Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Museu Matarazzo: um programa imperdível para curtir carros antigos

Em Bebedouro (SP), um museu que é garantia para quem gosta de carros e histórias

Por SImone Tobias Atualizado em 3 Maio 2021, 12h06 - Publicado em 6 Maio 2016, 20h20

Museu Eduardo André Matarazzo

Quem gosta de carros adora pegar uma boa estrada no fim de semana. Se você se encaixa nesse perfil, que tal conhecer o Museu de Armas, Veículos e Máquinas Eduardo André Matarazzo, situado em Bebedouro, a 385 km da capital? Para voltar no tempo, o caminho pode começar na rodovia dos Bandeirantes (SP-348), com trechos considerados dos mais bem conservados do país, segundo o último ranking da Confederação Nacional do Transporte (CNT).

Três pavilhões

Um acervo eclético é o que oferece o Museu Eduardo André Matarazzo. Exemplares como o Delahaye Double Phaeton 1912 e o Maserati 3500 GT 1961 já justificariam a viagem até Bebedouro, assim como o único exemplar no Brasil do motor de um Tucker Torpedo, de seis cilindros em linha e 166 cv – o carro do qual foi separado está num museu em Caçapava (SP), fechado em virtude de uma disputa judicial.

Mas há muito mais a ver. Um total de 239 itens expostos, entre 90 automóveis, 18 aviões, um helicóptero, 14 tratores, quatro locomotivas e outros tantos itens, como tanque de guerra, carro-anfíbio, caminhões e motocicletas. Eduardo André Mataraz­zo nasceu numa das mais bem posicionadas famílias da elite paulista e foi um dos precursores do antigomobilismo no Brasil. Comprar e restaurar carros era seu hobby, que manteve até março de 2002, quando morreu. Hoje a herança automotiva está sob os cuidados da filha, Patrícia, para quem ele deixou a presidência do museu, que é composto de três pavilhões que dividem os carros por nacionalidade.

Museu Eduardo André Matarazzo

Entre os brasileiros, um Romi-Isetta 1962, um Renault Dauphine 1963 e um Willys Interlagos Coupé 1962 fazem boa figura. “Sobrevoando” os carros – com forte representação americana –, aviões suspensos em pedestais, além de motores e maquinário bélico e industrial e bombas de gasolina, completam os espaços. No entanto, quem espera ver uma coleção impecável pode se decepcionar. Abatido por duas enchentes, uma em 1984 e a outra em 2006, parte do acervo ainda guarda sequelas.

Museu Eduardo André Matarazzo

Um molde de madeira do Karmann Ghia TC mostra como era o projeto de um Volkswagen no passado. Outro item curioso é um antigo helicóptero West­land/Sikorsky. No jardim, mais aviões, locomotivas e caminhões que foram das indústrias Matarazzo. Segundo o diretor de patrimônio do museu, Rogério Buzon, durante uma visita, o cantor Roberto Carlos apaixonou-se pelo Jaguar XK 120 branco, modelo 1952. “Mas o senhor Eduardo não vendeu de jeito nenhum”, afirma Buzon.

Museu Eduardo André Matarazzo

Endereço: praça Santos Dumont, s/n°, Centro, Bebedouro 9SP). Tel.: (17) 3342-2255, museueduardomatarazzo.com.br

Visitação: quinta e sexta, das 9h às 12h, e das 13h às 17h; sábado e domingo, das 9h às 17h.

Ingresso: R$ 5,00

Continua após a publicidade

Publicidade