a proposição legislativa acarretaria renúncia de receita sem o cancelamento equivalente de outra despesa obrigatória e sem a apresentação de estimativa de seu impacto orçamentário e financeiro”. O veto será analisado pelo Congresso Nacional.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital

Capa de QUATRO RODAS 746

 

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.