Os truques que tentam te enganar em anúncios de usados

Adjetivos generosos e imagens caprichadas podem mascarar o real estado de um carro anunciado

 

Único dono, completo, ótimo estado… São palavras facilmente encontradas em classificados na internet ou em jornais. Mas às vezes é preciso paciência na pesquisa das melhores ofertas e um pouco de sensibilidade para desvendar os significados das palavras nos anúncios, a fim de fugir das armadilhas ocultas sob uma bela seleção de fotos e frases de efeito.

O comprador deve fazer perguntas que o ajudem a identificar se o veículo – tal como foi anunciado – atende às suas necessidades, como preço, quilometragem, opcionais, além do estado geral do veículo. O segundo passo é certificar-se de que pode ver o carro pessoalmente, mesmo que o anúncio tenha foto.

Não há dúvida de que as fotos foram um grande aliado na busca de um usado em anúncios, mas é necessário cautela para avaliá-las corretamente, para que o comprador não perca um tempo precioso indo até a loja para verificar um veículo cujo estado real é bem diferente do que se viu nas imagens.

O primeiro cuidado é diferenciar os veículos que foram fotografados à luz do dia daqueles que estão em garagens cobertas ou dentro de lojas. Evite anúncios em que a carroceria não é mostrada por inteiro ou que esteja em ambientes escuros. Tente ver os reflexos nas laterais para identificar latarias onduladas ou portas desalinhadas. Dê preferência a anúncios que tenham fotos grandes e variadas, pois em tese o dono desse carro não tem muito a esconder.

Ao telefonar, cheque se o veículo contém tudo aquilo que foi divulgado. Não é raro o comprador inspecionar o automóvel ao vivo e ouvir o vendedor dizer depois que o espelho elétrico ou o ABS que estava anunciado foi um engano de alguém da loja.

Cuidado também com preços. “O comprador deve ficar atento aos preços abaixo do mercado com a justificativa de que são frutos de sorteio, herança ou brinde. Essas são algumas das artimanhas usadas para explicar preços imperdíveis”, diz Rocha. “E desconfie de ofertas de quem diz ser funcionário de fabricantes. Pode ser um golpe (leia mais ao lado).”

Enganação em usados Enganação em usados

JOGO DE PALAVRAS

Para alguns, vale tudo na hora de vender um usado, inclusive certo exagero para ressaltas as qualidades do carro

Único dono ou carro de diretoria

“O carro ter um único dono ou ter sido usado pela diretoria de uma grande empresa não quer dizer que ele esteja em bom estado”, diz o gerente de vendas Carlos Roberto da Costa, há sete anos no mercado de usados. Para confirmar se o veículo teve um só dono, verifique se o nome que consta na nota fiscal ou no manual do proprietário é o mesmo que está na documentação atual.

Baixa quilometragem

“O cliente tem que desconfiar sempre da quilometragem que está no veículo, pois hoje isso não é sinônimo de carro novo”, diz Julio Cesar Cassandro, há 19 anos no mercado. Como não dá para confiar no hodômetro, cheque in loco se o desgaste dos pedais, dos bancos e do revestimento do volante está de acordo com a quilometragem. Veja os pneus: se a loja diz que o carro tem 20 000 km, eles não deveriam estar novos nem muito gastos, já que na média eles duram de 40 000 a 60 000 km. A placa dianteira bem riscada também pode indicar que ele já rodou mais de 50 000 km. Na dúvida, leve o veículo até uma autorizada, que pode conectar o módulo a um scanner que vai acessar sua quilometragem original.

Procedência garantida

Mesmo que uma pesquisa mostre que não há alertas de furtos ou multas em atraso, ainda há o risco de o carro ser clonado. A boa procedência só pode ser de fato comprovada se o vendedor permitir que você leve o veículo até uma dessas empresas que fazem vistorias e emitem laudos técnicos.

Impecável!

Nesse caso, verifique se há amassados nas portas (podem sofrer batidinhas em estacionamentos), rodas arranhadas (costumam ser raladas em guias) ou para-choques riscados (típicos de baliza). Os bancos têm ainda de estar limpos e sem rasgos e painel e revestimento de portas não podem ter riscos nem descolorações causadas por sol ou lavagens malfeitas. Se o vendedor vacilar ao responder qualquer pergunta, desconfie.

 

CONTRA GOLPE

Os principais tipos de fraude que podem se esconder por trás de um classificado

Golpe do consórcio

O anúncio promete um automóvel contemplado em consórcio a preço camarada ou condições de pagamento facilitadas. O único “probleminha” é que o interessado tem de fazer um pagamento adiantado antes de pegar o veículo. Quando o vendedor insiste que esse adiantamento é necessário, é sinal de que deve ser um golpe. Caia fora.

Automóvel-fantasma

Os golpistas enviam fotos e informações de um carro que na verdade não existe na loja. Depois eles forçam o interessado a deixar um depósito imediatamente, sob risco de perder um ótimo negócio. Se a oferta é boa de verdade, vá logo até o local e confira de perto, mas nunca faça depósitos na conta de alguém que você não conheça.

Carro de funcionário de montadora

A pessoa afirma trabalhar em uma montadora e, por isso, teria acesso a preço muito mais baixo do que a média. Documentos falsos e até visitas à fábrica ajudam a dar veracidade à história, que termina com o golpista pedindo depósito adiantado como sinal. Como no caso do veículo-fantasma, o carro nunca existiu.

Veículo em consignação

Nesse tipo de golpe, quem perde é o vendedor. Uma loja procura o dono e o convence a deixá-lo vender seu carro em consignação. Quando ela fizer a venda, fica com uma comissão e repassa o restante do valor ao proprietário. Só que o dono descobre mais tardeque o automóvel foi vendido sem a documentação necessária ou que simplesmente desapareceu.

Automóvel apreendido

Há anúncios com preços muito baixos sob argumento de que são unidades apreendidas pela polícia. Automóveis nessas condições em geral são vendidos em leilões públicos, com direito a visita no local, e não em anúncios individuais.

 

CHECKLIST

O que verificar antes de comprar um carro pelos classificados

1. Leia atentamente o anúncio e anote os itens disponíveis. Tente ver nas fotos qual é o estado da lataria e do interior.

2. Pesquise em outros anúncios e nas tabelas de usados qual é o preço adequado para o veículo em vista. Pode ajudá-lo a conseguir um bom desconto ou a descobrir que o preço anunciado está justo ou até baixo demais.

3. Faça uma pesquisa sobre o site ou sobre a loja que vende o carro.

4. Questione o vendedor sobre levar um mecânico de confiança ao local ou o veículo até um serviço de vistoria técnica. Se ele confia no carro que tem, não deve se opor.

5. Pergunte se há o manual com as revisões carimbadas. Atesta que o carro foi bem mantido durante a garantia.

6. Peça placa e Renavam para checar no site do Detran local se há multas, restrições ou taxas em atraso.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s