Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Museu Matarazzo: um programa imperdível para viajar e curtir carros antigos

Em Bebedouro (SP), um museu que é garantia para quem gosta de carros e histórias

Por SImone Tobias Atualizado em 23 nov 2016, 21h01 - Publicado em 6 Maio 2016, 20h20
Museu Eduardo André Matarazzo
Carros convivem com aviões no museu Matarazzo

Quem gosta de carros adora pegar uma boa estrada no fim de semana. Se você se encaixa nesse perfil, que tal conhecer o Museu de Armas, Veículos e Máquinas Eduardo André Matarazzo, situado em Bebedouro, a 385 km da capital? Para voltar no tempo, o caminho pode começar na rodovia dos Bandeirantes (SP-348), com trechos considerados dos mais bem conservados do país, segundo o último ranking da Confederação Nacional do Transporte (CNT).

Três pavilhões

Um acervo eclético é o que oferece o Museu Eduardo André Matarazzo. Exemplares como o Delahaye Double Phaeton 1912 e o Maserati 3500 GT 1961 já justificariam a viagem até Bebedouro, assim como o único exemplar no Brasil do motor de um Tucker Torpedo, de seis cilindros em linha e 166 cv – o carro do qual foi separado está num museu em Caçapava (SP), fechado em virtude de uma disputa judicial.

Mas há muito mais a ver. Um total de 239 itens expostos, entre 90 automóveis, 18 aviões, um helicóptero, 14 tratores, quatro locomotivas e outros tantos itens, como tanque de guerra, carro-anfíbio, caminhões e motocicletas. Eduardo André Mataraz­zo nasceu numa das mais bem posicionadas famílias da elite paulista e foi um dos precursores do antigomobilismo no Brasil. Comprar e restaurar carros era seu hobby, que manteve até março de 2002, quando morreu. Hoje a herança automotiva está sob os cuidados da filha, Patrícia, para quem ele deixou a presidência do museu, que é composto de três pavilhões que dividem os carros por nacionalidade.

Museu Eduardo André Matarazzo
Quer ver um Cadillac? Um Tucker? Acelere para Bebedouro!

Entre os brasileiros, um Romi-Isetta 1962, um Renault Dauphine 1963 e um Willys Interlagos Coupé 1962 fazem boa figura. “Sobrevoando” os carros – com forte representação americana –, aviões suspensos em pedestais, além de motores e maquinário bélico e industrial e bombas de gasolina, completam os espaços. No entanto, quem espera ver uma coleção impecável pode se decepcionar. Abatido por duas enchentes, uma em 1984 e a outra em 2006, parte do acervo ainda guarda sequelas.

Museu Eduardo André Matarazzo
Um Romi-Isetta ao lado de um caça a jato Gloster Meteor: dois veteranos dos anos 50

Um molde de madeira do Karmann Ghia TC mostra como era o projeto de um Volkswagen no passado. Outro item curioso é um antigo helicóptero West­land/Sikorsky. No jardim, mais aviões, locomotivas e caminhões que foram das indústrias Matarazzo. Segundo o diretor de patrimônio do museu, Rogério Buzon, durante uma visita, o cantor Roberto Carlos apaixonou-se pelo Jaguar XK 120 branco, modelo 1952. “Mas o senhor Eduardo não vendeu de jeito nenhum”, afirma Buzon.

Museu Eduardo André Matarazzo

Endereço: praça Santos Dumont, s/n°, Centro, Bebedouro 9SP). Tel.: (17) 3342-2255, museueduardomatarazzo.com.br

Visitação: quinta e sexta, das 9h às 12h, e das 13h às 17h; sábado e domingo, das 9h às 17h.

Ingresso: R$ 5,00

Continua após a publicidade
Publicidade