Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Anfavea baixa previsão de vendas, mas aposta em exportações

Setor freia projeção de alta no ano; cenário cambial valoriza vendas externas

Por Vitor Matsubara Atualizado em 9 nov 2016, 12h42 - Publicado em 5 set 2013, 20h51
fabricantes

A indústria automotiva brasileira mudou sua expectativa de vendas no mercado interno em 2013, especialmente por conta do desempenho da economia brasileira neste ano. Em contrapartida, o incremento nas exportações até o momento motivou o setor a aumentar a previsão para produção em quase três vezes.

De acordo com informações da agência de notícias Reuters, a queda de 21,6% nas vendas internas em agosto motivou a revisão nas projeções deste ano – a indústria já havia dado sinais de fraqueza em julho, quando houve um declínio de 4%. O resultado de agosto causou uma reviravolta no saldo acumulado de 2013: antes com alta de 2,9%, agora apresenta queda de 1,2% ante o mesmo período de 2012. Assim, a antiga previsão de crescimento de 3,5% a 4,5% nos emplacamentos de automóveis novos para o ano passou para alta de 1% a 2%, o que resultaria em 3,88 milhões de veículos. Embora 2013 possa marcar o sétimo recorde anual consecutivo do setor, o crescimento deve ser o menor desde 2006.

A despeito do momento vivido pela economia brasileira, o presidente da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), Luiz Moan, se mostrou otimista e disse que espera um crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) acima de 2,5%, superando até as projeções de economistas. Sobre o desempenho da indústria em agosto, Moan classificou a queda como “relativa”, citando que a média diária de vendas ante julho subiu 0,5%. Em relação aos números de agosto, o executivo preferiu não fazer comparações.

“Agosto não foi um desastre, as vendas foram maiores que a média mensal de janeiro a julho, que foi de 308 mil unidades. O mercado (financeiro) acha que estamos otimistas, mas eu digo que o mercado está é pessimista . A Anfavea não entrou na onda de mau humor”, declarou.

Cenário cambial faz indústria apostar nas exportações

Se as vendas internas já viveram dias melhores, as exportações estão em alta, favorecidas principalmente pela variação cambial. Segundo a Anfavea, os números de agosto foram os melhores já registrados para o mês, atingindo 64 mil unidades. Isso levou a associação a revisar sua projeção de exportações: antes de queda de 4,6%, agora passou para alta de 20%, chegando a 534 mil veículos.

Moan revelou ainda que espera que o Mercosul apresente uma proposta de acordo comercial à União Europeia até o fim deste ano, mas não quis antecipar se este possível tratado incluiria benefícios ao setor de automóveis.

Continua após a publicidade

Publicidade