Clique e assine por apenas 5,90/mês

João Vergara: a rotina do jovem piloto de kart que sonha com a Fórmula 1

Conversamos com a família de João Vergara, de 13 anos, piloto de kart que trabalha para um dia chegar à Fórmula 1

Por Fábio Black - Atualizado em 16 out 2020, 15h53 - Publicado em 11 out 2020, 08h52
João, na categoria Júnior Max, a 120 km/h Bruno Gorski/Quatro Rodas

Vindo de uma família de pilotos, João Vergara nasceu gostando de carros. Desde os 10 anos, ele disputa campeonatos de kart e já coleciona várias categorias por onde passou.

Hoje, com 13 anos, é um dos mais jovens da categoria Júnior Max (karts maiores que chegam a 120 km/h). Os resultados têm sido promissores: João está em segundo entre os novatos na temporada e segue em quinta posição na classificação geral.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine por apenas R$ 8.90

O gosto por carros e corridas, no caso dele, virou profissão. Além das competições, existe toda uma rotina de dedicação e preparação diária que João encara. E isso vai desde se privar de tardes no videogame com os amigos para treinar até uma alimentação regrada e balanceada.

João tem como coach seu tio Ozz Negri, que foi um grande piloto e hoje é considerado um dos melhores coachs da área nos EUA. Ozz coloca em seu treinamento muita ênfase em segurança e no trabalho mental, fazendo com que João desenvolva essa responsabilidade.

Continua após a publicidade
O jovem piloto segue uma rotina severa de preparação para o esporte Bruno Gorski/Quatro Rodas

Nas semanas que não tem corrida, João treina na pista pelo menos uma tarde, no simulador no mínimo duas vezes, além de dois treinos físicos com personal trainer.

Nas semanas de corrida, que acontecem normalmente aos sábados, os treinos oficiais se iniciam na quinta-feira. Mas para João seguir batalhando por seu sonho, seus pais estabeleceram uma regra: prioridade na educação. Ou seja: para poder se dedicar ao automobilismo, João precisa primeiro ir bem nos estudos.

Os custos financeiros para João brigar entre os primeiros são altíssimos. Pode parecer um pouco de exagero toda essa carga de responsabilidade em uma criança de 13 anos, mas ele tira de letra esse cotidiano, e a família tem visto um grande crescimento pessoal no sentido de lidar com frustração, pressão e trabalho em equipe, aprendendo a ouvir, focar e fazer tudo o que é necessário para ir atrás dos seus objetivos.

Como dizia o sábio chinês Confúcio, quem escolhe a profissão que ama não precisa trabalhar um único dia na vida.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Continua após a publicidade
Publicidade