Clique e assine por apenas 8,90/mês

2016: um ano eletrizante no Brasil

Em 2016, o Brasil deve ser invadido por modelos híbridos e elétricos que as fábricas trarão de olho na insenção de impostos e na eficiência energética

Por Paulo Campo Grande - Atualizado em 23 nov 2016, 20h34 - Publicado em 11 fev 2016, 17h49
BMW i3 e Nissan Leaf
BMW i3 e Nissan Leaf

Híbridos e elétricos estarão em alta em 2016. Além do alívio na cobrança do imposto de importação, anunciado em outubro de 2015, outros estímulos estão a caminho, para esse tipo de veículo. Ainda na área fiscal, são esperados incentivos para a nacionalização de componentes básicos como baterias e motores elétricos. Há o interesse das fábricas em aproveitar não apenas as novas oportunidades de negócio, mas também a necessidade de melhorar a eficiência energética da linha, uma exigência do governo brasileiro.

Os modelos híbridos terão preferência sobre os puramente elétricos porque eles não dependem tanto da infraestrutura dos pontos de energia para abastecer. Além das marcas mencionadas aqui, outras, como Porsche, BMW e Audi, também planejam ampliar sua oferta desse tipo de veículo.

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

Toyota

Toyota Prius
Toyota Prius

A nova geração do Prius, lançada em outubro no Japão, deve chegar por aqui no segundo semestre de 2016. Mas o novo híbrido deverá ter produção nacional em 2018. E nós já andamos nele.

 

Continua após a publicidade

Volkswagen

VW Golf GTE
VW Golf GTE

Continua após a publicidade

A Volks está testando o híbrido Golf GTE com o objetivo de vendê-lo em nosso mercado. Mas essa não deve ser a única novidade que a marca prepara para o Brasil. A outra seria o e-Up!, a versão elétrica do hatch compacto.

 

Continua após a publicidade

Nissan

Nissan Leaf
Nissan Leaf

Em 2013, a montadora assinou um protocolo de intenções com o governo de Rio para a produção do elétrico Leaf, no país. Com o anúncio da redução do imposto de importação, porém, a empresa anunciou que já é certo que ela fará o modelo aqui a partir de 2017. Inicialmente, o carro será montado a partir de peças importadas (CKD).

 

Continua após a publicidade

Fiat

Punto T-Jet
Fiat Punto

A empresa é parceira da Itaipu Binacional para o desenvolvimento de carros elétricos. Além de Palio e Weekend nacionais, neste momento, ela avalia também três unidades do 500e fabricado no México. Mas o carro que deve chegar ao mercado será um Punto híbrido, que a empresa testa sem parcerias, em Betim (MG).

 

Continua após a publicidade

Mercedes

Mercedes-benz C350E Hybrid
Mercedes-Benz C350E Hybrid

Continua após a publicidade

Fora do mercado por conta do dólar valorizado, o Smart ForTwo deve voltar ao país na versão elétrica, já na nova geração lançada em 2014, graças à redução do imposto de importação. Mas a Mercedes, dona da marca, também está de olho em outros segmentos. Na Alemanha, ela dispõe de toda sua linha em versões híbridas. O mais cotado para vir para o Brasil é o C 350 Plug-in Hybrid.

 

Continua após a publicidade

BYD

BYD Qin
BYD Qin

A chinesa roda no Brasil com o hatch e6, mas o sedã Qin (foto) é o que deve vir. Ele poderá ser oferecido pelo sistema compartilhado, como já existe em Paris e Amsterdã, segundo o interesse já manifestado por cidades brasileiras como Curitiba, Belo Horizonte e Rio de Janeiro.

 

Continua após a publicidade

Hyundai

Continua após a publicidade

Hyundai Sonata Hybrid
Hyundai Sonata Hybrid

A coreana tem a versão híbrida do sedã Sonata, que seria um rival na medida certa para o Ford Fusion, assim como para o Honda Accord Hybrid, que também está para chegar. Mas a marca tem outra carta na manga. Trata-se do Hyundai i-oniq, um hatch projetado para brigar com o Toyota Prius. Ele será lançado em 2016, na Coreia, e chegaria aqui um ano depois, mesmo tempo que a BMW precisou para lançar por aqui o elétrico i3.

Publicidade