Assine QUATRO RODAS por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Autonomia de todos os carros elétricos do Brasil diminuirá em 30%

Novo padrão da indústria corrigirá autonomia dos carros elétricos para se adaptar de modo mais fiel ao comportamento do motorista brasileiro

Por Eduardo Passos
Atualizado em 27 jan 2023, 11h37 - Publicado em 26 jan 2023, 19h27

Em breve, todos os carros elétricos à venda no Brasil sofrerão uma redução de 30% na autonomia declarada pelos fabricantes. A informação foi dada pelo presidente da Associação Brasileira do Veículo Elétrico, Adalberto Maluf, que também é executivo da BYD.

Em entrevista ao site Use Elétrico, Maluf explicou ser uma tentativa de oferecer números mais próximos do mundo real. Uma das razões seria o fato do consumidor brasileiro ainda não conduzir os elétricos da melhor forma possível, com estilo de direção pouco econômico, oriundo de carros a combustão.

“Muitos ainda não têm a noção exata de qual o melhor modo de acelerar e frear um carro elétrico (…) fazendo bom uso do sistema de regeneração, por exemplo. Acabam por usar o veículo da mesma forma que um modelo a combustão, (…) aceleram excessivamente e se frustram por obter uma autonomia muito distante daquela informada pelo fabricante”, explicou.

Continua após a publicidade

A autonomia declarada de carros elétricos é uma das questões que mais gera confusão em quem adentra esse mundo. A começar pelos diferentes testes e procedimentos de aferição, que variam conforme o mercado à venda. Desse modo, é comum montadoras divulgarem seus resultados conforme o ensaio que for mais conveniente ao seu lançamento.

Volvo XC40 Recharge Plus testado pela revista QUATRO RODAS
O Volvo XC40 à venda no Brasil é o mesmo de antes, mas sua autonomia declarada diminuiu em 45% (Fernando Pires/Quatro Rodas)

No Brasil, já existe padronização feita pelo Inmetro, ainda que fabricantes eventualmente utilizem a autonomia dos ciclos EPA (Estados Unidos) ou WLTP (Europa), entre outros. O padrão brasileiro, explica Maluf, oferece números conforme o melhor cenário possível; daqui em diante, os 30% de redução convertem esse resultado para o pior cenário possível, evitando dissabores em quem confiar nele.

O resultado dessa mudança já começa a surgir: o Volvo XC40 Recharge Plus tinha sua autonomia no Brasil divulgada em ciclo WLTP, com 420 km. A marca passou a adotar o padrão brasileiro já descontado, e o alcance do SUV caiu para 231 km. Uma diferença de 45%, ainda que se trate do mesmo veículo.

Continua após a publicidade
Kwid Etech
Autonomia declarada do Kwid E-Tech deve ir de 298/265 km (Inmetro na cidade e estrada, respectivamente) para 208/185 km (Fernando Pires/Quatro Rodas)

Mais uma queda brusca é a do Nissan Leaf, cuja autonomia declarada de 272 km (em ciclo EPA, norte-americano) se transformou 192 km no PBEV descontado. Como o resultado do teste brasileiro é ligeiramente melhor que o dos Estados Unidos, a correção nominal acabou sendo de 29%.

Essa confusão de testes também deve acabar pois, segundo Adalberto Maluf, a ideia é estimular todas as fabricantes a adotarem os resultados brasileiros. Desse modo, acrescenta, se tornará comum ao motorista exceder na vida real a autonomia prevista para seu elétrico: “ele poderá, dependendo do seu modo de condução, obter resultados inclusive bem melhores do que o indicado. (…) Do ponto de vista de defesa do consumidor [a alteração] faz sentido”.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Os automóveis estão mudando.
O tempo todo.

Acompanhe por QUATRO RODAS.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.